domingo, 25 de maio de 2014

A Prefeitura está inchando sua folha de pagamentos?

Baseado em dados e fatos e não em boatos, apresento os dados e gráficos do CAGED do Ministério do trabalho e emprego. Dados e números podem ser interpretados de variadas formas, então deixo aqui apenas os números para análise de vocês. É claro que esses dados da Administração Pública não se resumem apenas à Prefeitura de Cataguases, mas se analisarmos os números relativos podemos concluir que não há um crescimento absoluto.




E para deixar mais claro os dados, fiz um filtro dos dados de 2008 a 2012, já que algumas pessoas dizem que neste período a variação foi maior.


sexta-feira, 23 de maio de 2014

Um ano e meio: o que mudou em Cataguases?



"Existe alguém esperando por você
Que vai comprar a sua juventude

E convencê-lo a vencer..."


Depois de bastante tempo resolvi escrever novamente no meu blog. Causa-me um profundo desânimo observar a forma como a cidade está sendo administrada ou supostamente pensada. A proposta era popular, era participativa, era inovadora, era socialmente justa, politicamente ousada e utopicamente perfeita. Era... Não era isso que imaginávamos. "O Senhor da guerra, não gosta de crianças..." como diria Renato Russo.


Causa-me asco citar nome de velhos que continuam produzindo mais do mesmo. Explico: velho não no sentido biológico e sim na visão de mundo. De tanto levarem porrada e de dar porrada, perderam a capacidade de sonhar e acreditar nas pessoas. Pobre Cataguases!

Pensei seriamente em excluir o blog, recolher ao meu mundinho profissional e calar-me diante de pessoas que sabem de tudo e não precisam da minha (ou nossa) opinião. Donos da verdade e da razão, só precisarão da nossa mão-de-obra eleitoral na próxima eleição, claro!

"E quando longe de casa
Ferido e com frio o inimigo você espera
Ele estará com outros velhos
Inventando novos jogos de guerra..."



Mas exatamente por isso não posso me deixar abater, porque se corre em meu rosto o veio da vergonha da promessa não cumprida, do distrato, da finta eleitoral, é sinal de que não faço parte disso. Não faço parte desta fatia desonesta que manchou a honra de um partido que deveria ser dos trabalhadores e hoje está sob a mordaça de um desgoverno que se acha popular. 

"Que belíssimas cenas de destruição
Não teremos mais problemas

Com a superpopulação

Veja que uniforme lindo fizemos pra você

E lembre-se sempre que Deus está

Do lado de quem vai vencer..."


Não posso deixar de repudiar com veemência, aqueles que estão sorrateiramente dissimulando apoio ao Prefeito e só esperam a hora certa de "dar o bote". E olha, definitivamente não é somente um nome, existem muitos. Não acredito nesta política! Acredito na política do bem comum. Um belo uniforme "Minha casa, minha vida" e um belo carnaval e lá se vai mais uma eleição. É por estas e outras que a Juventude não acredita mais em velhotes Gagás que muito além da idade biológica, repetem o discurso dos coronéis dos loteamentos partidários. Éramos contra a ditadura. Éramos?

segunda-feira, 17 de março de 2014

Cataguases terá Faculdade gratuita de Informática, Física, Química e Matemática pela UFJF



Inscrições podem ser feitas no CAIC, em Cataguases. 
Também há vagas para pós-graduação em Mídias na Educação e Ciências Biológicas.






Esta aberto o período para seleção de candidatos a cursos de graduação e especialização.

 O Edital completo encontra-se no site do: www.cead.ufjf.br - Editais e formulários - 2014 - Edital 01/2014 Graduação e Edital 04/2014 Especialização.

O Polo de Cataguases existe desde 2006, numa parceria entre o MEC, a Universidade Federal de Juiz de Fora e a Prefeitura Municipal de Cataguases, oferecendo cursos de Graduação e Pós-Graduação gratuita para a população de Cataguases e Municípios vizinhos.

terça-feira, 4 de março de 2014

Lei nº 100 começará ser julgada no STF

Publicado no Jornal Estado de Minas, edição de 13/02/2014

Ação que questiona a efetivação sem concurso de 98 mil servidores estaduais em 2007 está pronta para ser julgada no Supremo. 

Ministro Dias Tófolli
é o relator da ADIN  4876
Depois de 7 anos da lei nº 100, que efetivou 98 mil servidores públicos em Minas Gerais, o Supremo Tribunal Federal começará a julgar se é válida a lei que deu a garantia de mesmo tratamento de efetivos (concursados) aos designados (contratos temporários). O relator da ação direta de inconstitucionalidade que questiona a medida, ministro Dias Toffoli, já emitiu seu voto,porém não revelou seu parecer publicamente. Tófolli que já havia pedido o rito abreviado (julgamento direto no mérito) liberou a ação para ser distribuída e agora depende do Presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, para ser marcada a data do julgamento. Se o Supremo derrubar a lei, os funcionários terão de deixar os cargos.

A lei foi aprovada em meio a uma polêmica sobre sua constitucionalidade, garantindo a efetivação a diversos profissionais que acabaram sendo lotados no Instituto de Previdência do Estado de Minas Gerais (Ipsemg). O acordo com a previdência social, garantiu ao governo de Minas o certificado de regularização previdenciária (CRP), que é necessário para garantir repasses de recursos da União, já que isso estava sendo feito via liminar.


Em maio do ano passado, a Procuradoria Geral da República (PGR) emitiu parecer pelo conhecimento e procedência do pedido de suspensão dos efeitos da lei. O procurador geral da República, Roberto Gurgel, repetiu as alegações que já havia feito na petição inicial, também assinada por ele. De acordo com o procurador, as contratações sem concurso são permitidas somente em vagas temporárias e quando há o reconhecimento de que um cargo se torna de necessidade permanente, é preciso transformá-lo em cargo de provimento efetivo. 

Na ação, Gurgel cita duas ações no STF que tornaram inconstitucionais leis do Rio Grande do Sul e Distrito Federal semelhantes à mineira agora questionada. Foi pedida medida cautelar para suspender a norma, já que a PGR entendeu que ela implica  gastos no orçamento estadual e prejudica pessoas que poderiam ter acesso às vagas por concurso público. 

Em fevereiro do ano passado, a Advocacia Geral da União (AGU) emitiu parecer entendendo que o artigo da Lei Complementar 100/07 questionado fere a Constituição Federal, que prevê o ingresso na administração pública somente por concurso público. “Resta clara a imperatividade da regra geral do concurso público para provimento de cargos públicos, mesmo para os servidores beneficiados pela estabilidade e que eventualmente pretendessem ser titulares de cargos efetivos”, argumentou. Porém, o advogado geral da União, Luiz Adams, também opinou pelo não recebimento da ação, por considerar que ela foi elaborada de modo errado. 

Parte da lei já havia sido declarada inconstitucional pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais em julgamento de arguição de inconstitucionalidade cível, mas, como a decisão atingia um universo pequeno dentro do total, a PGR decidiu entrar com a Adin para excluir todos os beneficiados dos quadros do estado, alegando violação dos princípios públicos da isonomia, impessoalidade e obrigatoriedade de concurso público.

Tranquilidade

Por meio de nota, o governo de Minas afirmou que a Lei Complementar 100 trouxe um “avanço” ao corrigir “distorções históricas” que atingiam quase 100 mil trabalhadores da educação. “Até então, estes trabalhadores, em sua maioria professores, serventes e auxiliares de educação, não possuíam garantias sobre o direito à aposentadoria. A Lei Complementar nº 100/2007 regularizou a situação previdenciária desses servidores”, diz a nota. Em relação à Adin, o governo diz aguardar com tranquilidade o resultado e esperar que os efeitos da lei sejam mantidos.

Acompanhe o processo com as peças eletrônicas: Clique aqui 

Fonte: Jornal Estado de Minas

A MENTIRA

José Anacleto Mestre em Planejamento Regional e Gestão de Cidades
Texto extraído de: www.joseanacleto.com.br
Na rua, filosofando com um amigo sobre política, ética e valores, ele confessou: “Anacleto, eu ainda minto”. Não pude deixar de lhe falar o que penso sobre a mentira.

Primeiro, a gente apenas consegue mentir (enganar) nossa mente consciente que, segundo os estudiosos, corresponde a 10% (dez por cento) de nossa capacidade mental. Nós não conseguimos mentir para os 90% (noventa por cento) de nossa mente inconsciente. Isso quer dizer que a mentira vai ficar arquivada em nosso “banco de dados”, e, como operamos no mundo com base nesse “banco de dados”, a mentira certamente vai influenciar nossos comportamentos futuros.


Segundo, Jesus disse (Mateus 12,36-37):

Eu digo a vocês: no dia do julgamento, todos devem prestar contas de cada palavra inútil que tiverem falado. Porque você será justificado por suas próprias palavras, e será condenado por suas próprias palavras.

            Terceiro -- para os que acreditam -- Deus sabe quando a gente mente, porque São Paulo escreveu:

            Uma vez que o Espírito de Deus habita em vocês... (Romanos 8,9).

Vocês não sabem que são templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vocês? (1 Cor 3,16).

Façam uma revisão de si mesmos. Será que vocês não reconhecem que Jesus Cristo está em vocês? (2 Cor 13,5).

            Felizmente, chegou outro amigo, e, a título de cumprimento, perguntou:

            — Vocês já leram o livro sobre a vida de José Dirceu?

NOTA
Pelas razões acima, eu não uso pseudônimos, nem publico textos ou comentários anônimos em redes sociais.