domingo, 28 de agosto de 2016

O que é o Plano Diretor?

O PLANO DIRETOR é uma exigência da Constituição Federal, reafirmada pelo Estatuto da Cidade (Lei nº 10.257/2001). É uma LEI MUNICIPAL aprovada pela Câmara de Vereadores e o principal instrumento da política urbana, que deve orientar as políticas e programas para o desenvolvimento e o funcionamento da Cidade.

Escrito por José Anacleto 

Mestre em Planejamento Regional e Gestão de Cidades

O PLANO DIRETOR deve garantir habitação de qualidade, saneamento ambiental, transporte e mobilidade, trânsito seguro, hospitais e postos de saúde, escolas e equipamentos de lazer, para que TODOS possam morar, trabalhar e viver com dignidade.

O PLANO DIRETOR é parte do processo de planejamento municipal, e deve ser o norteador dos Planos Plurianuais (PPA) de investimentos dos governos locais, da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e da Lei Orçamentária.

Além disso, o PLANO DIRETOR deve abranger todo o território municipal. O PLANO DIRETOR não é um instrumento apenas técnico: a PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO é fundamental para que os seus objetivos sejam atingidos. A elaboração do plano diretor deve ser um processo informativo, participativo e formador de cidadãos!

As ETAPAS do Plano Diretor Participativo são:

1. Sensibilizar e mobilizar a sociedade para a participação;
2. Formar uma Comissão Coordenadora do processo de elaboração do PLANO DIRETOR, com participação do poder público e da sociedade civil;
3. Definir estratégias e formas de capacitação e participação da sociedade (seminários, oficinas, grupos de trabalho, reuniões, audiências públicas, conferências);
4. Identificar os problemas e potencialidades a partir das leituras técnica e comunitária da cidade;
5. Definir os princípios e as diretrizes do desenvolvimento municipal;
6. Elaborar a proposta de projeto de lei;
7. Discutir e aprovar a lei do PLANO DIRETOR na Câmara Municipal;
8. Ajustar o orçamento municipal às prioridades definidas pelo Plano Diretor;
9. Acompanhar a execução das políticas e programas do Plano Diretor e avaliar seus resultados;
10. Revisar o Plano Diretor no prazo máximo previsto (dez anos).

O papel de cada um nesta história...

O Plano Diretor deve ser discutido com toda a sociedade antes de sua transformação em lei.
A participação de todos os cidadãos é fundamental em todas as etapas de elaboração, implementação, monitoramento e fiscalização do Plano Diretor. Prefeitura, Câmara de Vereadores, Poder Judiciário, Ministério Público e cidadãos, cada um tem o seu papel para a melhoria da realidade municipal.

FONTE:
Ministério das Cidades. Cartilha “A cidade que queremos”. Disponível em:
http://www.cidades.gov.br/images/stories/ArquivosSNPU/Eventos/OficinaRagularizacaoFundiaria/PlanoDiretor/Cartilha%20a%20Cidade%20que%20queremos.pdf

sábado, 27 de agosto de 2016

Polícia Civil alerta população para cuidados na hora de assinar documentos

Instituto de Criminalística realiza, em média, mil perícias em assinaturas por ano. Somente nos últimos dois ano, foram registradas 855 ocorrências de fraude.


Grande, pequena, por extenso, com detalhes, com símbolos, sem símbolos, de forma simples ou mais complicada. Essas são algumas das maneiras em que podemos ver as assinaturas das pessoas. Mas o que deveria ser única e ter a marca individual de cada um, às vezes, se multiplica e acaba sendo copiada por outras pessoas para fraudar documentos, sejam eles particulares ou públicos.

Somente nos últimos dois anos foram registradas 855 ocorrências por fraude em documentos no Estado, sendo 173, na capital. Já os crimes de falsidade ideológica chegaram a 1.846 ocorrências, dessas, 364, em Belo Horizonte.

O diretor do Instituto de Criminalística da Polícia Civil, Marco Paiva, explica como é feita a perícia em assinaturas e dá dicas para evitar a falsificação. “No primeiro momento, o perito olha a forma da letra, mas isso não é o primordial. Muitas autoridades fazem assinatura simples e isso não é o ideal. A assinatura tem que apresentar elementos que dificulte a falsificação. Quando você faz uma assinatura pequena, você pode constatar que ela é falsa, mas é muito mais complicado. Se for mais longa, vamos ter mais chances e grandes possibilidades de comprovar a falsificação. Quanto mais elementos gráficos ela tem, mais fácil de identificar a autoria e mais difícil de falsificar”, ressalta.

“Ao longo do tempo, você automatiza a escrita e aí deixa algumas características suas, dificultando o trabalho do falsário”, acrescenta.

Atualmente, pode-se citar seis tipos de falsificação de assinatura: a exercitada – quando a pessoa fica treinando para que a assinatura saia igual; com modelo à vista – o falsário tem um modelo e fica tentando imitar; o decalque direto – quando se coloca um papel sobre a assinatura autêntica e copia; decalque indireto – usa-se um carbono ou um grafite para fazer a cópia; escanear – quando se escaneia a assinatura ou imprime; sem imitação – a pessoa não conhece a assinatura e cria uma falsa; e a memória – o falsário conhece e vê a pessoa assinar documentos várias vezes, guardando na memória.

O empresário *Antônio de Abreu, de 49 anos, foi vitima de falsificação de assinatura e conta como aconteceu. “Eu e minha irmã tínhamos uma empresa que estava paralisada na Junta Comercial. Falsificaram as nossas assinaturas e reativaram a empresa. Quando soube da fraude, procurei a delegacia e o caso está sendo investigado. Quero resolver e limpar o meu nome e o da minha irmã para ficarmos livres disso. Foi um grande susto,” afirmou.

O delegado Hugo Arruda orienta a procurar a delegacia mais próxima em caso de suspeita de assinatura falsificada. “Procure uma delegacia e faça um boletim de ocorrência. Imediatamente, será instaurado inquérito e as investigações serão iniciadas. Acionamos o Instituto de Criminalística para realização da perícia e ouvimos todos os envolvidos. Normalmente, a falsificação de documentos é usada para obtenção de ganhos ilícitos. Este crime normalmente está relacionado à prática de outras ações criminosas, que podem facilitar a prisão dos falsários”, ressaltou o delegado.

A pena para a falsificação de documentos públicos varia entre dois e seis anos. Para documentos particulares e crime de estelionato, a pena varia entre um e cinco anos.

  Dicas na hora de assinar um documento

• Faça a assinatura sempre por extenso – quanto maior, melhor

• Use elementos gráficos – eles ajudam na identificação

• Faça a assinatura mais contínua – evite tirar a caneta do papel muitas vezes

• Prefira usar caneta esferográfica

• Nunca assine papel em branco – não é possível identificar a data da assinatura

• Se possível, use um carimbo junto à assinatura.

*nome fictício

Fonte:
http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticia/policia-civil-alerta-populacao-para-cuidados-na-hora-de-assinar-documentos

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

"Dinâmicas Urbanas e Atratividades" é o tema do CATS 2016!

Congresso será realizado no mês de outubro em Cataguases.

Foto: Bruna Nogueira
Elizabete Kropf coordena e apresenta o Cats - 2016
 Nos dias 8, 9 e 10 de outubro de 2016, Cataguases receberá a terceira edição do Congresso de Arquitetura, Turismo e Sustentabilidade, o CATS. As inscrições estarão abertas a partir do dia 12 de setembro, e devem ser feitas exclusivamente no website www.catscataguases.com.br, onde também estará disponível a programação completa do evento.

            Com todas as atividades oferecidas gratuitamente, o congresso é destinado a um público amplo e diversificado, afins aos campos arquitetônicos, turísticos e de sustentabilidade, tal como estudantes e professores de graduação e pós-graduação, profissionais, estudiosos e pesquisadores. O evento também será aberto para a participação de educadores e alunos dos Ensinos Fundamental e Médio, além de gestores públicos das diversas esferas.

            O encontro deste ano tem como tema "Dinâmicas Urbanas e Atratividades", e constará de oficinas de capacitação, visitas guiadas, sessões de comunicação, palestras, mesas-redondas e lançamentos de livros. Este ano faremos uma homenagem ao arquiteto Aldary Henriques de Toledo, que possui um grande número de obras na cidade e que projetou o Cine Teatro Edgard, que este ano completa 70 anos.
           
            Em 2016, destacam-se as participações dos professores Fernando Moreira – DOCOMOMO Brasil, de Marcos Casado – SUSTENTECH e de Célia Corsino – IPHAN-MG e Michele Arroyo IEPHA-MG, entre outros.

Foto: Bruna Nogueira
            Com coordenação geral de Elisabete Kropf e coordenação acadêmica de Cêça Guimaraens, o CATS tem por objetivo criar em Cataguases, um polo de encontro e de discussão sobre a preservação do patrimônio edificado na cidade, conscientizando todos sobre a sua importância e como a preservação destes patrimônios pode ser explorada turisticamente e com sustentabilidade. Assim, tal como nas edições realizadas em 2012 e em 2014, os debates propostos indicarão ações voltadas para o desenvolvimento econômico e turístico que evitem impactos na estrutura arquitetônica e urbanística original da cidade.

         O projeto é patrocinado pela Energisa, Bauminas e Zollern, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais – CA0749/001/2014. A Casa Mattos e a Methodus Engenharia também patrocinam o evento, que é apoiado pela Prefeitura Municipal de Cataguases, pelo IEPHA-MG (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico) e pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Governo de Minas Gerais publica nova lista de aposentadorias de profissionais da Educação

São mais 1.478 servidores aposentados. Desde 2015, o governo já aposentou 21.219 servidores da Educação, sendo 8.161 ex-efetivados


O Diário Oficial de sexta-feira passada (19/8) publicou uma nova lista com 1.478 aposentadorias de servidores da Educação. Com essa publicação, o número de aposentados chega a 21.219, desde 2015, sendo que desse número, 8.161 são de ex-efetivados da Lei 100. Entre janeiro e agosto de 2016, o número de publicações chegou a 8.978.

Segundo o subsecretário de Gestão de Recursos Humanos, professor Antônio David, o Governo do Estado vem cumprindo a meta de 1.200 aposentadores mensais, em média. “Desse número total de aposentados, desde 2015, 38,5% são originários da Lei 100. Esta é mais uma medida que se soma aos esforços do governador Fernando Pimentel em minimizar os danos sofridos por esses servidores”, ressalta o subsecretário.

Um grupo de trabalho composto de servidores da Secretaria de Estado de Educação (SEE) e da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) constitui força tarefa para tornar mais ágeis os procedimentos ligados à aposentadoria dos servidores da SEE.
O objetivo do grupo é reduzir passivo de aposentadoria herdado em gestões anteriores. Ao pedirem aposentadoria, os servidores entram em afastamento preliminar de suas atividades enquanto aguardam publicação do Ato. A espera, em alguns casos, chegava a duas décadas.

Estado retoma o Programa de Educação Permanente para Médicos de Família

Iniciativa prevê a qualificação dos médicos da 
Atenção Primária do Sistema Único de Saúde (SUS) em Minas Gerais

Após ser reformulado, o Programa de Educação Permanente para Médicos de Família (PEP) vai ser retomado em Minas Gerais. Durante meses, a Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG) e a Secretaria de Estado de Saúde (SES) debruçaram sobre o tema e aperfeiçoaram o programa de modo a atender os profissionais médicos inseridos na Atenção Primária à Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

A nova versão do programa traz novidades, como a redefinição das áreas de atuação do PEP, que totalizam 18 (veja quadro abaixo), possibilitando a participação de profissionais de todos os municípios mineiros.

“O PEP visa à qualificação dos médicos da Atenção Primária em Saúde, por meio da educação permanente, com ações de integração ensino-serviço. A ideia é que a retomada do programa aconteça com um acompanhamento mais sistemático e qualitativo da ESP-MG e SES”, esclarece a coordenadora do Núcleo de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da ESP-MG, Danielle Silveira.

Os recursos financeiros destinados ao desenvolvimento do PEP são do tesouro estadual. Para o ano de 2016, o valor estimado para a execução do programa é de R$ 15 milhões. De acordo com o Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG), tem-se como objetivo, até 2019, aumentar o quantitativo anual de médicos participantes do Grupo de Aperfeiçoamento Profissional (GAP) do programa.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Quem serão os candidatos a vice-prefeito em Cataguases?


Elias Júnior é professor da SEE-MG

A segunda quinzena de julho começou agitada no meio político de Cataguases. Não é para menos: o prazo para a definição das chapas que concorrerão à eleição majoritária está terminando. Os partidos escondem o jogo pois é estratégica essa definição, haja visto que um vice poderá agregar votos ao candidato a Prefeito. Enquanto a definição não acontece podemos prever cenários e analisar estas possibilidades. Vamos lá?




William Lobo (PSDB) e Maria Lúcia (PSDB)

Maria Lúcia e Willian:
C
hapa  "puro sangue" do PSDB?
A ex-prefeita, ex-deputada e ex-secretária de Educação do Município de Cataguases é um nome muito cogitado para ser vice na chapa de William. A todo instante acompanha o pré-candidato nas visitas que ele faz nos bairros e nas festas pela cidade. Ela nega sempre que é perguntada sobre o assunto, mas é um nome forte dentro do PSDB, partido ao qual se filiou depois de ter saído do Democratas. Se não for vice-prefeita, Maria Lúcia poderá ser a secretária de Educação, uma vez que as Professoras consideraram muito boa sua passagem por aquela pasta. E para quem insiste em dizer, a ex-prefeita pode sim ser candidata, pois já cumpriu a suspensão dos direitos políticos impostos pelo TSE. 

Cesinha (PC do B) e Tatá (PT)

Tatá e Cesinha:
a parceria PT e PC do B pode se repetir.
A dobradinha destes partidos tem tudo para se repetir nesta eleição. Um nome muito forte era do ex-vereador e atual secretário do Partido dos Trabalhadores de Cataguases, Vanderlei Pequeno. Segundo avaliação dos membros da atual gestão do executivo de Cataguases, a Secretaria comandada por Vanderlei Pequeno foi a que mais avançou e por isso poderia agregar votos ao atual Prefeito Cesinha. Inexplicavelmente Pequeno disse que não será candidato a nenhum cargo. Outro nome muito bem também do PT é Sebastião Ruy o “Tatá”. Braço direito de Pequeno na Assistência Social ele pode ser o apoio que Cesinha procura. Não ficaremos admirados se ele vier como vice nesta parceria que já dura 12 anos em Cataguases. 

Antônio Lage (PRB) e Maria Ângela Girardi (PROS)

Maria Ângela Girardi (PROS) e Antônio Lage:
Maurício Rufino é a verdadeira opção?
Antônio Lage é um empresário que busca resultados. Não entrou nessa eleição para perder e para sua campanha quer a médica Drª Maria Ângela Girardi (PROS) ao seu lado. Maria é muito bem avaliada pela população devido à sua atuação na área de ginecologia, projetos sociais e por ser uma forte liderança na Sociedade Médica. Atualmente ela é pré-candidata a vereadora pelo PROS, partido que está na base de apoio de Lage. O vereador Maurício Rufino (PROS) também pode ser candidato a vice e a médica estaria liberada para a disputa no legislativo. O suspense continua. 


Fernando Pacheco (PMDB) e Maria Cristina (PMDB) 

Fernando Pacheco e Maria Cristina:
Sérgio Gouveia vem como vereador?
Outra chapa “puro sangue” para esta eleição. Fernando Pacheco é um vereador atuante e reconhecidamente competente. Segundo consta, convidou a esposa do Dr. Tarcísio Henriques (Srª Maria Cristina) para ser a sua vice na chapa do PMDB. O atual vice-prefeito Sérgio Gouveia optou vir como candidato a vereador e está apoiando a candidatura de Maria Cristina. Por ser uma mulher que sempre se dedicou aos pobres e por ser esposa de um dos políticos mais influentes de nossa cidade, também é um nome que pode atrair muitos votos nesta eleição. Outra possibilidade é de que José Eduardo (Solidariedade) seja vice na chapa encabeçada por Pacheco.

Antônio Hulk (PSOL)
Segundo especulações Hulk é o único que já tem o nome de seu vice-prefeito: Camilo. 

Além destas, nenhuma outra especulação foi realizada. Vamos aguardar os próximos dias para a definição das chapas.

E aí? Qual a sua opinião? 

Julgamento histórico: Superior Tribunal proíbe publicidade dirigida às crianças













A 2ª turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu proibir a publicidade de alimentos dirigida às crianças. Em foco no julgamento estava a campanha da indústria de alimentos Bauducco "É Hora de Shrek”. Com ela, os relógios de pulso com a imagem do ogro Shrek e de outros personagens do desenho poderiam ser adquiridos. No entanto, para comprá-los, era preciso apresentar cinco embalagens dos produtos "Gulosos”, além de pagar R$ 5. A ação civil pública, de autoria do Ministério Público de São Paulo (MP/SP) teve origem em uma atuação do Instituto Alana, que alegou a abusividade da campanha e o fato de se tratar de nítida venda casada. Em sustentação oral, a advogada Daniela Teixeira (do escritório Podval, Teixeira, Ferreira, Serrano, Cavalcante Advogados), representando o Alana, argumentou: "A propaganda, que se dirige a uma criança de cinco anos, que condiciona a venda do relógio à compra de biscoitos, não é abusiva? O mundo caminha para frente. (...) O Tribunal da Cidadania deve mandar um recado em alto e bom som, que as crianças serão, sim, protegidas”.

Proteção à criança

O ministro Humberto Martins, relator do recurso, deixou claro no voto que "o consumidor não pode ser obrigado a adquirir um produto que não deseja”. Segundo ele, trata-se no caso de uma "simulação de um presente, quando, na realidade, se está condicionando uma coisa à outra”. Concluindo como perfeitamente configurada a venda casada, Martins afirmou ser "irretocável” o acórdão do TJ/SP, que julgou procedente a ACP.

O ministro Herman Benjamin, considerado uma autoridade no tribunal em Direito do Consumidor, foi o próximo a votar, e seguiu, com veemência, o relator: "O julgamento de hoje é histórico e serve para toda a indústria alimentícia. O STJ está dizendo: acabou e ponto final. Temos publicidade abusiva duas vezes: por ser dirigida à criança e de produtos alimentícios. Não se trata de paternalismo sufocante, nem moralismo demais, é o contrário: significa reconhecer que a autoridade para decidir sobre a dieta dos filhos é dos pais. E nenhuma empresa comercial e nem mesmo outras, que não tenham interesse comercial direto, têm o direito constitucional ou legal assegurado de tolherem a autoridade e o bom senso dos pais. Este acórdão recoloca a autoridade nos pais”.

Herman afirmou ter ficado impressionado com o nome da campanha (Gulosos), que incentiva o consumo dos produtos, em tempos de altos índices de obesidade. Ouça o voto do ministro Herman Benjamin.Por sua vez, o ministro Mauro Campbell fez questão de ressaltar que o acórdão irá consignar a proteção da criança como prioridade, e não o aspecto econômico do caso. Campbell lembrou, como sustentado na tribuna pela advogada Daniela Teixeira, que o Brasil é o único país que tem em sua Carta Magna um dispositivo que garante prioridade absoluta às necessidades das crianças, em todas as suas formas.

A decisão do colegiado foi unânime, tendo a presidenta, ministra Assusete Magalhães, consignado que o caso é típico de publicidade abusiva e venda casada, mas a situação se agrava por ter como público-alvo a criança. A desembargadora convocada, Diva Malerbi, destacou que era um orgulho participar de tão importante julgamento.

A turma concluiu pela abusividade de propaganda, que condicionava a compra de um relógio de um personagem infantil à aquisição de cinco biscoitos. E não ficou por aí a decisão. Com efeito, os ministros assentaram que a publicidade dirigida às crianças ofende a Constituição e o CDC [Código de Defesa do Consumidor].

Processo relacionado: REsp 1.558.086

Ouça o voto do relator Clicando aqui

domingo, 19 de junho de 2016

Ainda sobre o Malafaia...

Logo depois da repercussão do caso, o pré-candidato a prefeito de Cataguases Willian Lobo (PSDB) postou nas redes sociais que discorda de várias opiniões do Malafaia. Disse que uma das Secretarias que mais avançou em sua gestão foi a Assistência Social (O que eu concordo). Disse que é a favor do programa Bolsa Família e do acompanhamento sistemático para que evite fraudes (o que eu também concordo). Por fim falou que a foto foi tirada antes da entrevista e que o assunto debatido foi a volta dos shows evangélicos em Cataguases para alavancar o turismo (O que eu também concordo). Ainda bem que ele deixou claro isso, pois compartilhar da opinião do pastor seria uma sentença de morte eleitoral.

Detalhe é...

Que muitas pessoas afirmam que existem desvios no Bolsa Família dizendo que "conhece gente que é rico e não precisa, mesmo assim recebe o benefício". Isso é de uma hipocrisia sem tamanho, uma vez que se a pessoa conhece quem está desviando e não denuncia é conivente com a corrupção e tão covarde que se cala.

A verdade é que o povo gosta de criticar sem fatos concretos. Se alguém desvia o recurso é seu dever denunciar. Onde? Na Assistência Social Municipal de Cataguases, no Conselho Municipal da Criança e do adolescente e até mesmo na promotoria da infância ou no próprio site da ouvidoria do governo federal. O que não dá é para continuar falando que existem vagabundos que trocam seu voto por comida... Isso é um absurdo sem tamanho! É um pré-conceito com os usuários do SUAS (Sistema Único de Assistência Social) e uma atitude lamentável que deve ser repreendida por qualquer cidadão, ainda mais quando se trata de um líder religioso que pode formar ou deformar opiniões.

Malafaia no site do Marcelo Lopes...

Foto publicada no site do Marcelo Lopes

















Estou evitando postar opiniões no blog antes de fazer a mudança do leiaute mas não posso ficar calado diante do que li no Site do Marcelo Lopes. Nem sei por onde começo...

Primeiro o Malafaia fala: "Você criticar membros de uma instituição é o estado democrático de Direito. Agora entre você fazer crítica ao Procurador Geral e apoiar uma trama de gente que é citada em delações, aí mudou o jogo". 
Até aí, beleza! Estava começando a me simpatizar com a entrevista, mas eis que começa a disparar absurdos que nos assustam:
Absurdo 1:
"O Eduardo Cunha errou - na minha opinião - quando ele conseguiu construir o impeachment. Ele sabia que não tinha moleza pra ele. Então o que ele tinha que fazer? Renunciar a presidência para salvar o seu mandato. Mas ele não escuta ninguém! Taí o resultado. Nem a presidência, nem o mandato. É só aguardar. Ele procurou isso. Você não pode brigar com todo mundo ao mesmo tempo".

É impressão minha ou nas entrelinhas ele demonstra ser conselheiro bem próximo do Cunha?

Absurdo 2:
"O que é preciso é trabalho e parar com essa compra de voto oficial, essa vagabundagem, essa bandidagem de Bolsa Família, que o cara vai buscar de carro. Certo? É cortar o monte de malandro que está comendo nisso aí, que é a maior compra de voto oficial do país. Não conheço nenhuma nação prosperar dando benesses para "nego" não trabalhar. Eu não conheço isso. Claro que tem um cinturão de miséria extrema no Brasil. Ok. Vamos atender esse. Agora, vinte e cinco milhões de pessoas comendo no Bolsa Família? Vai ver se eu estou na esquina! Isso é bandidagem para comprar voto para ganhar eleição. Essa é que é a verdade" (GRIFO NOSSO).

Precisa explicar os grifos? Para o pastor quem recebe Bolsa Família é vagabundo, bandido e "nego" que vende o seu voto em troca de comida. Que o melhor era acabar com isso, ou seja: cortar o Bolsa Família.

Pegou mal

O pré-candidato a prefeito, William Lobo (PSDB) em pleno ano eleitoral tirar foto ao lado de um "Pastor metralhadora". É um tiro no pé. O pastor defende o Cunha, o rejeitado interino Temer e chama quem recebe o Bolsa Família de vagabundo e bandido que vai buscar seu benefício de carro. Ainda diz que quem recebe o Bolsa Família vendeu seu voto. Quem não simpatiza com o Pastor, recebe bolsa família e condena as atitudes do corrupto Cunha fica com os dois pés atrás na hora de votar no William. Que o Bolsa Família tem desvios, ninguém duvida. É preciso melhorar a fiscalização e punição de quem denigre a imagem do programa. Generalizar o programa e condenar a população que recebe um benefício mínimo para garantir sua segurança alimentar é de uma insanidade elevada. E o cara ainda é pastor! E ainda está na mídia televisiva formando opiniões! Eu só não entendo esse discurso de que o Estado é laico. Acho que é só na hora que convêm.