domingo, 14 de junho de 2015

O Hospital e a corrida eleitoral.

Hospital de Cataguases
Desde que eu me entendo por gente, o Hospital de Cataguases passa por dificuldades financeiras. A qualidade do atendimento nunca agradou a população nem em tempos de vacas gordas. Não sei se é cultural mas até mesmo os exames realizados no HC não gozam de prestígio/credibilidade pela população de Cataguases. O povo é um eterno insatisfeito em relação ao Sistema Único de Saúde. Ele pode até ser exigente, mas nos últimos tempos a qualidade dos serviços do HC estão mesmo deixando a desejar e não é somente agora em momentos de crise dos pagamentos repassados pela Prefeitura Municipal de Cataguases. Não vou nem citar exemplos porque cada leitor deve ter uma reclamação particular para se identificar.

Acho pouco provável que o governo Estadual e Federal  não cumpra seu papel, mesmo em tempos de ajuste orçamentário (leia-se cortes). O que me intriga é o jogo político em torno do tema. 

Vejo nos perfis do Facebook por aí, gente sentada junto acusando, outros da esquerda se defendendo com outras acusações e no final das contas nada de palpável é decidido. 

O ex-prefeito William era o gerente da regional de Saúde do governo anterior. Ele é do PSDB e esse partido governou MG durante quase duas décadas. Dizer que o agravamento da crise é culpa da gestão atual pode ser um tiro no pé. Em seis meses não se absorve uma dívida tão grande assim. Se ele quer ser Prefeito novamente é uma estratégia falha na minha opinião. 

Proposta protocolada no MPE
prevê pagamento de apenas 500 mil
É claro que se a Prefeitura deve tem que pagar. Mas de quanto é a dívida mesmo? Segundo a Direção do HC é de R$ 969.361,68. Aí eu começo a coçar minha cabeça, curiosamente. Se a proposta protocolada pela Procuradoria do Município é de apenas R$ 500.000,00 (Quinhentos mil reais), devendo ser parcelada de duas vezes, e os outros quase 500 mil?

O pulo do gato é: caso aceite a proposta as contas serão auditadas pelo Ministério Público. Pelo texto protocolado, subentende-se que a PMC não concorda com o valor apesentado pela direção do HC. 

Digo isto pela frase em negrito no final do documento. Sendo  o Ministério Público Estadual uma instituição imparcial, que não sofre influências partidárias a dúvida se dissipará e a verdade vai aparecer.

Neste embate entre as duas partes é o povo de Cataguases que ganha ao buscarmos a verdade dos fatos. É para isso que serve oposição e situação: equilibrar o poder. Tem gente que ainda não entendeu este mecanismo democrático, mas ele é extremamente sadio.

Vamos acompanhar.

domingo, 7 de junho de 2015

Cataguases vai sediar etapa final do Marathon Cup MTB de ciclismo

Marathon Cup - Etapa Juiz de Fora


Nos dias 13 e 14 de junho Cataguases vai receber cerca de 400 ciclistas para a etapa final do Marathon Cup MTB 2015. Além da grande prova de Moutain  Bike, que vai definir os campeões do circuito, o evento ainda conta com uma  corrida noturna e um passeio ciclístico. Serão 10 mil reais em premiações, além de brindes para os primeiros  colocados e troféus para todos os atletas que terminarem as competições. A disputa pelo campeonato esquentou ainda mais após a etapa de Santana do Deserto, MG, realizada no mês de maio. A primeira ocorreu em março, em Juiz de Fora. A largada de todas as provas acontece na Chácara Dona Catarina, no centro da cidade. 

Confira a programação:

- 13/06: Passeio ciclístico, 25 km, saída às 09 horas. Inscrição: 1 km de alimento não perecível.

- Corrida noturna, 8 km, saída às 19 horas. Inscrição: R$40,00 + 1 km de alimento não perecível.

- 14/06: Etapa final ciclismo, 40 km, saída às 10 horas. Inscrição em www.bikelight.com.br.

Em Cataguases o evento tem como realizador local o ciclista Newton Leitão,  responsável por viabilizar a prova na cidade. “O percurso para a grande final foi escolhido para agradar os diversos tipos de ciclistas, teremos partes de estrada de terra, trilhas dentro da mata fechada, empurra bike, riachos, downhill alucinantes e muito mais. Serão dois pontos de hidratação e o total do percurso será de 40 km com deslocamento. Será um trajeto igual para todos os ciclistas no intuito de desafiar tanto o amador iniciante quanto o profissional”.

As inscrições para a prova de ciclismo e o passeio ciclístico podem ser realizadas na Bike Shop (32 3422 3491) em Cataguases, ou pelo site: http://www.bikelight.com.br. Já para a corrida noturna, as inscrições podem ser feitas na G Trainning - Núcleo de Treinamento (32 9914 0327) ou no site https://www.centraldacorrida.com.br/night-run-8k-marathon-cup. 

O Marathon Cup é organizado por Felipe Gomes de Souza, que, ao longo dos 18 anos de carreira esportiva também realiza eventos ligados ao ciclismo, em âmbito nacional e internacional. A prova é fiscalizada pela Confederação Brasileira de Ciclismo e Federação Mineira de Ciclismo. 

Em Cataguases, a competição tem o patrocínio da Bike Shop Cataguases, Casa Mattos, Algodão Apollo, Sicoob Coopemata, Paropas, Lopas, Prefeitura Municipal de Cataguases e o apoio do vereador Mauricio Rufino.

Mais informações sobre o evento na página oficial do facebook 

www.facebook.com/MarathonCup2015.

SERVIÇO

Marathon Cup MTB

Quando: 13 e 14 de junho

Local: Catagauases – MG

Contato: Felipe Gomes 032 8859-6759.

Leilão na eleição


Continuam as reuniões dos partidos partidos em Cataguases (não, eu não escrevi errado).  Muita articulação em torno do poder e pouca mobilização para um plano de gestão pública em nossa cidade. Ao que tudo indica teremos poucas novidades para o ano que vem. Já existem prováveis inscritos: Cesinha, William, Ricardo Dias, Canecão, Sérgio Gouveia e Pequeno.


Que comecem os lances: quem dá mais? Quem dá mais?

Uma secretaria de Serviços Urbanos sem recursos humanos e sem maquinário suficiente. Quem dá mais?
Uma secretaria de Esportes sem dinheiro e sem criatividade? Quem dá mais?
Uma secretaria de Cultura com muito discurso e pouco resultado? Quem dá mais?
Uma Secretaria de Saúde cheia de furos nos bolsos. Quem dá mais?
Uma Secretaria de Indústria e Comércio. Que Indústria? Que comércio?
Quem dá mais? Uma Secretaria de Educação sob pressão?
E uma secretaria sem agricultura e meio ambiente? Quem dá mais?
E uma coleta seletiva? E um tratamento de esgoto?
E uma feira de artesanato? Quem vai querer?
Um IPTU com carnê errado (mais uma vez). Quem dá mais?
Uma terceira ponte? Uma creche? Mais "Minha casa, minha vida".
Uma estrada inacabada pela EMPA? Uma UPA?
Uma rodoviária inacabada? Uma folha de pagamento atrasada?

Quem dá mais?

Façam suas apostas. E pode começar a torcer...

MEC aumenta a taxa do ENEM: a culpa é da Dilma?


Por Elias Júnior
     As inscrições para o ENEM terminaram no último sábado, dia 05/06/2015. Tem muita gente reclamando que o MEC exagerou ao aumentar a taxa de inscrição de R$ 35,00 para R$ 63,00. Esse aumento não ocorre desde 2004 e segundo a assessoria de imprensa do MEC o objetivo é coibir as ausências, uma vez que o gasto com alunos faltosos é muito grande.

     Eu sou um dos colaboradores do INEP em Cataguases e posso testemunhar que o discurso procede. A falta sem justificativa é enorme. A geração lek lek não consegue entender que só pintar a cara e reclamar do petrolão não vai salvar o Brasil da corrupção. Eles ainda não se deram conta de que fazer inscrição do ENEM e não comparecer é desperdiçar recursos físicos e financeiros à custa dos impostos que seus pais costumam sonegar.

     Ainda de acordo com o MEC, alunos do terceiro ano do Ensino Médio das escolas públicas estão isentos, mas quem fizer a inscrição e não comparecer à prova em 2015 deverá pagar a inscrição no ano que vem se quiser fazer a avaliação.

     Estava passando da hora! A quantidade de recurso público destinado a aplicadores em salas regulares e em atendimento educacional especializado (ledores, intérprete de libras, aplicadores sabatistas, etc.) é enorme. O candidato simplesmente não comparece e fica por isso mesmo.

     Ao final do formulário de inscrição do ENEM 2015, o candidato tinha a opção de "Declarar carência", informando não ter condições financeiras de pagar os R$ 63 e afirmando ter os documentos necessários para comprovar sua condição. O sistema aprova ou nega automaticamente o pedido de isenção, conforme as informações declaradas no questionário.

     Detalhe: não conheço ninguém que tenha sido convocado pelo MEC a comprovar sua “condição” de insuficiência financeira.

Resumindo:

     Os candidatos abusavam do pedido de carência por não haver fiscalização. Não compareciam ao exame e... “morreu Maria”. Agora com a crise financeira e precisando cortar gastos, o MEC “descobriu” formas de coibir este abuso praticando outro abuso: o de preço. O aumento foi de 80%.

     Da forma como está sendo conduzido o aumento, uma parcela muito grande de estudantes não conseguiu a isenção porque sua concessão estava atrelada ao questionário socioeconômico. Este questionário por sua vez estava mais superficial que nas edições anteriores e através dele não é possível definir com clareza a condição de carente do estudante. Talvez a utilização do Cadastro Único do  SUAS (Sistema único de Assistência Social) fosse o mais adequado. 

     Em minha opinião o MEC acerta ao apertar o cerco à corrupção (modificação, adulteração das características originais de algo) e pune também o jovem que realmente precisa da isenção. Não precisava de espingarda para matar um camundongo!

     E respondendo à questão inicial: a Dilma tem culpa sim. Por nomear pessoas que praticam aumento abusivo de preços. Cabe até uma ação civil pública. Onde estão os dirigentes da UNE nesta hora? Devem estar fazendo carteirinhas de estudante ao som do funk ostentação. Modernos tempos!

domingo, 31 de maio de 2015

Quem vai querer o padrão FIFA agora?

Coxinhas de plantão: vocês que urravam escolas padrão FIFA, Saúde padrão FIFA, Presidenta padrão FIFA...

E agora?

Que padrão é esse?