domingo, 18 de julho de 2010

Cataguases já dispõe dos recursos para o novo Abatedouro Municipal


por Ass. Com. PMC
16/07/2010 08:00

Na última semana de junho, o Prefeito Willian Lobo de Almeida
encontrou-se em Belo Horizonte com o Secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Gilman Vian
a Rodrigues, quando ficou formalizado o convênio do município com a aquela Secretaria de Estado, destinando R$ 800 mil para a construção do novo Abatedouro Municipal, no bairro São Diniz. Nas próximas semanas, será aberto o processo licitatório para definir a empresa responsável pela execução da obra, que deverá estar pronta no prazo de 12 meses. A contrapartida dos cofres municipais será de R$ 95.800,34. A edificação do novo abatedouro conta com a assistência do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), entidade vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

"O atual abatedouro do bairro Popular é antigo, funciona desde a década de 50 do século passado e sua manutenção naquela região já urbanizada e crescente da cidade passou a ser um problema", reconhece o presidente da Associação de Produtores de Carne de Cataguases, Marson Luís Costa Dias. Também entusiasmado com a obra, o tesoureiro da Associação, Marco Aurélio Xavier Duarte, lembra que "sem as novas instalações, corríamos o risco de ter que transferir o abate da produção local para a cidade de Ubá, o que representaria uma grande perda para Cataguases". Ainda segundo Marco Aurélio, a construção do abatedouro vai contribuir para a melhoria dos processos de comercialização dos animais, oferecendo aos produtores um mercado mais seguro e com novas oportunidades.

O Secretário Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, José Emilton Silva, ressalta que o objetivo primordial é garantir as boas condições de higienização no abate de animas, já que os novos procedimentos do ponto de vista ambiental e sanitário têm sido cada vez mais rigorosos, o que, futuramente, poderia inviabilizar ou dificultar ainda mais a manutenção das atividades do atual abatedouro. "Precisamos assegurar a qualidade dos alimentos para um mercado consumidor estimado em 80 mil pessoas", acrescentou. A nova unidade vai também atender à demanda dos municípios de Miraí, Santana de Cataguases, Astolfo Dutra, Dona Euzébia e Itamarati de Minas.

O terreno onde será edificado o abatedouro, no bairro São Diniz, fica distante da zona urbana, mas em local de fácil acesso e a sua estrutura estará entre as mais modernas do Estado, conforme garantiu o Secretário Gilman Viana Rodrigues: "Será construído em condições de se adequar às mais modernas técnicas de abate, assegurando a oferta de carne de melhor qualidade para o consumo e com total segurança alimentar". Segundo ele, o projeto prevê instalações que atendem aos mais exigentes requisitos dos ministérios da Agricultura e da Saúde quanto às condições de abate e armazenameto em modernas câmeras frigoríficas.

De acordo com as mais atuais rotinas de abate, o gado é colocado em um box e seu sacrifício é humanizado com o uso de uma pistola pneumática. Em seguida, o corpo do animal é guinchado pela perna, através de um moderno sistema com trilhos aéreos, e levado para o tanque de sangria. Desse modo, todo o manuseio da carne é realizado a mais de um metro do chão, tornando praticamente nula a possibilidade de algum tipo de contaminação. O animal é tratado e as carcaças produzidas atendem a todas as condições de higiene. Atualmente, em média, 50 cabeças de bois e outras 50 de suínos são abatidas.