segunda-feira, 12 de julho de 2010

Candidatos a deputados em Cataguases






X

Aquecendo os motores, das eleições muita coisa já começou a se comentar nos bastidores partidários. Em Cataguases, reuniões, contatos e articulações são feitas a todo instante, preparando as lideranças para a disputa do pleito. Além de candidatos de fora, que querem abocanhar os votos dos Cataguasenses, uma disputa caseira é que mais promete medir forças: a de deputado/a estadual. De um lado Maria Lúcia Soares de Mendonça, velha conhecida dos Cataguasenses. De outro, o jovem vereador Guilherme Valle. Não é novidade pra ninguém, que Guilherme assumiu o cargo de vereador dizendo que quer ser o próximo prefeito. Mas será mesmo que esta candidatura é para vencer ou dar visibilidade ao candidato do PSC? Maria Lúcia ainda tem prestígio mesmo depois do alto índice de rejeição nas últimas eleições municipais? A ex-prefeita diz que sua base eleitoral está em mais de cem cidades. Não duvidem, se a Fênix ressurgir das cinzas. Não sei do futuro destas eleições, só sei que Cataguases precisa mudar, e mudar pra valer. Não, não é trocadilho nem bordão eleitoral. A cidade necessita de oxigenação. Tanto de políticos, como eleitores. Há pouco tempo discutia-se a concessão do tratamento de esgoto e a população continuava rumando como gado, alheia ao mote, como dizia aquela canção. A votação do projeto em época de copa do mundo foi coincidência ou conveniência? Também não sei. De uma coisa tenho certeza: vamos medir nas urnas a aprovação do eleitorado Tucano de Wiliam Lobo. Se seus candidatos (Os Castro) tiverem uma boa performance na eleição, em Cataguases, poderemos entender o prestígio dele e seus correligionários. Pelo que ouço nas ruas, seu prestígio não é o mesmo de quando foi eleito. O vento da mudança ainda é brando e quase imperceptível. Se a Tucanada perder, teremos uma prefeitura órfã: sem governador, sem deputados e sem prestígio em BH. Muitos acusam o prefeito de governar de BH, à distância.
Opinião minha e de entendidos no assunto: a solução deve ser caseira: é melhor começar a andar com as próprias pernas e pensar com a própria cabeça. O estrabismo político é um mal que paira sobre a cabeça dos governantes brasileiros. Você pode soprar, soprar, seu lobo, mas a casa é de pedra.
" Diz-me com quem andas e eu te direi quem és".


Por Elias Júnior
(Apenas mais um zé do povo)