sábado, 23 de outubro de 2010

Mulher de José Serra é acusada de fazer aborto.

A edição do dia 16 de outubro da Folha de S.Paulo trouxe reportagem revelando que Mônica Serra fez um aborto quando estava exilada com o marido, José Serra (PSDB), no Chile. O jornal traz depoimentos de ex-alunas de Monica no curso de dança da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Uma delas é a bailarina Sheila Canevacci Ribeiro, filha da socióloga Majô Ribeiro, pesquisadora do Núcleo de Estudos da Mulher e Relações Sociais de Gênero da USP, fundado pela primeira-dama Ruth Cardoso (1930-2008) e vice-prefeita de Osasco pelo PSDB. Sheila afirma que não é filiada a partido político. Diz ter votado em Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) no primeiro turno. No segundo, estará no Líbano, onde participará de performance de arte. A história de Mônica veio a público devido à polêmica que se envolveu após ser acusada de ter dito no Ro de Janeiro que Dilma Rousseff (PT) "matava criancinhas", quando se referiu à posição da adversária do marido sobre a descriminalização do aborto no país. "Não sou uma pessoa denunciando coisas. Mas [ela é] uma pessoa pública, que fala em público que é contra o aborto, é errado. Ela tem uma responsabilidade ética", declarou a ex-aluna de Mônica.