segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Nova Friburgo repudia matéria da revista VEJA

NOTA CONJUNTA DE REPÚDIO

O PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, A DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, A OAB/RJ, POR SUA 9ª SUBSEÇÃO, O MUNICÍPIO DE NOVA FRIBURGO, O DIRETOR DO IML-AP/RJ E O DELEGADO DE POLÍCIA TITULAR DE NOVA FRIBURGO, vem apresentar nota conjunta repudiando a matéria publicada na Revista Veja, edição 2200, ano 44, nº 03, de 19 de janeiro de 2011, em especial, o conteúdo do último parágrafo de fls. 54 até o primeiro parágrafo de fls. 56, em razão de seu conteúdo totalmente inverídico, conforme será esclarecido a seguir:

1) Inicialmente, cumpre esclarecer que em momento algum os corpos da vítimas fatais ficaram sobrepostos uns sobre os outros no Instituto de Educação de Nova Friburgo, local em que foi montado um posto provisório do IML, em razão da catástrofe que assolou toda esta região, mas sim acomodados separadamente lado a lado no ginásio do Instituto;

2) O acesso ao referido Instituto foi limitado às autoridades públicas e aos integrantes das Instituições inicialmente referidas, sendo certo que o ingresso dos familiares no local para a realização de reconhecimento somente foi permitido após autorização de um dos integrantes das mencionadas instituições e na companhia permanente do mesmo;

3) A liberação dos corpos para sepultamento somente foi autorizada após o devido reconhecimento efetuado por um familiar, sendo totalmente falsa a afirmação de que “ao identificar um conhecido, bastava levá-lo embora, sem a necessidade de comprovar o parentesco”. Frise-se, que mesmo com o reconhecimento, foi realizado posteriormente procedimento de identificação pelos peritos da Policia Civil do Estado do Rio de Janeiro, bem como de outros cedidos pela Polícia Civil de São Paulo, pela Polícia Federal e pelo Exercito Brasileiro, estes por intermédio da Secretaria Nacional de Segurança Pública, com a análise da impressão digital, do exame de arcada dentária e exame de DNA;

4) Ademais, cada um dos falecidos foi colocado em uma urna e sepultado individualmente, não existindo qualquer tipo de sepultamento coletivo, mas sim vários sepultamentos individuas e simultâneos no mesmo cemitério;

5) Em meio a infeliz perda de 371 vidas, somente neste Município de Nova Friburgo (até presente momento) é importante registrar que houve apenas 03 (três) casos de divergência dos reconhecimentos feitos pelos parentes, os quais estão sendo devidamente esclarecidos pelos peritos do IML/Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, através do exame das impressões digitais, das arcadas dentárias e do exame de DNA.

Assim, ao contrário do que a narrativa contida na matéria publicada leva o leitor a concluir, não houve uma feira livre na busca e no sepultamento de corpos, mas ao contrário, um trabalho sério realizado por profissionais exemplares, dedicados e comprometidos em minimizar, naquilo em que era possível, o sofrimento da população local, e ainda preservar, dentro das possibilidades existentes, a ordem e a saúde pública.

Aliás, o respeito pelas famílias e pelos corpos dos cidadãos falecidos não permitiria que os mesmos fossem tratados pelas autoridades da maneira descrita pelas jornalistas.

Assim, é com extremo pesar, que em meio a um evento trágico e que entristeceu a todos, tenhamos que vir a público repudiar as inverdades publicadas, de cunho meramente sensacionalista, a fim de evitar que o desserviço gerado pela matéria venha a causar mais prejuízo, sofrimento e comoção aos familiares das vítimas e a toda nossa comunidade.

Nova Friburgo, 21 de janeiro de 2011.

Paulo Vagner Guimarães Pena
Juiz de Direito
Dirigente do Fórum e do 9º NUR-N. Friburgo
Matrícula 21.121

Fernando Luis G. de Moraes
Juiz de Direito
Matrícula 29.813

Gustavo Henrique Nascimento Silva
Juiz de Direito
Matrícula 27.318

Hédel Nara Ramos Jr.
Promotor de Justiça
Coordenador Regional do Ministério Público
Matrícula 1.287/MPRJ

Dermeval Barboza Moreira Neto
Prefeito do Município de Nova Friburgo

Marcelo Barucke
Defensor Público
Coordenador Regional da Defensoria Pública
Matrícula nº 817.882-4

Carlos André Rodrigues Pedrazzi
Advogado – OAB/RJ nº 59820
Presidente da 9ª Subseção da OAB/RJ

Rômulo Luiz de Aquino Colly
Advogado – OAB/RJ nº 110.995
Vice-Presidente da 9ª Subseção da OAB/RJ

Sérgio Simonsen
Perito Legista
Diretor do IML-AP/RJ
Matrícula 872.246-4

José Pedro Costa da Silva
Delegado de Polícia de Nova Friburgo
Matrícula 823.230-8

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Sugestão do internauta:




"Depois do dia do Fluminense, Cataguases deveria criar a Rua Ronaldinho Gaúcho".










Imagem: http://www.radiogaucha.com.br/rbs/image/10086775.jpg

COPASA em Cataguases: Cobrança vai começar

Empresa recebe carta branca da prefeitura e Cataguasense paga a conta.

    Aprovado em 23 de dezembro, lei que isentou a COPASA de pagar impostos possibilitará a exploração do serviço sem cair um só centavo na conta de tributos municipais. Semana passada o convênio foi assinado e agora, o próximo passo será a discussão do contrato de programa entre o município e a empresa. Este contrato passará pela câmara e ouve-se que a empresa quer cobrar antecipadamente quando ainda estiver construindo as estações de tratamento. Em algumas cidades, o judiciário já deu sinais de oposição a esta cobrança, antes do oferecimento do serviço. Agora é hora do povo acordar e ficar de olho, cobrando condições satisfatórias para a prestação do serviço. 
   Que Cataguases está em plena decadência ninguém ousa duvidar. Somos vizinhos da Guanabara. Lá, onde o ICMS é mínimo, o crescimento é visível. Mas e aqui? Enquanto o Brasil inteiro cresce, Cataguases padece no ostracismo típico de comunidades alienadas que submergiram na história. A humanidade sempre foi movida por desafios e se hoje eu posto minhas opiniões na internet é porque muitos “Homens” com “H” maiúsculo, e mulheres com “M” maiúsculo, dedicaram suas vidas ao progresso e ao conhecimento. Não parece ser o caso da nossa cidade. Covardemente a prefeitura entregou o tratamento de esgoto à COPASA, com medo de criar uma autarquia para gerir ou até mesmo negociar em melhores condições o tratamento de esgoto dos Cataguasenses. Leopoldina fez diferente: criou sua autarquia e receberá uma bolada do PAC - Governo Federal. Agindo assim, o prefeito Bené faz girar a economia, criando empregos e fazendo circular o dinheiro no comércio. Não é mágica, Keynes deu a dica há muito tempo. Nossa cidade, antes modernista, parou em 1950. Prostituíram nossa inteligência e nossa capacidade de inovar. Francisco Inácio Peixoto, se vivo estivesse, estaria envergonhado da atitude galinácea de nossos gestores públicos. Homem inovador, um dia sonhou uma Cataguases diferente... e fez. Hoje, não somos águias. Somos galinhas subnutridas, que ciscam sem parar, se orgulhando de botar alguns ovos de vez em quando. Se eu fosse cruel, diria bem feito. Bem feito para os eleitores que vendem seus votos por um exame de sangue, uma consulta, cinqüenta reais, cesta básica ou uma mudança de caminhão. Mas como amo esta cidade, eu prefiro dizer “que vergonha”. Para quem só sabe reclamar, é mais fácil falar que político é tudo igual: Político não presta! Desta forma, mantemos nossa imagem imaculada de pobres eleitores enganados e arrumamos um bode expiatório para nossa imcompetência em eleger e cobrar uma ação efetiva dos nossos governantes. A prefeitura apresentou e nove vereadores votaram a favor do projeto imperial da COPASA. Apenas o vereador Vanderlei Pequeno votou contra! Ele queria uma ampla discussão com a sociedade, conforme salienta a lei 11.445/2007, no seu artigo 51. Para não estar fora da legalidade, os gestores públicos colocaram uma faixa na chácara Dona Catarina pedindo sugestões por e-mail. É esse o conceito que a prefeitura tem de participação popular? Confesso que estou decepcionado. Mudança pra valer, não era essa a promessa? Cavalos e cães soltos nas ruas, cidade sendo administrada como nos velhos tempos do coronelismo, barganhas políticas, duas secretarias sendo ocupadas por uma só pessoa, mídia sendo comprada. A que ponto chegamos! Com relação à COPASA, quando a conta vier, será que o povo vai acordar? Ou será que vamos preferir assistir “Passione”?

O LOBO E O CORDEIRO

Fábula baseada no conto de La Fontaine


O cordeiro bebia água no córrego que corria em um trecho de terreno inclinado, quando avistou um lobo que fazia a mesma coisa um pouco mais acima de onde ele estava. O pequeno animal bem que tentou se esconder atrás de uma moita, mas antes que pudesse fazê-lo, a fera também o avistou, e como ela estava cansada e irritada com a fome que fazia seu estômago doer, foi logo perguntando com cara de poucos amigos:

- Como é que você se atreve a sujar a água que estou bebendo?

E o cordeiro respondeu:

- Senhor lobo, eu não estou sujando nada, porque como a água está vindo daí para cá, não é possível que isso aconteça.

Mas o lobo retrucou:

- Isso não interessa, porque você vai ter que me explicar por que andou falando mal de mim no ano passado.

- Mas senhor lobo, no ano passado eu ainda não havia nascido.

- Se não foi você, então foi seu irmão.

- Me perdoe, senhor lobo, mas eu não tenho irmão, sou filho único.
- Se não foi você, então foi algum conhecido seu, algum outro cordeiro, o cachorro que guarda o rebanho, ou até mesmo o pastor. O fato é que eu fui ofendido e por isso preciso me vingar.

E então o lobo avançou sobre o cordeiro indefeso, agarrou-o com os dentes e foi embora à procura de um lugar tranqüilo onde pudesse comer a sua presa.


Moral da história: Infelizmente, a razão do mais forte é a que sempre prevalece. 

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Cavalos soltos em Cataguases: ninguém pode fazer nada?

Entra ano e sai ano o descaso continua. Para falar a verdade nem sei se é interesse da prefeitura. Cavalos soltos pelas ruas dão o ar de abandono que a cidade padece. Liguei pra prefeitura e disseram que era com a polícia rodoviária. Liguei pra polícia rodoviária disseram que era com a defesa civil. Sargento Jorge disse que nada pode fazer. Fiquei sabendo que o município não tem mais convênio com a polícia rodoviária estadual que era quem recolhia os animais. Mudança pra valer... Onde?

Começou a Big Baixaria Brasil

Boninho disse por meio de seu Twitter  neste domingo (9) que vale tudo no reality, inclusive agressões físicas. "Pronto! iiberei [sic] a porrada entre eles! Será que vai rolar???" O diretor do programa contou ainda na rede social que iria visitar os confinados no hotel onde estão hospedados para reiterar as regras do BBB11. "Hora de ir para o hotel passar as regras com os brothers e avisar que vale porrada!!! Rsrsrsrsrsrsrsr". Em novembro do ano passado, o "Boss" havia afirmando também por meio de seu Twitter que iria liberar as brigas físicas entre os BBBs. "Vai valer tudo, até porrada", disse na época Boninho. No entanto, ele desmentiu a informação pouco tempo depois.