sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

COPASA em Cataguases: Cobrança vai começar

Empresa recebe carta branca da prefeitura e Cataguasense paga a conta.

    Aprovado em 23 de dezembro, lei que isentou a COPASA de pagar impostos possibilitará a exploração do serviço sem cair um só centavo na conta de tributos municipais. Semana passada o convênio foi assinado e agora, o próximo passo será a discussão do contrato de programa entre o município e a empresa. Este contrato passará pela câmara e ouve-se que a empresa quer cobrar antecipadamente quando ainda estiver construindo as estações de tratamento. Em algumas cidades, o judiciário já deu sinais de oposição a esta cobrança, antes do oferecimento do serviço. Agora é hora do povo acordar e ficar de olho, cobrando condições satisfatórias para a prestação do serviço. 
   Que Cataguases está em plena decadência ninguém ousa duvidar. Somos vizinhos da Guanabara. Lá, onde o ICMS é mínimo, o crescimento é visível. Mas e aqui? Enquanto o Brasil inteiro cresce, Cataguases padece no ostracismo típico de comunidades alienadas que submergiram na história. A humanidade sempre foi movida por desafios e se hoje eu posto minhas opiniões na internet é porque muitos “Homens” com “H” maiúsculo, e mulheres com “M” maiúsculo, dedicaram suas vidas ao progresso e ao conhecimento. Não parece ser o caso da nossa cidade. Covardemente a prefeitura entregou o tratamento de esgoto à COPASA, com medo de criar uma autarquia para gerir ou até mesmo negociar em melhores condições o tratamento de esgoto dos Cataguasenses. Leopoldina fez diferente: criou sua autarquia e receberá uma bolada do PAC - Governo Federal. Agindo assim, o prefeito Bené faz girar a economia, criando empregos e fazendo circular o dinheiro no comércio. Não é mágica, Keynes deu a dica há muito tempo. Nossa cidade, antes modernista, parou em 1950. Prostituíram nossa inteligência e nossa capacidade de inovar. Francisco Inácio Peixoto, se vivo estivesse, estaria envergonhado da atitude galinácea de nossos gestores públicos. Homem inovador, um dia sonhou uma Cataguases diferente... e fez. Hoje, não somos águias. Somos galinhas subnutridas, que ciscam sem parar, se orgulhando de botar alguns ovos de vez em quando. Se eu fosse cruel, diria bem feito. Bem feito para os eleitores que vendem seus votos por um exame de sangue, uma consulta, cinqüenta reais, cesta básica ou uma mudança de caminhão. Mas como amo esta cidade, eu prefiro dizer “que vergonha”. Para quem só sabe reclamar, é mais fácil falar que político é tudo igual: Político não presta! Desta forma, mantemos nossa imagem imaculada de pobres eleitores enganados e arrumamos um bode expiatório para nossa imcompetência em eleger e cobrar uma ação efetiva dos nossos governantes. A prefeitura apresentou e nove vereadores votaram a favor do projeto imperial da COPASA. Apenas o vereador Vanderlei Pequeno votou contra! Ele queria uma ampla discussão com a sociedade, conforme salienta a lei 11.445/2007, no seu artigo 51. Para não estar fora da legalidade, os gestores públicos colocaram uma faixa na chácara Dona Catarina pedindo sugestões por e-mail. É esse o conceito que a prefeitura tem de participação popular? Confesso que estou decepcionado. Mudança pra valer, não era essa a promessa? Cavalos e cães soltos nas ruas, cidade sendo administrada como nos velhos tempos do coronelismo, barganhas políticas, duas secretarias sendo ocupadas por uma só pessoa, mídia sendo comprada. A que ponto chegamos! Com relação à COPASA, quando a conta vier, será que o povo vai acordar? Ou será que vamos preferir assistir “Passione”?