terça-feira, 21 de junho de 2011

Cataguases está na lista das 20 cidades com mais notificações de dengue em MG

As informações são da Secretaria Estadual de Saúde.O carro fumacê passa por diversas ruas de Cataguases, mas o número de casos é impressionante. Aprenda a fazer uma armadilha caseira para ajudar na guerra contra a dengue.
ATENÇÃO:  
A armadilha não substitui o trabalho do agente epidemiológico da prefeitura. É uma ferramenta auxiliar. Receba bem os agentes e faça a sua parte, colaborando com a fiscalização.

Amostras de leite são recolhidas em Leopoldina

Por MGTV Panorama  
 
A Polícia Federal e o Ministério Público investigam a adulteração de leite Longa Vida, o de caixinha, na Cooperativa de Produtores de Leite de Leopoldina (LAC).
Policiais federais estiveram na cooperativa na última sexta-feira (17) com mandado de busca e apreensão para recolher amostras de leite integral UHT, o leite de caixinha. A operação contou com o apoio do Laboratório Nacional Agropecuário, vinculado ao Ministério da Agricultura. A Cooperativa dos Produtores de Leite de Leopoldina é a maior da Zona da Mata mineira. Por dia, ela recebe pelo menos 150 mil litros de leite de 22 municípios da região. O laticínio fabrica derivados como manteiga, requeijão e queijo muçarela, além de leite UHT.
Segundo a Polícia Federal, laudos periciais já haviam indicado que o produto teria água, açúcar e cloretos como o sal para aumentar a quantidade de leite comercializada. O produto adulterado se tornaria impróprio ao consumo.

Surpresa
As equipes de reportagem e produção da TV Panorama procuraram os diretores da LAC, mas ninguém foi encontrado para falar sobre o assunto. Os produtores que apareceram na cooperativa também não quiseram comentar. Nos mercados em Leopoldina, a notícia pegou os consumidores de surpresa.
A investigação da Polícia Federal e do Ministério Público chamada de Operação 'Ouro Branco 2', foi deflagrada também no município de Campo Belo, no Sul de Minas. Nesta segunda-feira (20) a polícia voltou à empresa Novamix, que produz o leite 'Fazenda Mineira'. Nos dois laticínios foram coletadas amostras para perícia.
Em outubro de 2007, 27 pessoas foram presas em Minas Gerais por crimes contra a saúde pública cometidos por cooperativas suspeitas de adulterar leite.

Oitenta e cinco mil maços de cigarros são apreendidos em Cataguases

Por MGTV Panorama


Oitenta e cinco mil maços de cigarros contrabandeados foram apreendidos nesta sexta-feira (17) em Cataguases. Uma operação da Polícia Federal em conjunto com a Polícia Militar chegou a dois locais que comercializavam o produto. As 170 caixas de cigarro vindas do Paraguai estariam sem nota fiscal. Mario Vicente Pereira Filho, de 54 anos, e Rodrigo Henrique Pereira, de 30 anos, foram detidos.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

VI CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE CATAGUASES



   17 E 18 DE JUNHO DE 2011
     Local: Policlínica Municipal Dr. José Júber Ribeiro
     Praça José Simão Silva

Participem!

Onde está o site da Câmara Municipal de Cataguases?

     Venho acompanhando desde o início do ano a implementação das reformas do site da Câmara de vereadores de Cataguases. Mas até agora, não foi feito nada e pior: o site está fora do ar. Confesso que fiquei animado com a possibilidade de acompanhar pela internet as sessões, já que trabalhando o dia inteiro e fica complicado ir pessoalmente à uma sessão. Se você cataguasense, um dia aparecer por lá para fazer valer sua opinião tome cuidado: você poderá ser interrompidos no seu direito de falar, se Vossas Excelências se sentirem ofendidos, como foi o caso do Professor Luciano. Você também poderá ter o ônus de ter que acompanhar a votação de projetos importantíssimos como: Lei do dia do torcedor Fluminense, Lei para cumprir a lei, Lei que cria logradouros, etc. Justamente por isso, gostaria de poder gravar as sessões e colocar no Youtube. Aos cidadãos que não acompanharem, eu poderia enviar o link e mostrar como foi a aprovação do parecer da COPASA, pelo vereador Guilherme Valle: cinco minutos. Este foi o tempo gasto para "analisar" o contrato e seus anexos. Também gostaria de poder mostrar as cochiladas de alguns vereadores durante a sessão e os dez laptops adquiridos pela Câmara e quase não são usados. Daqui há pouco vamos ter que criar uma lei para cochilar mais baixo durante a reunião semanal para não atrapalhar a acalorada discussão e exigir um curso básico de informática para quem exercer o cargo. 
     Bom, prefiro ficar dando minha opinião no blog, pois aqui não vão tirar o meu direito porque a  constituição me garante o livre pensamento e manifestação. De certo que já recebi ameaças anônimas, mas estas não me intimidam, pois "se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão".      
     Alguns vereadores acham que democracia é cortar o microfone de quem paga imposto e distribuir sopa de pé de frango, fazer uma mudança ou andar com bolsa de remédio, distribuindo aos pobres. A que ponto chegamos, Cataguases?
     Se até semana que vem o site não voltar, começarei a fazer uma mobilização pela internet para criar um abaixo assinado, exigindo maior transparência e publicidade da Câmara de Vereadores de Cataguases. 
    Aos ilustres vereadores, mando uma mensagem: Vossas Senhorias estão perdendo a oportunidade de criar um site com transmissão ao vivo, com chat para participação de internautas e um fale conosco, útil e eficiente. É pedir demais? Vocês tem interesse em mostrar a discussão pela internet e dar a possibilidade de colocar no Youtube? 
     Faço um convite aos eleitores Cataguasenses: repensem a postura frente ao legislativo, participem mais e cobrem mais. É ridículo ouvir algumas pessoas dizer que discordar da opinião de vereador, é desrespeitar a opinião do povo. Se assim fosse, a câmara de deputados seria um mero departamento, sem fiscalização nenhuma.Faça valer seu direito e seu dinheiro. Somos nós quem pagamos esses caras. Fora interesseiros! Precisamos de pessoas que querem fazer a  cidade progredir.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Festival de Inverno da UFMG em Cataguases.



Já estão a todo vapor os preparativos para a realização, em Cataguases, do Festival de Inverno da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O Festival acontece de 14 a 24 de julho e vai movimentar a cidade com intensa programação. Inscrições aqui.

Em sua 43ª edição, o Festival de Inverno da UFMG ganha nova configuração e retoma a tradição de itinerância, acontecendo em Cataguases, Tiradentes, Diamantina, Brumadinho (Inhotim) e Belo Horizonte. A programação inclui cursos, oficinas, debates, exposições, cinema, shows e espetáculos teatrais, com várias atividades abertas ao público.
O Festival de Inverno é uma realização da Universidade Federal de Minas Gerais, com apoio local do Instituto Cidade de Cataguases, Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho, Fábrica do Futuro, Instituto Francisca de Souza PeixotoPrefeitura Municipal de Cataguases
Em Cataguases, o evento resgata o legado vanguardista na área do cinema - com a obra do pioneiro Humberto Mauro no início do século passado e, nos dias de hoje, com a implantação do Polo do Audiovisual na região - abrigando ações relacionadas ao audiovisual e às mídias digitais, em especial as que sejam regidas pela criação e inovação.
“A Universidade é de Minas Gerais, não só de Belo Horizonte. Foi pensando nisso que resolvemos ampliar o circuito de realização do Festival de Inverno. O tema dessa edição é “Cidade, Cultura e Desenvolvimento” e em cada cidade haverá uma diretriz, em Cataguases será “Tecnologia de ponta”, diz João Antonio de Paula, pró-reitor de Extensão da UFMG.
Com esse propósito, o Festival oferece quatro oficinas de formação mais especializada, destinadas a quem já atua no setor do audiovisual, e uma oficina para iniciantes - ”A/V Performance - Live Images e Vídeo Mapping”. Para quem não conhece, Gustavo Baldez, designer da Fábrica do Futuro, explica: “essa é uma oficina de imagens ao vivo, como um DJ de imagens, o VJ, como é chamado. Ela ainda contempla um trabalho de mapeamento de superfícies que ajuda o VJ a projetar em superfícies "irregulares" como fachadas de casa e prédios”. 

Maiores informações no site da UFMG, clicando aqui

Fonte: http://vj.1mpar.com/

Ficha Limpa de Cataguases pode ser engavetada pela Câmara

Entrou em discussão na câmara de vereadores, o projeto de lei que pretende moralizar as contratações do Legislativo e Executivo de nossa cidade.

Vereadores podem engavetar a lei.
Previsto para ser votado na sessão de ontem, o projeto de lei  nº 002/2011 que disciplina as nomeações para Cargos em Comissão no âmbito dos órgãos do Poder Executivo e Legislativo do Município de Cataguases(Ficha Limpa) teve o parecer contrário da procuradoria da Câmara e da Comissão de Constituição e Justiça apesar da argumentação da legalidade e constitucionalidade.

Os autores do projeto são os vereadores Vanderlei Pequeno (PT), Guilherme Valle (PSDC) e Canecão (PR). Apesar da apresentação tríplice, o projeto ainda não emplacou. Ainda na fase de discussão dos pareceres, o vereador Eduardo Schelb, relator da Comissão de Constituição e Justiça, pediu o adiamento da discussão e votação do projeto para a próxima sessão, no dia 21, terça-feira, 18h e 30 min.

Na sessão, o vereador Pequeno defendeu que as premissas do projeto são as mesmas que estão contidas na Lei Complementar 135/2010(Ficha Limpa Nacional) e no artigo 37 da Constituição Federal que estabelece os princípios da legalidade, impessoalidade e transparência no setor público. Projetos similares já foram aprovados em várias cidades do país, por unanimidade e segundo o vereador a câmara de Cataguases estaria "perdendo o trem da História" ao não aprovar o projeto "Ficha Limpa Cataguasense".

NO CALÇADÃO

Os autores prometeram conscientizar a população e buscar apoio através de abaixo-assinado no calçadão de Cataguases nesta sexta-feira (17) e no sábado(18), na parte da manhã. 

DESGASTE DA CÂMARA E REPERCUSSÃO DO CONTRATO DA COPASA

A aprovação do contrato com a COPASA em caráter de urgência, isentando de impostos e cedendo imóveis da prefeitura não soou bem aos ouvidos do Cataguasenses. O tratamento de esgoto é essencial mas a cobrança antecipada de 45% dos serviços está desgastando a imagem de quem apoiou o contrato. A prefeitura se defende alegando que a empresa cobrará pela manutenção do serviço e só cobrará 75% de aumento quando começar o tratamento. Mesmo assim, vários Cataguasenses (especialmente opositores do prefeito William) se sentem lesados e prometem entrar na justiça para impedir a cobrança. Em outras cidades a sociedade civil conseguiu impedir judicialmente a cobrança. A entrevista dos diretores da COPASA na rádio também não causou boa impressão. A mensagem passada foi: o contrato está fechado e o prefeito assinará mesmo se todo mundo for contra. Na eleição do ano que vem o povo pode mostrar a sua insatisfação e fazer valer a sua vontade, mas ainda assim teremos um contrato de 30 anos para cumprir.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Itaipu Binacional desenvolve carro elétrico no Brasil

Tem cara de Palio, acabamento de Palio e é um Palio, mas custa cerca de 40% mais caro. Por quê? Não procure a resposta no acelerador. Levam-se 28 segundos para chegar a 100 km/h, e de 110 km/h não passa. Esqueça o velocímetro, mas continue olhando para o painel. Perceba que os marcadores de temperatura do motor, do nível de combustível e o conta-giros sumiram. Foram embora junto com o motor 1.0 Fire, o tanque de combustível e o cano de escapamento. Esse Fiat Palio é elétrico, recarrega na tomada. E, se você plugar na parede em horário de tarifa reduzida, o custo por quilômetro rodado fica baixíssimo, como se ele fizesse 60 km/l de gasolina. Falando assim, os 37,8 cavalos de potência começam a ficar mais agradáveis.

O Palio elétrico nasceu a pedido da Itaipu Binacional, a maior usina hidrelétrica do mundo... e dona de uma frota movida a gasolina. O Palio elétrico quer lugar na frota de empresas geradoras e distribuidoras de energia - vaga deixada, nos anos 80, pelo Gurgel Itaipu.
A primeira coisa que chama a atenção é o silêncio. Você vira a chave e parece que não ligou. O Palio desliza tão sorrateiramente que, para evitar acidentes, uma campainha apita quando estamos em marcha à ré. O motor não grita nem quando subimos ladeiras.

No painel, some a gasolina e aparece o nível de energia ou carga
O Palio elétrico vai mal no 0 a 100 km/h, mas é esperto na cidade. Tem mais torque que a versão 1.4 e essa força é entregue na hora, sem vacilo, como nos carrinhos de trombada do parque de diversões. Em arrancadas, chega a cantar pneu. Verdade seja dita, parte da derrapagem se deve ao fato de a Fiat não ter recalibrado a suspensão dianteira. O protótipo é apenas 69 quilos mais pesado que o modelo 1.0 original, mas a distribuição de peso mudou bastante: o eixo dianteiro, que concentrava 63% do peso, agora tem 48%. Na frente, o motor elétrico pesa apenas 42 quilos; atrás, 165 quilos de baterias tomaram o lugar do estepe (em caso de emergência, há um compressor de ar portátil e uma lata de líquido veda-furos).

Baterias sempre foram o problema dos carros elétricos. Grandes, pesadas, têm pouca autonomia e, quando gastas, viram lixo tóxico. "As do Palio são diferentes. Parte é reciclável, parte é biodegradável", afirma Dutra. Segundo a fabricante do sistema elétrico, a suíça MES-DEA, a bateria tem vida útil de 150000 quilômetros.

Flex: 110 e 220 volts

Para recarregar, qualquer parede serve. A intensidade de corrente é de até 16 ampères, menos que um chuveiro elétrico, e ele aceita 110 e 220 volts. Basta adaptar uma tomada industrial e plugar. A bateria aquece até 270oC e, então, começa a encher. O abastecimento pode parar e recomeçar, sem danos. Ainda bem, porque a recarga completa leva oito horas. Tanto descanso, diz a Fiat, garante ao Palio fôlego para 110 quilômetros na estrada ou 120 em ciclo urbano.

Intercambiável: 110V ou 220V
A autonomia cresce na cidade porque um alternador aproveita as desacelerações para carregar a bateria. Basta apertar o botão "Recupero". Além de garantir mais uns 20 quilômetros, serve para cumprir a função de freio motor, ausente num carro elétrico. Além de ser estranho no dia-a-dia, seria temerário conter o carro só no pedal, numa descida longa como a da rodovia dos Imigrantes.
O sistema de freio é original do Palio, apenas o servo ganhou uma bomba elétrica, para gerar o vácuo que viria do motor a combustão. Aliás, tudo foi aproveitado, do radiador à bateria. Ela alimenta o que, em outros carros, nós chamaríamos de "parte elétrica". Tanto aproveitamento porque a Fiat quer criar um carro de frota: simples, eficiente e sem vaidade.

Fonte: Revista Quatro Rodas

Faltam vagas no Cemitério de Cataguases

Cemitério Municipal é o único da cidade, tem mais de 100 anos e 4.300 jazigos.

Faltam espaços para novos sepultamentos
          Uma cidade com quase 70 mil habitantes e um cemitério. Cataguases vive uma situação comum a outros municípios da região: a falta de espaço para construção de túmulos e jazigos.  
           O cemitério municipal é o único da cidade, tem mais de 100 anos e 4.300 jazigos. No local são enterrados, por ano, uma média de 300 corpos. O problema é a disponibilidade de túmulos. Segundo a administração do cemitério, a capacidade para novas sepulturas já está praticamente esgotada. A solução para falta de espaço do cemitério municipal de cataguases é um terreno que fica aos fundos do local. São dois hectares, o que resolveria o problema para os próximos 15 anos. A prefeitura informou que está em fase de negociação e por hora está otimizando áreas dentro do atual cemitério.
Fonte: Megaminas.com

Moradores de Cataguases sofrem com a falta de pediatras

Proporção de Cataguases é comparável à Roraima.
A informação é do portal Megaminas: Em Cataguases, quem tem filho pequeno e depende principalmente do Sistema Único de Saúde (SUS), tem encontrado dificuldade para conseguir marcar consultas. Faltam pediatras na cidade e o problema é admitido pelos responsáveis pela saúde no município. Na Policlínica, um dos principais centros de atendimento médico na cidade, não é difícil encontrar mães que já passaram pelo mesmo problema.

Atualmente, são oito pediatras trabalhando nas unidades públicas de saúde. O que dá uma média de um profissional para cada 8.500 habitantes, índice comparado ao do interior de Roraima. A proporção ideal, de acordo com o Conselho Federal de Medicina, é de um pediatra para cada 580 pessoas.

Fonte: Megaminas
 

sábado, 4 de junho de 2011

Câmara de Cataguases aprova contrato com a COPASA

Por seis votos a três, os vereadores de Cataguases deram sinal verde para a Prefeitura assinar contrato com a Companhia de saneamento de Minas Gerais. Agora, a companhia tem 60 dias para começar a coleta e transporte do esgoto, além do tratamento da água. Ao contrário de Muriaé, Leopoldina e Viçosa, por exemplo, a administração atual preferiu terceirizar o serviço. O processo gerou polêmica e foi criticado duramente por diversos segmentos da sociedade. Entre as principais conquistas conseguidas pela reivindicação dos Cataguasenses (inclusive este ordinário blogueiro) estão a ampliação dos serviços de tratamento de esgoto aos distritos e diminuição do tempo de desistência para renovação do contrato (antes era de cinco, agora de um ano). Confesso que não é a minha opinião, pois gostaria de ver um estudo da viabilidade de criação de uma autarquia em Cataguases. Explico: com uma empresa administrada aqui, no município, poderíamos gerar empregos na cidade, comprar equipamentos, máquinas e outros, do comércio local, além de arrecadar dinheiro para os cofres municipais. Poderia haver apoio do governo Federal com o PAC Saneamento Básico, como o Bené disse que conseguiu em Leopoldina. Enfim, preferiram o mais fácil, inclusive com caráter de urgência, desrespeitando o que diz o regimento interno da Câmara que não incluiu este tipo de votação em caráter emergencial. Bom cada um tire as suas conclusões: pra mim, foi um péssimo negócio. Agora só nos resta pagar pelo serviço, que discussões à parte, é essencial.
Conheça o voto de cada vereador: