terça-feira, 21 de junho de 2011

Amostras de leite são recolhidas em Leopoldina

Por MGTV Panorama  
 
A Polícia Federal e o Ministério Público investigam a adulteração de leite Longa Vida, o de caixinha, na Cooperativa de Produtores de Leite de Leopoldina (LAC).
Policiais federais estiveram na cooperativa na última sexta-feira (17) com mandado de busca e apreensão para recolher amostras de leite integral UHT, o leite de caixinha. A operação contou com o apoio do Laboratório Nacional Agropecuário, vinculado ao Ministério da Agricultura. A Cooperativa dos Produtores de Leite de Leopoldina é a maior da Zona da Mata mineira. Por dia, ela recebe pelo menos 150 mil litros de leite de 22 municípios da região. O laticínio fabrica derivados como manteiga, requeijão e queijo muçarela, além de leite UHT.
Segundo a Polícia Federal, laudos periciais já haviam indicado que o produto teria água, açúcar e cloretos como o sal para aumentar a quantidade de leite comercializada. O produto adulterado se tornaria impróprio ao consumo.

Surpresa
As equipes de reportagem e produção da TV Panorama procuraram os diretores da LAC, mas ninguém foi encontrado para falar sobre o assunto. Os produtores que apareceram na cooperativa também não quiseram comentar. Nos mercados em Leopoldina, a notícia pegou os consumidores de surpresa.
A investigação da Polícia Federal e do Ministério Público chamada de Operação 'Ouro Branco 2', foi deflagrada também no município de Campo Belo, no Sul de Minas. Nesta segunda-feira (20) a polícia voltou à empresa Novamix, que produz o leite 'Fazenda Mineira'. Nos dois laticínios foram coletadas amostras para perícia.
Em outubro de 2007, 27 pessoas foram presas em Minas Gerais por crimes contra a saúde pública cometidos por cooperativas suspeitas de adulterar leite.