sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Pauta da Sessão da Câmara de Vereadores no dia 27/09/2011


REUNIÃO ORDINÁRIA
ORDEM DO DIA
27/09/2011 -18h
Executivo:

Projeto de Lei:

Nº 32/2011 - Revoga Lei 2.194/1993 (Aprova regulamento Serviços Transportes Coletivos Municipal);

Nº 54/2011 - Institui alíquota de contribuição RPPS - (11% onze pontos percentuais)

Nº 55/2011 - Abre Crédito Especial ao Orçamento Vigente no valor de R$ 110.000,00 e dá outras providências.


LEGISLATIVO:

Projeto de Lei:


Nº 06/2011 – Dispõe sobre o peso máximo tolerável do material escolar transportado diariamente por alunos das escolas públicas municipais e privadas do Município de Cataguases. Vereador VANDELREI TEIXEIRA CARDOSO.

Nº 10/2011 – Dispõe sobre a obrigatoriedade das escolas públicas municipais e particulares incluírem em sua grade de matérias o estudo de obras de escritores cataguasenses. Vereador VANDERLEI TEIXERA CARDOSO.

Nº 24/2011 – Dispõe sobre a aplicação de penalidades à prática de Assédio Moral nas dependências da Administração Pública Municipal por servidores públicos municipais. Vereador VANDERLEI TEIXEIRA CARDOSO.


  52/2011 - Dispõe sobre a declaração de utilidade pública da Associação Cultural de Canto e Dança Afro Justino e São Vicente e dá outras providências. Vereador VANDERLEI TEIXEIRA CARDOSO.

 
REQUERIMENTO:

Nº 102/2011 - Requer do Poder Executivo o que segue: Que a Prefeitura Municipal através do setor competente informe se a Santa Casa de Misericórdia - Hospital de Cataguases funciona com alvará provisório? Vereador GUILHERME VALLE DE SOUZA.

·       Entrega das Moções de Congratulações.


GRANDE EXPEDIENTE: Inscritos:

Vereadores: Guilherme Valle de Souza e Vicente de Paulo Dias e Vanderlei Teixeira Cardoso

 

ANTÔNIO BATISTA PEREIRA     FERNANDO MEDEIROS PEREIRA
                 Presidente                                         Secretário

Vanderlei Pequeno é pré-candidato a Prefeito pelo PT de Cataguases

Vanderlei Pequeno é o candidato à Prefeito pelo PT
Através de nota oficial, o Partido dos Trabalhadores informou que o atual vereador, Vanderlei Cardoso (Pequeno) é pré-candidato da legenda à Prefeitura Municipal de Cataguases. A nota ainda informa que o Partido não constituirá bloco único com o GAC (Grupo Aliança Cataguases) por entender que "ainda existem questões políticas entre as duas forças que precisam ser resolvidas". A nota é encerrada dizendo que "a legenda está aberta a conversações com as forças de oposição de Cataguases, no sentido de construir um projeto que seja democrático e tire a cidade da estagnação política e econômica em que atualmente se encontra".

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Site da Câmara de Cataguases retorna ao ar, via Interlegis.

Democracia ("demo + kratos") é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos. Desde o final do ano passado, o site da Câmara de Vereadores de Cataguases estava fora do ar, devido a problemas técnicos. Vários Cataguasenses reclamaram, inclusive reivindicando a transmissão das sessões via internet. Tive a iniciativa de realizar um abaixo-assinado virtual aqui pelo nosso Blog, colhendo apoios para exigir dos vereadores uma postura mais democrárica e transparente das ações do legislativo. 

Agora, com o apoio da interlegis, o site entra no ar e atende as reivindicações dos Cataguasenses. O Programa Interlegis nasceu em 1997, da vontade de integrar todas as Casas Legislativas no caminho da modernidade, e dar condições para que cada uma delas pudesse desempenhar com eficiência e transparência as atividades administrativas e legislativas.

Se você participou do abaixo-assinado, exercendo o seu direito de cidadão, está de parabéns, pois fez parte desta vitória. Se não participou, comemore também, pois é um direito adquirido. Que este seja um exemplo de que quando o povo quer, consegue fazer valer seus direitos. Parabéns, Cataguases!

Novo site da Câmara:

sábado, 17 de setembro de 2011

Copa do mundo: Falta estádio, falta bola e falta até apito...

A copa do mundo em 2014, trará para o Brasil grande visibilidade no cenário mundial. Isso poderá implementar o turismo e trazer muitos benefícios sociais para os Brasileiros, especialmente em transportes. 

Mas no Brasil, existe a Cultura da derrota e não falta a turma do "amendoim", que diz: a Copa só vai consumir dinheiro, vai haver corrupção, etc.

A ousadia de termos eventos em nível mundial, nos capacita a demonstrar ao mundo que somos capazes e que esta turma do amendoim, cada dia perde força e razão. Na copa do mundo, todos os Brasileiros jogam no mesmo time. O que temos de fazer é continuar cobrando ações e transparência, pois esta é a base uma sociedade democrática.

O governo Federal lançou o site oficial da Copa do Mundo de 2014. Quem quiser acompanhar, é só acessar:

http://www.copa2014.gov.br/

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Ministro vai intermediar negociações entre professores e governo de MG

O ministro da Educação Fernando Haddad informou, nesta quarta-feira (14), que vai intermediar as negociações entre o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE-MG) e o governo do estado. A coordenadora-geral do SindUTE-MG, Beatriz Cerqueira, se reuniu com o ministro em Brasília, durante a tarde, para discutir a paralisação dos servidores. A greve dos professores vai completar cem dias nesta quinta-feira (15).

Representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) também participaram da reunião. O SindUTE-MG informou que explicou ao ministro sobre as reivindicações da categoria e a decisão do Governo de MG de contratar substitutos para ocupar os cargos dos servidores que integram a manifestação. Segundo o sindicato, os profissionais não possuem formação suficiente para exercerem as funções.

De acordo com a assessoria do ministro, Fernando Haddad apoia o movimento dos professores de MG. Para ele, a lei de responsabilidade fiscal não deve ser usada para justificar a dificuldade em cumprir o piso reivindicado pela categoria. Segundo o ministro, o governador Antonio Anastasia deve cumprir a lei mesmo que, para isso, tenha que retirar verbas de outro setor.

A secretaria de estado da Educação, Ana Lúcia Gazzola, informou que mantém contato com Fernando Haddad para discutir acerca das negociações e que o ministro nunca se mostrou contrário às ações do Governo de Minas Gerais. De acordo com ela, a situação orçamentária do estado foi informada ao Ministério da Educação.

Segundo a secretaria, a proposta de subsídio feita pelo governo garante valores acima do piso reivindicado. Ela também informou que o advogado-geral da União encaminhou ao Ministério Público um parecer conclusivo sobre a constitucionalidade do modelo de remuneração por subsídio.

Última proposta

Governo de Minas Gerais apresentou uma proposta aos educadores, que prevê o pagamento de R$ 712,20 para os professores da educação que têm vencimento básico menor que este montante, a partir de janeiro de 2012. O novo modelo de remuneração proposto foi recusado pelos servidores no dia 31 de agosto.
Segundo a Secretaria de Estado de Educação, com isso, o governo atende ao Supremo Tribunal Federal (STF), que estabelece piso salarial nacional para professores da rede pública no valor de R$ 1.187,00 para uma jornada de 40 horas de trabalho.

A secretaria justifica que, como em Minas, os professores da educação básica têm uma jornada semanal de 24 horas e a legislação prevê a proporcionalidade, a aplicação do valor de R$ 712,20 como vencimento básico atende à interpretação da Lei Federal.

O sindicato reivindica piso salarial de R$ 1.597,87 para jornada de 24 horas e Ensino Médio de escolaridade. O valor defendido segue cálculo feito pela Confederação Nacional dos Trabalhadores de Educação (CNTE).

Para tentar colocar fim à greve, o sindicato informou que admitiria discutir o piso de R$ 1.187, estabelecido pelo Ministério da Educação.

Fonte:  http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2011/09/ministro-vai-intermediar-negociacoes-entre-professores-e-governo-de-mg.html

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Sugestão de CD - Maria Alcina, confete e serpentina.

Título: Maria Alcina, confete e serpentina
Artista: Maria Alcina
 

Maria Alcina dispensa apresentações. Desde que roubou a cena em pleno Maracanãzinho, em 72, cantando “Fio Maravilha” (do então Jorge Ben) no Festival Internacional da Canção, permanece como uma esfinge na música brasileira: incontornável, maior do que as explicações. Mas é uma esfinge de carro alegórico, benévola e alegre, espécie de cruzamento entre Carmen Miranda, Ney Matogrosso (que na verdade apareceu dois anos depois dela) e o boneco da Duracell, aquele cuja pilha não acaba.

A própria Alcina ajuda a matar a charada: ela diz que é do tempo em que se “era brega ou era intelectual” – e a sua força pessoal transcende esses complexos culturais. Seus mestres declarados são Gil e Jorge. Ao modo de Raul Seixas (outro que ela antecipou na popização do protesto), sofreu um processo por subversão durante a ditadura militar. E a ditadura não estava errada. É essa dimensão profunda, dionisíaca (portanto sagrada) da festa e do deboche que permite que ela esteja à vontade no júri de um programa de auditório de TV, ou cantando música eletrônica refinada para um público de 1,5 milhão de pessoas (na Parada Gay de São Paulo de 2006). Nesse sentido, Alcina é o legítimo ser tropicalista, que amplifica e digere o repertório da era de ouro das cantoras do rádio, a música nordestina de duplo sentido, as fusões setentistas do rock e da MPB e o que mais vier.

A missão de Alcina e do produtor de seu novo CD, Maurício Bussab, era, de certa forma, cercar, focar e resumir esse território todo, e dar à sua discografia um álbum à altura de seu talento, o que não acontecia completamente desde o primeiro disco, de 1973. Ouvindo Maria Alcina Confete e Serpentina dá para notar que a estratégia levou a três tipos de arranjos: a) sutis ambientes eletrônicos; b) exemplares de MPB evoluída – ou seja, MPB que superou os complexos do gênero para ir em frente, usando recursos contemporâneos, mas sem chiliques para gringo ver, como a drum'n'bossa; c) músicas mais festeiras, como a sensacional "Cachorro Vira-Lata", de Alberto Ribeiro, resgatada diretamente do carnaval de 1937 e do repertório e Carmen Miranda. E pelo menos uma faixa que reúne isso tudo: a releitura da arquetípica “Eu Quero É Botar Meu Bloco Na Rua", de Sérgio Sampaio. Essa, com a participação do Bojo, de que Bussab é membro, remete à versão de "Sangue Latino" (Secos & Molhados) do CD de Alcina ao lado do grupo eletrônico, Agora, gravado em 2003, seu disco anterior.

Quanto ao repertório, é uma mescla de autores consagrados (Sampaio, Tom Zé, Lô Borges, Paulinho da Viola) e novos talentos, fãs assumidos de Alcina. E um elo, digamos, em Alzira E (ex-Espíndola), discípula de Itamar Assumpção, autora da faixa "Colapso". Os novos compositores são Wado, Moisés Santana, Ronei Jorge, Roseli Martins, e a dupla Adalberto Rabelo Filho e Piero Damiani, do grupo Numismata. Adalberto também ajudou na seleção de repertório. Essa mistura opera circularidades e inversões curiosas – por exemplo, um roqueiro baiano (Ronei) soa neste álbum mais sambista, na magnífica "O Drama", do que o próprio Paulinho da Viola. É de Paulinho a faixa que abre o disco, a notável "Roendo As Unhas", de 1973, que, apesar de ter seu instrumental construído apenas com samples de brinquedos, ficou parecendo um daqueles pós-sambas tensos e contraculturais de Caetano ("Você Não Entende Nada"), Chico ("Partido Alto") ou Erasmo ("Cachaça Mecânica").

De outro baiano, Moisés Santana, é a space-marcha-rancho (!) "Espaço Sideral", gravada com uma bandinha de carnaval literalmente contratada na rua – a Banda do Fumaça –, mais a participação de Tatá Aeroplano. O alagoano Wado comparece com "Não Pára" (título pré-reforma ortográfica), cuja letra parece coisa... do Sérgio Sampaio (e mais uma citação de funk carioca que, sem querer, antecipou a própria guinada de Wado em seu último disco, Terceiro Mundo Festivo). A paulista Roseli Martins é a autora da delicadamente lancinante "Regador".

Em sua primeira parceria, Tom Zé e Lô Borges mandaram "Açúcar Sugar", que lembra... bem, lembra um encontro da Tropicália com o Clube da Esquina, alternando passagens desconstruídas e épicas. A faixa tem a participação de Felipe Julian, do grupo de MPB experimental Axial. E é a personalidade de Alcina que segura essa costura improvável, e a faz funcionar com perfeição. Finalmente, à banda Numismata (uma das inventoras do indie-samba), coube o papel de ser cúmplice de Alcina nas duas faixas que ajudam a amarrar o conceito do disco. A frenética "Das Tripas, Coração" parece saída diretamente do disco de estréia de Alcina, aquele de 1973, mais um toque oportuno de Novos Baianos. Já "Maria Alcina, Confete e Serpentina" é a pura celebração da diva e de seu ritual dionisíaco, um achado (anti) conceitual.

Feitas as contas, este é um disco um tanto mais denso e intrigante do que o título sugere ("Porque alguém tem que fazer o que é preciso/ E invadir o inconsciente coletivo", como diz a letra da faixa-título). A capa – design de Luciano Pessoa sobre fotos de Feco Hamburger – captura esse clima com perfeição e beleza. O disco demorou dois anos para ser gravado, e mais seis meses de pós-produção. Um luxo. Maria Alcina Confete e Serpentina é um veículo da cantora, claro, mas traz de bônus uma espécie de reflexão sobre o estado da música brasileira – e uma abordagem que supera tanto maneirismos artificiais quanto fundamentalismos descabidos, ao juntar a intuição e a inteligência, a paixão e o humor. Avisem Maria Alcina que, como uma espécie de Marianne Faithfull carnavalizada, ela sobreviveu artisticamente aos seus mentores e/ou contemporâneos, e hoje dá as respostas frescas que eles mesmos já não têm.

Quem quiser conferir, vale a pena.
Valor R$ 24,90 nas lojas Americanas

Confira trechos das músicas:

Moradores do Leonardo reclamam da falta de estrutura

Em 2010, o bairro sofreu com os deslizamentos de terra.
Moradores de um dos bairros mais populosos de Cataguases reclamam da falta de uma área de lazer. Mas segundo eles, os problemas de infraestrutura no bairro Leonardo vão além. Falta calçamento, captação de água de chuva e até necessidade de reforma em uma escola municipal.

A rua onde mora o operador de produção Airton Melo está toda esburacada. Ele teve que fazer uma rampa para sair de carro e já teve até prejuízo com a suspensão do veículo.

O resto da rua também está bastante ruim. Os moradores contam que os buracos aparecem pela falta de um projeto de captação de água da chuva.

O único acesso ao alto do bairro é pela Rua Jacir Vieira. Os moradores querem o alargamento e retirada de terra e materiais de construção. Os carros de entrega não conseguem passar no local.

Já na Rua Antônio Augusto de Souza, o calçamento parou antes do final da rua. Quem mora no restante da via reclama da poeira no período de seca e do barro quando chove. Sem falar na falta de iluminação e no entulho, que também incomoda.

Outro problema é a Escola Municipal Prefeito José Esteves, que precisa de reparos. E uma das principais reivindicações dos moradores do bairro é uma área de lazer, que hoje não existe.

A equipe de reportagem conversou com o procurador do município, Roosevelt Pires, que garantiu que os problemas apresentados na reportagem vão ser resolvidos ainda neste ano. Segundo ele, um terreno será desapropriado para preparar a área de lazer do bairro. Em relação à condição das ruas que dão acesso à parte alta do bairro, Roosevelt disse que a programação de recuperação do calçamento na cidade começa em um prazo de sete à dez dias e o primeiro bairro contemplado será o Leonardo.

Quanto à situação da Escola Municipal José Esteves, a secretária de Educação, Rosimere Silva, informou que a limpeza do local será feito no próximo mês.

Fonte: MGTV Panorama

6ª Parada Gay de Cataguases - Todos juntos pelo fim do preconceito


A festa da diversidade já tem data certa em Cataguases. A sexta edição da Parada do Orgulho LGBTT de Cataguases vai acontecer no dia 18 de setembro, finalizando as comemorações de aniversário da cidade. O tema escolhido para o evento este ano é “Todos juntos somos fortes”, inspirado no conto “Os saltimbancos”, como informou o presidente da ONG, Rodrigo Augusto. Os organizadores do evento prestarão uma homenagem a Francisco Salgado Filho, escolhendo-o como Rei da Parada deste ano. Homoafetivo assumido desde a década de sessenta, figura popular nos carnavais, aos setenta e três anos de idade aceitou ao convite para participar do desfile. “Devemos muito ao Chico. Pela sua irreverência, ousadia e criatividade. Estamos preparando uma grande surpresa tanto para ele quanto para quem estiver na parada”, conta o diretor social do MGC, o promoter José Francisco Alves Pathê.

Nova direção

O MGC foi criado em 2007, com o apoio dos militantes do Movimento Gay de Minas (JF) Oswaldo Braga e Marcos Trajano. Em fevereiro deste ano, foi realizada a primeira eleição interna, e neste processo foi escolhido como presidente Rodrigo Augusto. Rodrigo é cabeleireiro, radialista e dançarino. Compondo a diretoria ainda estão a vice-presidente Izis Caroline, os tesoureiros Ricardo Vargas e Clayton Andrade, o diretor social, Francisco Alves (Pathê) e o diretor de comunicação, o jornalista Samuel Pereira (Muel Tsunamy). A ex-presidente do movimento, Adriana do Nascimento (Dininha) foi convidada por Rodrigo para coordenar o Núcleo de Lésbicas de Cataguases – NULEC. “Estamos atentos às condições de independência da mulher homoafetiva. Elas ainda enfrentam grande preconceito, deixando muitas vezes de ter atenção com a saúde. O Nulec está ai para defender essas mulheres”.

Fonte: MGC - Comunicação

domingo, 11 de setembro de 2011

Shows de Perlla e Jorge Aragão agitam a cidade


Segundo estimativa, 8 mil pessoas curtiram o show do sambista Jorge Aragão na Taquara Preta, nesta sexta (09)durante as festividades pelos 134 anos de Cataguases.  No sábado, foi a vez de Perlla fazer a vez do funk melody.  Mas o show mais elogiado, foi sem dúvida, o de Jorge Aragão.

O sambista, começou sua carreira na década de 1970, em bailes e casas noturnas. Como compositor, despontou em 1977, quando Elza Soares gravou sua composição "Malandro" (com Jotabê). Foi integrante do grupo Fundo de Quintal e um de seus principais compositores e letristas, tendo por isso abandonado o conjunto algum tempo depois para dedicar-se à carreira solo. Quase todos os grandes intérpretes de samba (Beth Carvalho, Alcione, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila) têm canções de Jorge Aragão em seu repertório.

O primeiro disco solo, "Jorge Aragão", veio em 1982, pela Ariola. Conhecedor do carnaval carioca, foi comentarista dos desfiles de escolas de samba nas TV's Globo, Manchete e nos últimos anos no projeto Carnaval do Povão pela CNT. Com doze discos lançados, excursionou pelos Estados Unidos e se apresenta em várias cidades do Brasil. Entre seus sucessos estão "Coisinha do Pai" (com Almir Guineto e Luiz Carlos), consagrado na gravação de Beth Carvalho que valeu uma gravação inédita em 1997 para acordar Mars Pathfinder um robô da Nasa em Marte; "Coisa de Pele", "Vou Festejar", "Alvará", "Terceira Pessoa", "Amigos… Amantes", "Do Fundo do Nosso Quintal" e "Enredo do Meu Samba" entre outras. Sua música, "Eu e Você Sempre", gravada originalmente pelo grupo Exaltasamba em 2000 tornou o grupo conhecido.

Com quase 30 anos dedicados inteiramente à MPB, Jorge Aragão continua em atividade. O veterano do samba se mantém firme no mercado, apostando em uma série de CDs ao vivo (Ao vivo 1 e 2). O álbum ”Jorge Aragão Ao vivo Convida”, lançado pela Indie Records, em 2002, traz duetos antológicos do sambista com figuras consagradas como Zeca Pagodinho, Alcione, Elza Soares, Beth Carvalho, Emílio Santiago, Leci Brandão, entre outros. Mais tarde, depois de um disco de estúdio chamado "Da Noite pro Dia" vem mais um DVD ao vivo gravado no Canecão (Rio de Janeiro) com o mesmo nome também tendo uma ótima vendagem.

Parabéns Cataguases, pelos seus 134 anos. Parabéns aos organizadores da Festa.



Referências: Wikipédia

sábado, 10 de setembro de 2011

Polícia Federal realiza operação "Painel" em Cataguases

Cataguases recebeu um presente de grego
na semana do seu aniversário.

     Uma operação da Polícia Federal (PF) em conjunto com o Ministério Público Estadual e a Polícia Civil cumpriu cerca de 20 mandados de busca e apreensão nesta sexta-feira (09), em Cataguases. A ação foi para coibir crimes praticados por servidores públicos e particulares.

     Entre os detidos para prestar esclarecimentos estariam delegados de polícia, gerentes de bancos, advogados, comerciantes e o secretário municipal de Indústria e Comércio, Newton Dutra. Ele prestou depoimento e foi liberado, mas não deu detalhes da operação. Os mandados foram emitidos pela justiça de Cataguases. 

     Segundo moradores da cidade, a operação teria começado às 6h e envolveu 100 agentes federais. A operação envolveria corrupção policial, extorsão, lavagem de dinheiro, furto de automóveis e liberação indevida de veículos apreendidos. 

     Os acusados foram levados para a Polícia Federal de Juiz de Fora, prestaram depoimento e depois foram liberados.    

Fonte: Megaminas.com

Nota da Polícia Federal de JF sobre a operação em Cataguases

Na data de hoje 09/09/2011, a Policial Federal em parceria com o Ministério Público Estadual e a Corregedoria da Polícia Civil/MG, desencadeou a operação Painel, quando foram cumpridos cerca de 20 mandados de busca e apreensão e conduções coercitivas, expedidas pelo Juízo Criminal da Comarca de Cataguases/MG, naquela cidade e em Juiz de Fora, com o objetivo de se apurar diversos crimes praticados, em tese, por servidores públicos e particulares.

Cláudio Roberto Pessoa Dornelas
Delegado de Polícia Federal
Chefe da Delegacia de Polícia Federal em Juiz de Fora

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

GRITO DOS EXCLUÍDOS DE CATAGUASES



O Grito dos excluídos/AS será uma passeata durante o desfile de 7 de setembro, em Cataguases, na Avenida Astolfo Dutra. Seu objetivo é dar voz aos movimentos sociais que lutam por uma sociedade mais justa e igualitária. Comemorar a “Independência do Brasil” é também gritar aos quatro cantos do nosso país, do nosso Estado, da nossa cidade, que existe muita dor e injustiça. O grito quer fazer valer o direito dos Profissionais da Educação (Professores/as, Auxiliares de Secretaria, Auxiliares de Serviços de Educação Básica, Supervisores, etc), das mulheres, dos negros/as, dos/as índios/as, das crianças, dos/as idosos/as, das pessoas com deficiências, dos/as sem terra, dos/as jovens, dos/as aposentados/as, dos/as catadores/as de materiais recicláveis, dos/as atingidos/as por barragens, dos/as desempregados/as, enfim, de todo aquele/a que é brasileiro/a e não tem motivo para celebrar um dia de independência, quando os direitos básicos lhe são negados.


Data: 07/09/2011
Horário: Concentração às 9h

Local: Em frente à Praça de Esportes
Traje: Camisa preta para demonstrar luto.

Observação: Use sua criatividade levando faixas e cartazes que expressem o seu grito, protesto ou reivindicação.