quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Esgoto começa a ser cobrado este mês, em Cataguases.


Prepare o bolso e o rolo de papel higiênico: novembro tem aumento!
   
   Depois de muita discussão, reclamações e protestos, a COPASA assume o tratamento de esgoto em Cataguases. Desde o dia 1º de outubro, a cidade passa a receber a prestação dos serviços e também a cobrança por ele. A conta começará a chegar no próximo mês e o que se comenta é que o aumento gira em torno de 40 a 45% inicialmente, podendo chegar a 100% quando o serviço estiver na sua plenitude.

    O prefeito alega que coagido pela lei federal, deveria dar um rumo ao tratamento de esgoto no município e  por isso a melhor solução seria a terceirização. Alega também, que a prefeitura não tem capacidade de investimento para administrar um serviço tão complexo e que a tecnologia utilizada pela empresa poderá ser sinônimo de eficiência: microcâmeras para mapear a rede de esgoto e jateamento para desentupir. Estes são os trunfos usados pela empresa para dar um "show" de eficiência.

    Estranho notar que a grande maioria dos prefeitos não resolveram o problema e provavelmente serão presos (pelo menos essa é a tese de alguns em Cataguases). Ninguém é insano de ser contra o tratamento de esgoto, mas o que está em discussão é se o valor é justo ou não.
    Por outro lado, a oposição (especialmente o PT) alega que o contrato foi uma concessão articulada pelo Prefeito William Lobo, para beneficiar uma empresa da base aliada do governador, que o ajudou a eleger. Declaram ainda, que o preço médio da COPASA está bem acima de preços praticados por outras empresas e autarquias e que a prefeitura só terceiriza e não gera empregos na cidade. Fez isso com a coleta de lixo, com a limpeza urbana, fez com o tratamento de esgoto e continuará fazendo. Desvaloriza o servidor pois não executa concurso público e não fez audiências públicas eficientes para ouvir a opinião da população.

    De certo é que o povo vai começar a pagar agora em Novembro e o impacto que causará no custeio das famílias não é pouco. "De grão em grão é que a galinha enche o papo," dizia a minha avó. Pode ser pouco pra quem paga mas é uma "baba",  pra quem recebe. Se fosse tão ruim, ninguém queria . 

   Um radialista disse que é só um "aumentozinho" de 10 reais e que "ninguém vai nem sentir". Talvez ele não sinta porque os gastos com publicidade que a prefeitura vem fazendo em sua rádio (e algumas outras) seja bem pomposo. Para o pequeno, -  Não o vereador. Ele, por sinal, foi contra - falo do Cataguasense pobre, dez reais de esgoto mais dez reais de água, corresponde a quase 5% do seu salário mínimo. Aliás, essa é a média salarial em Cataguases. A cidade empobrece cada vez mais e só quem está "ganhando bem" não vê, ou não quer ver esta realidade. 
    
   Mas voltemos à COPASA. Como clientes, temos o direito de reclamar se o serviço prestado for insuficiente, inclusive amparado pelo código de defesa do consumidor. Para tanto, não se envergonhem de ligar 195 e solicitar o reparo. A "ex-tatal" do governador e do prefeito, que não pagam o piso dos professores, não tem piedade: não pagou, não levou. E fim de papo. 

   Fiquei pensando porém, pra onde vai tanto esgoto? Coletar isso tudo deve dar um trabalhão. Me disseram que segundo a Prefeitura, quem mora na beira do rio e joga o esgoto nele, não vai pagar por enquanto, porque esta taxa de 45% (que coincidência este número!) é para pagar o transporte do esgoto. Ainda bem que o rio não cobra nada!

    Quem acha que vai ver peixinho nadando debaixo das pontes do meia pataca ficará entediado, pois isso vai demorar um pouco mais. Um Cataguasense distraído me disse que "agora a água do rio vai ficar tão limpinha, que vai dar até pra beber!". Lembrei do Papel Noel, descendo de helicóptero no campo do Flamenguinho, quando eu era criança. Eu era feliz e não sabia!

   Queria dar umas dicas pra tentar fugir da cobrança, mas são inviáveis as que consegui pensar: Ir defecar na beira do rio ou ficar com o balde coletando água da chuva, seria muito trabalhoso. Quem sabe fazer uma competição do alto da ponte? Poderia se tornar uma atração turística... Será uma lei de compensação?  - Eu fico na enchente, mas pelo menos não pago taxa de esgoto! - Não moro no centro, mas na minha casa a gente não paga taxa de esgoto!

   Ironias à parte, a situação é conflitante. Tratar o esgoto é necessário. Lucrar com este serviço é o grande objetivo dos capitalistas. Observar o bem da coletividade é o dever do administrador público. Na minha opinião, o diálogo poderia ter ido mais além. A população deveria ter sido esclarecida de uma maneira mais eficaz. Só me resta o sonho para visualizar este dia. Sonhar, não custa nada... pelo menos por enquanto.