terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Fotos atualizadas dos rios em Cataguases: Risco de inundação permanece.

Rio Pomba chegou a 6 metros hoje.
Clube do Remo sofre novamente com as cheias
Clube do Remo



O nível do Rio é estável


Quadra do Clube do Remo

Ponte "Nova"
Clube do Remo

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Cataguases em alerta: Rios Pomba e Meia Pataca voltam a subir

As chuvas que cairam na última noite em Cataguases e região, foram suficientes para elevar novamente o nível dos rios Pomba e Meia Pataca. A população está alerta, apesar de não haver transbordamento. O nível do Rio Pomba subiu e está no limite do seu leito.

De acordo com a previsão do tempo para esta terça-feira haverá tempo nublado com pancadas de chuva no decorrer do período. A mínima prevista é de 19°C e máxima de 31° C de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. No momento, chove forte na cidade.

Vale vence prêmio de pior empresa do mundo

“Nobel” da vergonha será entregue no Fórum Econômico Mundial, na cidade suíça de Davos"

Após 21 dias de acirrada disputa, a mineradora brasileira Vale foi eleita, nesta quinta, 26, a pior corporação do mundo no Public Eye Awards, conhecido como o “Nobel” da vergonha corporativa mundial. Criado em 2000, o Public Eye é concedido anualmente à empresa vencedora, escolhida por voto popular em função de problemas ambientais, sociais e trabalhistas, durante o Fórum Econômico Mundial, na cidade suíça de Davos.
Moçambique: Vale expulsa 760 famílias em área de mineração
- Foto: Movimento Xingu Vivo
Este ano, a Vale concorreu com as empresas Barclays, Freeport, Samsung, Syngenta e  Tepco. Nos últimos dias da votação, a Vale e a japonesa Tepco, responsável pelo desastre nuclear de Fukushima, se revesaram no primeiro lugar da disputa, vencida com 25.041 votos pela mineradora brasileira.
 
De acordo com as entidades que indicaram a Vale para o Public Eye Award 2012 – a Articulação Internacional dos Atingidos pela Vale (International Network of People Affected by Vale), representada pela organização brasileira Rede Justiça nos Trilhos, e as ONGs Amazon Watch e International Rivers, parceiras do Movimento Xingu Vivo para Sempre, que luta contra a usina de Belo Monte -, o fato de a Vale ser uma multinacional presente em 38 países e com impactos espalhados pelo mundo, ampliou o número de votantes. Já para os organizadores do prêmio, Greenpeace Suíça e Declaração de Berna, a entrada da empresa, em meados de 2010, no Consórcio Norte Energia SA, empreendimento responsável pela construção de Belo Monte, foi um fator determinante para a sua inclusão na lista das seis finalistas do Public Eye deste ano.
Canadá: Operários da Vale fazem a maior greve da história do país
por melhores condições de trabalho - Foto: Movimento Xingu Vivo
A vitória da Vale foi comemorada no Brasil por dezenas de organizações que atuam em regiões afetadas pela Vale. “Para as milhares de pessoas, no Brasil e no mundo, que sofrem com os desmandos desta multinacional, que foram desalojadas, perderam casas e terras, que tiveram amigos e parentes mortos nos trilhos da ferrovia Carajás, que sofreram perseguição política, que foram ameaçadas por capangas e pistoleiros, que ficaram doentes, tiveram filhos e filhas explorados/as, foram demitidas, sofrem com péssimas condições de trabalho e remuneração, e tantos outros impactos, conceder à Vale o titulo de pior corporação do mundo é muito mais que vencer um premio. É a chance de expor aos olhos do planeta seus sofrimentos, e trazer centenas de novos atores e forças para a luta pelos seus direitos e contra os desmandos cometidos pela empresa”, afirmaram as entidades que encabeçaram a campanha contra a mineradora. Em um hotsite (http://xinguvivo.org.br/votevale/) criado para divulgar a candidatura da Vale, foram listados alguns dos principais problemas de empreendimentos da empresa no Brasil e no exterior.

Fonte:  Brasil de Fato

domingo, 29 de janeiro de 2012

Governo de MG paga amanhã, metade do prêmio de produtividade de 2010

Funcionários estaduais perguntam: Mas e o déficit zero Aécio?


Com atraso de quatro meses, o prêmio de produtividade devido aos funcionários públicos de Minas Gerais está sendo parcelado. Amanhã, 30 de janeiro, sai a primeira parcela, 50% sobre o valor integral que deveria ter sido pago em Setembro. O prêmio refere-se ao desempenho no ano de 2010.

O adicional é concedido ao funcionalismo através de um sistema meritocrático. Os órgãos se esforçam para cumprir metas e de acordo com uma fórmula de avaliação de desempenho, são contemplados com até 100% de um salário mensal. Este sistema funciona há 8 anos, no Estado de Minas Gerais.

Presume-se que o atraso deve-se às dificuldades financeiras encontradas pelo estado para saldar as contas anuais. Vale lembrar que Aécio Neves (PSDB), em 2004, anunciou um suposto déficit Zero do Estado, alegando ser fruto do “Choque de gestão” implementado por sua equipe. Ano passado, o Tribunal de Contas do Estado apresentou uma análise das contas de Minas e concluiu que a história não é bem assim.

Pinheirinho: Secretário de SP é desmentido por vídeo do Youtube

A internet não é mole não!

Em entrevista a jornais de São Paulo, o Secretário de Cultura de São Paulo Andréa Matarazzo disse que foi abordado na saída do MASP (Museu de Arte Moderna de São Paulo) e que a democracia foi arranhada. Segundo o secretário, ele foi agredido fisicamente por manifestantes que também teriam atirado objetos, inclusive em pessoas idosas. “É uma pena terem politizado a questão", disse ele.

A manifestação aconteceu em protesto à ação policial em Pinheirinhos. Como sempre, alguém gravou e postou no Youtube. Discípulo de José Serra, Andréa prova que tirou dez na escola Tucana.
(Relembre aqui o caso da bolinha do Serra - Ele concorreu ao Oscar, mas não ganhou)

Já dizia a minha mãe: Mentira é como o Nélson Ned: tem perna curta!

Confira o vídeo da suposta agressão sofrida pelo Andréa Matarazzo
(Cenas fortes: tirem as crianças da sala)


sábado, 28 de janeiro de 2012

Ministério Público abre inquérito civil e apura denúncias contra a COPASA

Denúncia feita pelo vereador Vanderlei Pequeno foi aceita pelo MP que está investigando o caso
 

MP vai apurar as denúncias feitas
Como foi alertado diversas vezes, em jornais, rádios e no próprio plenário da Câmara pelo vereador Vanderlei Pequeno, o contrato de programa assinado entre o município e a Copasa contém ilegalidades gritantes. Dentre elas, a cobrança antecipada de tarifa de esgoto sem ainda haver tratamento. 

Uma outra denúncia feita pelo vereador foi a de ausência de audiências públicas precedendo a assinatura do contrato, como exige a lei. A participação da sociedade foi pífia, limitando-se a uma "audiência" na policlínica no estilo "todos podem falar desde que no final prevaleça a nossa opinião". 

Houve também a venda da rede de esgoto existente, que é patrimônio público, a preço de banana para a Copasa.

Mais recentemente, denunciamos no jornal "Cataguases em Notícias" a prática abusiva da Copasa de juntar numa mesma conta, água e esgoto. Isso é proibido, por lei.

Por último, o advogado Eduardo Barcellos nos informa em entrevista que sairá na próxima edição do "Cataguases em Notícias" (fevereiro), que "o convênio firmado pelo município com a COPASA, no meu entendimento, é nulo de pleno direito, pois a COPASA, quando contratou, tinha dezenas de inscrições nos órgãos de proteção ao crédito, assim, não pode apresentar certidão negativa de débito que é exigida por lei para que possa contratar com o Município".

O Ministério Público tomou conhecimento dessas denúncias pela mídia, houve também uma ação judicial movida pela ASMOC (Associação de Moradores do Centro da Cidade), organizada pelo vereador Vanderlei Pequeno (PT), que não foi acatada pela juíza, sem ao menos ler o conteúdo. Por tudo isso, o MP abriu o inquérito civil. Vamos cobrar e ver no que vai dar desta vez. 
 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Garantia de produtos e serviços: você conhece seus direitos?


Por Vítor Gulinski, advogado.
Especialista em Direito do Consumidor

       Poucos consumidores sabem, mas a garantia de produtos e serviços colocados no mercado de consumo não está adstrita àqueles prazos comumente expressos na publicidade veiculada pelos fornecedores, tampouco ao respectivo termo que acompanha os produtos e serviços quando de seu fornecimento.

     Duas são as garantias disponibilizadas ao consumidor, a fim de assegurar-lhe a regular fruição dos produtos e serviços comercializados, a saber: a garantia legal e a garantia contratual. Trataremos, inicialmente, da garantia contratual, que é aquela de conhecimento comum entre os consumidores.

   É recorrente, ao depararmo-nos com publicidades, ou mesmo no ato da aquisição de produtos e contratação de serviços, com dizeres do tipo: “1 ano de garantia”, “garantia até a Copa do ano tal”, e até mesmo produtos que, hodiernamente, e consoante os respectivos fabricantes, possui garantia vitalícia. Essa é a chamada garantia contratual, isto é, uma garantia facultativa, concedida deliberadamente pelos fornecedores aos consumidores, como instrumento de afirmação da qualidade dos bens colocados no mercado de consumo.
       Todavia, em que pese a existência dessa garantia denominada contratual, é necessário esclarecer que o consumidor possui a seu favor a garantia legal, isto é, aquela decorrente das normas do Código de Defesa do Consumidor, e que muitas vezes lhe é dolosamente omitida pelos fornecedores, ou até mesmo ignorada por estes em alguns casos.
      A garantia legal é obrigatória e inderrogável, sendo imposta aos fornecedores por força da sistemática do Código de Proteção e Defesa do Consumidor (Lei nº. 8.078/90). E dizemos sistemática porque a referida lei não contempla regra expressa acerca da garantia legal.
      Apesar disso, para solucionar a questão o legislador consumerista fixou como prazos de garantia legal aqueles etiquetados no art. 26 do referido Codex, que diz:
Art. 26 – O direito de reclamar pelos vícios aparentes ou de fácil constatação caduca em:
I – 30 (trinta) dias, tratando-se de fornecimento de serviço e de produto não duráveis;
II – 90 (noventa) dias, tratando-se de fornecimento de serviço e produto duráveis.
Exemplificando: se o consumidor adquire um televisor, e consta na embalagem e no termo de garantia – “01 ano de garantia” – na verdade esta será de 01 ano e três meses, uma vez que deverão ser somados ao prazo da garantia contratual (01 ano) mais 90 dias, referentes à garantia legalmente estipulada, por se tratar de fornecimento de produto durável. Assim, equacionando temos: garantia total = garantia contratual (fornecedor) + garantia legal (CDC).
       É dessa forma que o consumidor deverá exercitar seus direitos, e sempre observando a natureza dos produtos e serviços, pois é comum que os fornecedores neguem cumprimento à garantia após o decurso do prazo por eles oferecido, o que, registre-se, atenta veementemente contra os princípios da boa-fé e da transparência.
Imperioso lembrar que, no caso de garantia contratual, esta deverá constar expressamente, a teor da regra do art. 50 do CDC, in verbis:
Art. 50 – A garantia contratual é complementar à legal, e será conferida mediante termo escrito.
Parágrafo único – o termo de garantia ou equivalente deve ser padronizado e esclarecer, de maneira adequada, em que consiste a mesma garantia, bem como a forma, o prazo e o ligar em que pode ser exercitada e os ônus a cargo do consumidor, devendo ser-lhe entregue, devidamente preenchido pelo fornecedor, no ato do fornecimento, acompanhado de manual de instrução, de instalação e uso do produto em linguagem didática, com ilustrações.
       Conclui-se, então, que a garantia concedida pelo fornecedor não pode ser conferida de forma verbal. A lei exige termo escrito e padronizado, a fim de que os consumidores sejam atingidos uniformemente, e com todas as informações indispensáveis à correta utilização do produto ou do serviço, uma vez que o consumo deve consistir em atividade refletida e racional. A esse respeito, registre-se que a informação sobre a garantia é direito básico do consumidor, consoante disposição do art. 6º, III, do respectivo diploma legal, valendo aqui sua transcrição:
Art. 6º – São direitos básicos do consumidor:
III – a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade, preço e garantia, bem como sobre os riscos que apresentem.
       Sendo assim, ficam registradas tais considerações, de forma a orientar os consumidores, lembrando que nossa legislação consumerista assegura àqueles ampla proteção, mesmo após a conclusão dos negócios realizados com os fornecedores (fase pós-contratual), lembrando, ainda, que o consumidor deve ser, acima de tudo, um fiscal das atividades no mercado de consumo, na medida em que possui à sua disposição uma legislação avançada e de fácil compreensão, porquanto é seu principal destinatário.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Vanderlei Pequeno e Prefeito Willian se reunem com deputado Reginaldo Lopes


 
O deputado Reginaldo Lopes esteve em Cataguases  na segunda-feira, 09, e encontrou-se com o vereador Pequeno e  os militantes do PT,  Luciano Andrade e Mateus. Participaram de um café da manhã, no Beville Hotel, o  prefeito e seu procurador. Reginaldo veio representando a bancada dos deputados federais no Congresso  e tinha como missão conhecer de perto os problemas decorrentes das enchentes  na região.

Além das enchentes, outro problema discutido foi a obra de acesso a Cataguases(Rodovia MG 285),   logo após o bairro Taquara Preta (Clique aqui e saiba o que o Blog já escreveu sobre este assunto)
 
Reginaldo ficou de procurar uma solução, no sentido de  retomar os trabalhos, para resolver esse problema fundamental para o crescimento de nossa cidade. Esta mesma demanda havia sido levada ao deputado Federal Padre João (PT-MG) e Deputado Rogério Correia (PT-MG) (Clique aqui e veja a matéria).
 
   Pequeno aproveitou para cobrar do deputado uma solução para a implantação do IF – Instituto Federal(Antigo CEFET), demanda que se arrasta já a algum tempo. Reginaldo informou que já foi autorizada a licitação para o início das obras e que é necessário resolver ainda o problema de oferta de professores para lecionar no instituto.
    Na parte da tarde, houve uma reunião em Ubá, onde representantes do governo federal orientaram os prefeitos sobre os encaminhamentos de pedido de liberação de recursos do governo federal para fazer frente às demandas ocorridas com as enchentes.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Como anda o plano diretor de Cataguases?

              O Plano Diretor é um dos instrumentos de preservação dos bens ou áreas de referência urbana, previsto no artigo 182 § 1º da Constituição Federal e na Legislação Federal através da Lei 10.257/ 01, popularmente conhecida como Estatuto da Cidade.

            O Plano Diretor é um instrumento básico da política de desenvolvimento do Município, pois sua principal finalidade é fornecer orientação ao Poder Público e a iniciativa privada na construção dos espaços urbanos e rurais na oferta dos serviços públicos essenciais, visando assegurar melhores condições de vida para a população, adstrita àquele território. Trata-se pois, de uma lei municipal específica, cujo objeto é o planejamento municipal, mediante atividades e empreendimentos do Poder Público e das pessoas físicas e jurídicas, que leva em conta os anseios da população. Daí, ser chamado também de Plano Diretor Participativo. 
            Em suma, o Plano Diretor é uma lei municipal que estabelece diretrizes para a adequada ocupação do município, determinando o que pode e o que não pode ser feito em cada parte do mesmo.
            Na fase que antecede sua aprovação, vereadores e representantes comunitários, através de audiências públicas e debates, discutem os problemas urbanos, objetivando a construção de uma cidade sustentável para as presentes e futuras gerações.
            Cabe lembrar que antes da vigência do Estatuto da Cidade, o Plano Diretor era obrigatório  para municípios cuja população ultrapassasse 20 mil habitantes. Agora, também é exigido para as regiões metropolitanas, aglomerações urbanas e cidades integrantes de áreas especiais de interesse turístico, bem como as que possuem em seus limites territoriais empreendimentos ou atividades com significativo impacto ambiental.
            O Estatuto da Cidade estabeleceu o prazo de cinco anos, que expirou em 10/10/2006,  para que cada município elaborasse ou revisasse as regras de ocupação do solo, sob pena de expor os chefes dos Executivos locais a processos de improbidade administrativa, cuja pena máxima poderia ser a perda do mandato.
            Seu conteúdo deveria estabelecer no mínimo a delimitação das áreas urbanas onde poderia ser aplicado o parcelamento, a edificação ou a utilização compulsória, levando em conta a infra-estrutura e demanda para a utilização do solo urbano não edificado, subutilizado ou não utilizado. Estabelece as condições de exercício do direito de preempção, da outorga onerosa do direito de construir, das áreas onde serão permitidas a alteração de uso do solo e as operações urbanas consorciadas. 

                  Tudo muito bonito, muito romântico, mas na cidade onde moro,  homens públicos dão um péssimo exemplo, construindo às margens do meia - pataca. Aí mora o perigo: para os amigos tudo, para os inimigos a lei!

Os Maias não tinham TV, não assistiam ao BBB e nunca foram ao Canadá.
Penso, logo, existo!
Como anda o plano diretor de Cataguases?

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Enquete sobre as enchentes: resultado.

Sobre as enchentes em Cataguases, correm boatos de que não foi só chuva, houve liberação de águas de barragem e outras versões. O "Blog Notícias de Cataguases" quer saber: Na sua opinião, qual a causa das cheias em Cataguases?

Total de votos: 53

Documentário Fahrenheit 9/11: O que é a democracia?

Fahrenheit 9/11 é um documentário americano de 2004 escrito, estrelado e dirigido pelo cineasta estadunidense Michael Moore. Fala sobre as causas e consequências dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, fazendo referência à posterior invasão do Iraque, liderada por esse país e pela Grã-Bretanha. Além disso, tenta decifrar os reais alcances dos vínculos que existiriam entre as famílias do presidente George W. Bush e a de Osama bin Laden.
O título do filme faz referência ao livro Fahrenheit 451 (233°C, que representa a temperatura em que arde o papel), escrito em 1953 por Ray Bradbury, e também aos atentados de 11 de setembro de 2001, já que "11/9" se escreve "9/11" nos países de língua inglesa.

Sugerindo "a temperatura que arde a liberdade", este documentário ressalta especificamente a relação entre a família Bush e pessoas próximas a ela, com membros de eminentes famílias da Arábia Saudíta (incluindo a família de Bin Laden), em uma relação que se estende durante mais de trinta anos, assim como a evacuação de familiares de Osama bin Laden organizada pelo governo de George W. Bush depois dos ataques de 11 de setembro. Se bem que essa relação de negócios entre os clãs Bush e Bin Laden não seja discutida, a mesma não é amplamente conhecida.

A partir daí, o filme dá pistas sobre as verdadeiras razões que têm impulsionado o governo Bush a invadir o Afeganistão em 2001 e Iraque em 2003, ações que, segundo Moore, correspondem mais à proteção dos interesses das indústrias petrolíferas norte-americanas do que ao desejo de libertar os respectivos povos ou evitar potenciais ameaças. O documentário insinua que a guerra com o Afeganistão não teria como principal objetivo capturar os líderes da Al Qaeda e, sim, favorecer a construção de um oleoduto, e que o Iraque não era, no momento da invasão, uma ameaça real para os Estados Unidos, senão uma fonte potencial de benefícios para as empresas norte-americanas.

Fonte: Wikipédia

Link para assistir no Youtube: Clique aqui

Nota do blog: Qualquer semelhança de fatos terá sido mera coincidência.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Cáritas se reúne em Leopoldina e avalia emergência na Zona da Mata

  Por Lívia Bacelete, 
assessora de comunicação da Cáritas Regional Minas Gerais
As fortes chuvas em Minas Gerais já afetaram 192 municípios, sendo que 137 decretaram situação de emergência, de acordo com o último boletim da Defesa Civil no estado. Até agora são 46.970 pessoas desalojadas, 3.145 desabrigadas, 3 desaparecidas, 119 feridas e 15 mortas, totalizando 2.905.383 pessoas afetadas pelas chuvas que assolam o estado e a região sudeste.
Diante disso, estão reunidos em Leopoldina, desde as 8h da manhã, os agentes da Cáritas Brasileira, uma organização católica que atua em diversas áreas e nesse caso, nas emergências sociais.
 Representando Cataguases estão este ordinário blogueiro (presidente de associação de moradores e voluntário desta instituição), Dayane Fernandes (Voluntária), Edinho da Biblioteca (Fé e Política - Católica) Sr Manoel (Pastorais Sociais) e Lúcia Helena (Movimento Negro).
 O assessor Márcio Camargo, da Cáritas Regional Minas Gerais, e José Magalhães, da Cáritas Brasileira, pretendem reunir forças os parceiros locais em Leopoldina, Governador Valadares e Belo Horizonte, entre eles, pastorais sociais, comunidades, defesa civil, assistência social e outros. A visita tem o objetivo de assessorar as equipes das Cáritas Diocesanas na ação, em vista dos danos causados pelas chuvas, além de montar um plano de ação emergencial. 
 Márcio Camargo, da Cáritas Regional Minas, conta que o objetivo principal é levantar as informações da situação nas dioceses e paróquias das regiões mais afetadas. “Estamos buscando informações de como está o cadastramento das famílias, os abrigos, a atuação do poder público, se existem equipes de trabalho, quais são elas. Queremos saber a demanda real e concreta, ou seja, o que estas pessoas estão precisando agora”, afirma.
Agentes Cáritas em Leopoldina, avaliam situação da Zona da Mata
 No município de João Monlevade, Valdete da Cruz, da Cáritas Diocesana de Itabira, conta que a Cáritas tem abrigado algumas famílias na Associação Regional de Promoção Social (Arpas). Ela diz que até agora existem 4 alojamentos para as famílias desabrigadas na cidade, sendo a Arpas um deles. “No total, são cerca de 24 famílias nestes alojamentos com, aproximadamente, 80 pessoas. A Cáritas, junto à Diocese de Itabira, a prefeitura e a Defesa Civil, está acolhendo e apoiando essas famílias”, explica Valdete.
 No encontro de hoje em Leopoldina, após discussão e levantamento de dados, foram eleitas como mais urgentes, as ações nas cidades de Dona Euzébia, Guidoval e Além Paraíba. O encontro contou com representantes das cidades de Leopoldina, Muriaé, Patrocínio do Muriaé e Leopoldina.


Site da Cáritas Brasileira: 
www.caritas.org.br/

Diretores de quatro Superintendências Regionais de Ensino tomam posse

Tomaram posse os diretores das SREs de Manhuaçu, Diamantina, Governador Valadares e Leopoldina

Os novos diretores das Superintendências Regionais de Ensino (SREs) de Manhuaçu, Patrícia Luciene Lima Fialho, Diamantina, Cesário Matias de Almeida Júnior, Leopoldina, Solange Soares Cabral Riquetti, e Governador Valadares, Sandra Márcia Ferreira, assinaram na manhã desta sexta-feira (13-01) o termo de posse junto à secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola.
Durante a cerimônia que contou com a presença de representantes de diferentes setores da Secretaria de Estado de Educação (SEE), Ana Lúcia Gazzola ressaltou a importância do trabalho dos diretores para que Minas continue oferecendo uma educação de qualidade. “Vocês são os secretários de educação em suas sub-regiões. Vocês que estão começando têm o desafio do começo e os diretores que estão sendo reconduzidos têm que fazer melhor nesse novo momento”.

A secretária também falou sobre os projetos da SEE e dos resultados alcançados em 2011 no Programa de Avaliação da Alfabetização 2011 (Proalfa). Os resultados da avaliação do último ano mostraram que 88,9% dos alunos do 3º ano do ensino fundamental das escolas estaduais sabem ler e interpretar textos.

Experiência Profissional

Patrícia Luciene Lima Fialho – Formada em inspeção escolar e em pedagogia. A nova diretora da SRE de Manhuaçu é pós-graduada em inspeção escolar e já atuou como diretora educacional e assessora da Superintendência.

Cesário Matias de Almeida Júnior – Formado em letras, história e direito. O novo diretor da Superintendência Regional de Ensino de Diamantina atua na área da educação há 28 anos e foi diretor da Escola Estadual Professor Leopoldo Miranda, no município de Diamante, por 12 anos.

Solange Soares Cabral Riquetti – Formada em pedagogia e pós-graduada em psicopedagogia. A nova diretora da SRE de Leopoldina atuou como diretora da Escola Estadual Astolfo Dutra, em Cataguases, durante 13 anos. A gestora atua na área da educação há 23 anos.

Sandra Márcia Ferreira – Já trabalha como diretora da SRE de Governador Valadares há um ano e meio. Formada em pedagogia e pós-graduada em orientação escolar, a gestora já atuou como inspetora na Superintendência e como diretora de escola estadual, por 11 anos.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Dilma libera FGTS para vítimas de chuvas

O governo autorizou o saque de até R$ 6.220,00 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para quem foi vítima de desastres naturais, no início deste ano. A medida beneficia as vítimas das enchentes em Minas Gerais e Rio de Janeiro. O saque, porém, está condicionado à última movimentação da conta do Fundo. 

Abaixo, a íntegra do decreto, publicado esta quinta (12), no Diário Oficial da União:

DECRETO No 7.664, DE 11 DE JANEIRO DE 2012
Dá nova redação ao art. 4o do Decreto no 5.113, de 22 de junho de 2004, que
regulamenta o art. 20, inciso XVI, da Lei no 8.036, de 11 de maio de 1990, que dispõe sobre o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS.
A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e tendo em vista o disposto na alínea "c" do inciso XVI do caput do art. 20 da Lei no 8.036, de 11 de maio de 1990, D E C R E T A:
Art. 1o - O art. 4o do Decreto no 5.113, de 22 de junho de 2004, passa a vigorar com a seguinte redação: "Art. 4o - O valor do saque será equivalente ao saldo existente na conta vinculada, na data da solicitação, limitado à quantia correspondente a R$ 6.220,00 (seis mil duzentos e vinte reais), por evento caracterizado como desastre natural, desde que o intervalo entre uma movimentação e outra não seja inferior a doze meses." (NR)
Art. 2o - Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.
Art. 3o - Fica revogado o Decreto no 7.428, de 14 de janeiro de 2011.

Brasília, 11 de janeiro de 2012; 191o da Independência e 124o da República.

Dilma Rousseff, presidente da República; 
Guido Mantega, ministro da Fazenda; 
Paulo Roberto dos Santos Pinto, ministro interino do Trabalho.

Sapucaia contabiliza 19 corpos

Depois de quatro dias de trabalho, as equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil, localizaram na manhã desta quinta-feira mais uma vítima do deslizamento de terra que atingiu nove casas em Jamapará, distrito de Sapucaia, no Centro-Sul Fluminense. Com isso, subiu para 19 o número de mortos em decorrência das chuvas na região.

Delas, 18 morreram no deslizamento, e outra depois do desabamento de uma casa em outro ponto do município. O décimo nono corpo encontrado é de um homem que ainda não foi identificado. Pelo menos três pessoas ainda estão desaparecidas, mas autoridades acreditam que ainda há mais pessoas soterradas no local.
Na quarta-feira, foi encontrado o Fusca no qual cinco pessoas de uma mesma família foram soterradas durante o deslizamento em Jamapará. Os bombeiros tiveram que usar alicates hidráulicos para romper a lataria do veículo e retirar os cinco corpos.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Livro mais vendido do Brasil ainda tem exemplar em Cataguases

Por Elias Júnior

O livro desapareceu das prateleiras.
 "A Privataria Tucana" é um fenômeno de vendas no Brasil. O livro de autoria do jornalista brasileiro Amaury Ribeiro Jr. é resultante de 12 anos de investigação jornalística sobre a chamada "Era das Privatizações", ocorrida no governo Fernando Henrique Cardoso (FHC), sob o comando do então Ministro do Planejamento José Serra, ex-governador do Estado de São Paulo.

No Brasil inteiro o livro está desaparecido das prateleiras devido ao enorme sucesso de vendas. A investigação é considerada a reportagem do século, por muitos especialistas.

Aparentemente boicotado pela mídia nacional (Veja, Folha, O Globo, etc) o livro rompeu a barreira do anonimato, quando caiu na blogosfera. De um lado, o governo, vendendo o patrimônio público a preço de banana. Do outro, o mercado, comprando as empresas e garantindo vida mansa aos netos. Entre as duas pontas, os lavadores de dinheiro, suas conexões com a mídia e com o mundo político.

O jornalista Luiz Fernando Emediato, da Geração Editorial, que publicou o livro, afirmou que a primeira edição esgotou-se na própria sexta-feira, no seu lançamento. Todos os 30,5 mil exemplares foram vendidos.

“Só nesta segunda-feira, vendemos 15,5 mil exemplares”, conta. “A rede Saraiva pediu 6.500 exemplares, a Fnac, 4.000 e a Cultura, 5.000. Em consequência, aumentamos de 15 mil para 30 mil cópias a tiragem da reimpressão”. Ou seja, 30,5 mil exemplares vendidos desde sexta-feira.

A expressão que deu origem ao título do livro,“privataria”, foi criada pelo jornalista Elio Gaspari, referindo-se à nebulosidade que envolvia as operações de privatização e ligando ao termo pirataria. Amaury Ribeiro Jr. resolveu utilizá-la pela adequação aos atos que qualificou como pirataria, que teriam sido praticados ao longo do processo de privatizações, envolvendo dinheiro público, em benefício de fortunas pessoais e realizadas por meio das chamadas "offshores", empresas de fachada que operam em Paraísos Fiscais no Caribe.

Em Cataguases
Em nossa cidade restam alguns poucos exemplares na livraria Sebo "Aluados", localizada no Edifício Rotary. A segunda edição está sendo providenciada e enquanto não chega, os sites de venda "On-line" realizam uma pré-venda.

Na internet

O livro, que levou 12 anos para chegar às livrarias, sintetiza a rapinagem promovida pela administração tucana no governo federal, com base em documentos, todos públicos. Com a primeira edição esgotada nas livrarias, o destino inevitável foi cair na internet, em formato PDF. Basta digitar "download Privataria Tucana"  no site "Google" e qualquer internauta tem acesso ao documento no formato PDF. 

Apesar de estar sendo "baixado" gratuitamente na rede, o livro cresce cada dia mais em números de exemplares vendidos. O formato PDF (Portable Document File) permite que se passe para o formato digital um documento, que pode ser lido pelo software Acrobat Reader, de distribuição gratuita.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Chuvas causam 15 mortes em MG: acompanhe caso a caso.

Óbitos
 

Desaparecidos

Cataguases e cidades vizinhas ainda sofrem com o efeito das chuvas

Cataguases:

Avenida Meia Pataca, Cataguases.
A defesa civil foi acionada.
Cataguases, aos poucos vai se recuperando das cheias mas ainda sofre com as consequência das águas. Devido ao excesso de água no solo, diversos afundamentos de pistas foram detectados na mahã de hoje. O primeiro foi detectado por este ordinário blogueiro que trafegava pela Avenida Meia Pataca, por volta da 6h da manhã. Detectando o problema, entrei em contato com a defesa civil, que isolou o local. Além deste, pelo menos outros dois afundamentos foram ampliados na Avenida Nicolau Siervi, na Vila Minalda.

Trânsito está lento na entrada da cidade.
Depois das cheias, o prejuízo.
As saídas de Cataguases também estavam comprometidas, já que a depressão que situa-se na rodovia Dr. Ângelo Rocha, MG 120 que liga Cataguases a Leopoldina, aumentou causando insegurança entre os motoristas. Por ser estadual, a rodovia deverá receber massa asfáltica do DER-MG, ainda esta semana para normalizar o tráfego. O trânsito está lento pois há necessidade de transitar em meia pista.

Miraí:

Na estrada Miraí - Guiricema a interdição continua e na rodovia que liga Cataguases a Muriaé, ainda existem muitas quedas de barreiras.

Além Paraíba:


BR-116, no Km 800,9 onde foi interditado
em Além Paraíba (Foto divulgação PRF/G1)

Em Além Paraíba a situação agravou-se devido às fortes chuvas e cheias do rio Paraíba do sul. Na estrada que liga à Leopoldina, existem diversas quedas de barreiras, porém sem comprometer integralmente o tráfego. Até o início da noite de segunda-feira, vários bairros da cidade ainda estavam sem energia elétrica e telefone. O acesso ao município é precário. Quando a água começou a baixar, no meio da tarde, era possível observar o rastro de destruição deixado pela enxurrada: muito lixo ficou espalhado pelas ruas, carros ficaram empilhados e dezenas de árvores se partiram. Pelo menos oito pontes caíram. Cerca de 400 famílias estão desabrigadas. De acordo com informações da Polícia Militar, três pessoas morreram no município em consequência das fortes chuvas que caíram na região na madrugada de segunda-feira. São elas: Aparecida Alves, de 32 anos, a qual teve sua casa arrastada pelas enxurradas. Corpo localizado e identificado; Igor Alves Moraes, de 3 anos, filho de Aparecida Alves. Arrastado pelas enxurradas. Corpo localizado e identificado; Indivíduo do sexo masculino, de aproximadamente 50 anos, ainda não identificado. Teve sua residência atingida por deslizamento de uma encosta. Corpo localizado e não identificado;
Ainda conforme informações da Polícia Militar, está desaparecida: Roseli do Nascimento, de 45 anos, teria sido arrastada pelas enxurradas. As buscas pelo Corpo de Bombeiros prosseguem.

Ponte Nova: Homem é eletrocutado e morre.

Vítima: Diego Tuler Vieira, 28 anos

“A vítima perdeu o equilíbrio ao tentar a travessia pelo beiral da ponte sentido Banco do Brasil” (histórico do BO). No meio do trajeto a vítima tocou um poste de iluminação pública e foi atingido por descarga elétrica, ficando imóvel por alguns minutos e em seguida arrastado pela enxurrada.

Nota: No final da tarde, as estradas em Miraí-Muriaé, saída de Cataguases (via MECA)
e Além Paraíba - RJ, foram liberadas parcialmente. Camargos continua interditada.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Vila Minalda em meia pista: Camargos continua interditada.


Devido às fortes chuvas e inundações dos últimos dias, a Avenida Nicolau Siervi, na Vila Minalda apresenta afundamento de terra em diversos trechos. O primeiro é próximo ao início do asfalto, ainda perto da ponte metálica. O segundo e aparentemente maior, é próximo a entrada do Bairro Primavera.


Ponte de Camargos está interditada
Ponte se moveu lateralmente
A ponte em Barão de Camargos continua interditada devido sua estrutura etsar abalada. Devido à força da correnteza, a ponte se deslocou cerca de 50 cm lateralmente e corre risco de ceder, caso continue sendo usada. O engenheiro que construiu a ponte está sendo aguardado para fazer uma avaliação mais criteriosa da ponte.

Reunião em Ubá une forças do governo do Estadual e Federal

Vadinho Baião,
prefeito de Ubá-MG
O Governo de Minas vai disponibilizar em Ubá, na Zona da Mata, a partir de hoje, um ponto de apoio aos municípios afetados pelas chuvas. A iniciativa será desenvolvida em parceria com a União. O posto avançado irá funcionar na Câmara Municipal de Ubá (Rua Santa Cruz, 301, Centro), a partir das 14 horas. Neste momento diversos prefeitos, secretários municipais e vereadores das cidades afetadas acompanham as explanações do Prefeito de Ubá, Vadinho Baião (PT), coronel Luis Carlos Dias Martins, e pelo diretor do Departamento de Minimização de Desastres da Secretaria Nacional de Defesa Civil, Rafael Schadeck. O Prefeito Wiliam Lobo de Almeida, também está presente.
Coronel Luis Carlos Dias Martins
Técnicos do governo federal a partir de hoje, estarão à disposição dos prefeitos para ajudar a providenciar, de forma correta, a documentação necessária para obtenção de recursos federais, além da análise de projetos de reconstrução, de forma a agilizar a liberação da ajuda federal. Os prefeitos também estão sendo orientados sobre a aplicação adequada dos recursos e sobre a utilização do Cartão de Pagamento da Defesa Civil Nacional, distribuído às prefeituras para que elas possam normalizar a prestação dos serviços públicos essenciais à população.
“Hoje, a maioria dos municípios afetados está na região da Zona da Mata. Com esta ação, será implantada uma estrutura dos governos estadual e federal na cidade de Ubá, para que os técnicos do Estado e da União recebam os prefeitos e seus representantes, para que eles possam apresentar ao governo federal suas necessidades e, a partir dali, iniciarmos o processo de reconstrução. Esse trabalho vai ser feito pela equipe do governo federal porque os recursos serão federais. Todo esse processo será feito diretamente com municípios, evitando a intermediação no repasse das verbas de urgência”, destacou o coordenador da Cedec, coronel Martins.
Segundo a Defesa Civil Estadual, é fundamental que os municípios apresentam  o documento de avaliação de dados (Avadan) preparado pelas Coordenadorias Municipais de Defesa Civil (Comdec) e que  precisa ser agregado aos pedidos dos prefeitos à Secretaria Nacional de Defesa Civil. De acordo com coronel Luis Carlos Martins, esses projetos não irão requerer burocracia, porque deverão ser feitos e atendidos em caráter de emergência e poderão ser iniciados tão logo os projetos sejam aprovados pela Secretaria Nacional.
“Neste momento, está sendo realizado um apoio emergencial aos municípios atingidos. A orientação do governador Anastasia é de restabelecer a normalidade nos municípios, seja por meio das vias de acesso, do atendimento à saúde e apoiando as comunidades que foram atingidas diretamente, com ajuda humanitária, como distribuição de alimentos, água potável, material de limpeza e higiene pessoal. Vamos continuar com esse acompanhamento, com nossas equipes em todos os municípios. É importante ressaltar que as chuvas continuam. Temos previsão que chova de sexta até domingo. Então, temos que continuar nosso trabalho, emitir nossos alertas, orientar as cidades que eventualmente poderão ser atingidas e manter um atendimento específico e essencial a todos os municípios”, ressaltou o coronel Martins.

Fonte: Assessoria de Imprensa PMU

De quem é a culpa das enchentes? Faltou dizer


Zeca Junqueira é jornalista
   Em meados de 2009, por solicitação do vereador Pequeno (PT), foi instituída pela Câmara dos Vereadores uma Comissão de Assuntos Relevantes para apurar as prováveis causas da enchente de 2008. Após oito reuniões de trabalho, foram apontadas três causas principais para as cheias daquele ano: o excesso de chuvas; a falta de comunicação entres as PCH´s e Usina, que teriam soltado água no mesmo momento e aleatoriamente, sem uma saber quanto a outra estava soltando; e o assoreamento dos rios.
Dentre as ações preventivas, a comissão sugeriu em seu relatório final:
I - Que o Executivo Municipal acione órgãos e entidades, tais como o Consórcio Intermunicipal para Proteção e Recuperação da Bacia do Pomba, EMATER, Instituto Estadual de Florestas, Entidades Públicas e Empresas Privadas, Universidades e, sobretudo, as Prefeituras dos municípios a montante do Rio Pomba, dentre outros,  objetivando uma ação conjunta de proteção ambiental do rio;
II – Que busque a intervenção do Ministério Público, através da Curadoria de Meio Ambiente, com o objetivo de determinar que as PCH’s e a Usina implantem mecanismos de controle, no sentido viabilizar a abertura alternada das comportas;
III - No município de Cataguases é urgente a adoção de medidas que visem a proteção do leito do rio Pomba, particularmente no seu trecho urbano, bem como dos ribeirões Passa Cinco, Meia Pataca e dos córregos Romualdinho e Lava Pés, tais como:
- Implantar e/ou intensificar a fiscalização visando coibir a ocupação e as construções ribeirinhas irregulares;
- Fazer a limpeza anual dos bueiros antes das chuvas, impedindo o seu entupimento pelo lixo constituído de folhas, areia e terra.
- Implantar e/ou intensificar ações educativas e fiscalizatórias relativas à coleta do lixo domiciliar e comercial, com especial atenção para o acondicionamento e a colocação do lixo nas vias públicas nos horários estabelecidos, envolvendo, para tanto, as secretarias municipais de Educação, Saúde e Obras, Associações de Bairros, Associações Rurais e Igrejas, dentre outras entidades;
- Implementar o Plano de Contingência, bem como programar investimentos para estruturação física, de equipamentos e treinamentos para os funcionários e voluntários  envolvidos com a Defesa Civil do município.
Dentre as ações propostas, quantas a Prefeitura adotou?
Fica bastante claro que o Executivo foi omisso (pois recebeu o relatório) ao não atacar as causas das enchentes que vêm assolando Cataguases, principalmente no que se refere ao assoreamento do Rio Pomba, à destruição das matas ciliares, que protegem suas margens, e a ocupação desordenada das mesmas pela população ribeirinha. Apenas o Plano de Contingência foi implementado pelo governo do professor Willian, o que não ataca a raiz do problema, pois o plano atua basicamente nos efeitos. Resultado: três anos depois, o Rio Pomba responde novamente aos destratos que vem sofrendo e deixa um rastro de destruição e impõe prejuízos em torno de R$ 20 milhões à cidade. O professor Willian e sua equipe não acataram as sugestões da Comissão de Assuntos Relevantes da Câmara, os vereadores não cobraram e o estrago se repetiu.
Vale questionar: temos necessidade de tantas usinas e barragens que represam o Rio Pomba em nossa região? Comenta-se na cidade que as PCH´s teriam soltado água dessincronizadas novamente, como em 2008. Logicamente, as usinas vão negar. Sugestão: por que não viabilizarmos o controle dessas usinas pela sociedade durante todo o período chuvoso, uma vez que a administração pública não o faz? Até o Judiciário tem controle através do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Não valeria também realizar uma avaliação técnica, solicitada pela Câmara dos Vereadores, de todas as barragens, como forma de prevenção contra rompimentos?
O problema tem solução, mas se a sociedade cataguasense não se organizar para salvar sua cidade, cobrando ações positivas do poder público, Cataguases vai acabar se tornando inviável; ou sendo arrasada. Porque os mesmos erros continuam sendo cometidos, em intensidade cada vez maior.

P.S. – O relatório de conclusão dos trabalhos da Comissão de Assuntos Relevantes que apurou as causas da enchente de 2008 está disponível no gabinete do Vereador Pequeno, para quem quiser cópia.

Reginaldo Lopes visita Cataguases e assume demandas

Reginaldo Lopes é presidente do PT-MG.
Na manhã de hoje, esteve em Cataguases o Deputado Federal Reginaldo Lopes.  O Deputado -  junto com representantes do mandato do Vereador Vanderlei Pequeno, a procuradoria do Município e o Prefeito - visitou a MG 281, (saída para Leopoldina, via Taquara Preta)estrada iniciada em 2001 e que, até hoje, não foi terminada pelo governo federal. Reginaldo assumiu que irá trabalhar junto ao governo federal, no sentido de resolver esse grave problema de acesso a Cataguases. 

Na parte da tarde(14 horas), o deputado estará em Ubá, participando de um encontro com a Defesa Civil federal, estadual e da região, para discutir os problemas decorrentes das últimas cheias na região.

Nota do Elias Júnior:

Esta é uma bandeira de luta que não posso abandonar. Entendo ser um absurdo este trecho não ter sido concluído. Eu mesmo já apresentei denúncia ao TCU (Tribunal de Contas da União) e fiz representações na ouvidoria do DNIT. Quando outros deputados do PT estiveram em Cataguases, estas demandas foram apresentadas. (Leia aqui esta matéria). Também apresentei o caso ao CQC da Band, mas não obtive êxito. Fato é que esta ligação entre o trevo de Cataguases e a Taquara Preta já era para estar pronta há 10 anos. Cobrem do Governo FHC e Lula. A obra iniciou em 2000 e tinha término previsto para 2001. Há11 anos ela está parada, por questões judiciais. Um exemplo clássico de desperdício do dinheiro público.

EUA querem Calar a boca dos internautas

EUA: estado totalitário e militar

Por Miguel Urbano Rodrigues, 
no sítio português O Diário

O Presidente Barack Obama ofereceu ao povo norte-americano no dia 31 de Dezembro um presente envenenado para 2012: a promulgação da chamada Lei da Autorização da Defesa Nacional.

O discurso que pronunciou para justificar o seu gesto foi um modelo de hipocrisia. O presidente declarou discordar de alguns parágrafos da lei. Sendo assim, poderia tê-la vetado, ou devolvido o texto com sugestões suas. Mas não o fez.



No dia 24 de Janeiro, o Senado vai votar um projecto, o SOPA, que autoriza a Secretaria de Justiça a criminalizar qualquer Web cujo conteúdo seja considerado ilegal ou perigoso pelo governo dos EUA. De acordo com o texto em debate, a simples colocação de um artigo numa rede social pode motivar a intervenção da Justiça de Washington.

A iniciativa foi já definida por alguns media como um terramoto político. O pânico que provocou foi tamanho que a Netcoalitioncom, aliança que agrupa gigantes digitais como Facebook, Twitter, Google, e Yahoo, AOL e Amazon admite um «apagão colectivo» durante horas se o Congresso aprovar o projecto.

A lei, teoricamente motivada pela necessidade de combater a pirataria digital, será de aplicação mundial. Por outras palavras, se uma Web europeia, asiática ou africana publicar algo que as autoridades norte-americanas considerem «perigoso» pode ser bloqueada nos EUA por decisão da Justiça de Obama.

"Governo militar de traje civil?"

Despojada da retórica que a envolve, a Lei da Autorização da Segurança Nacional, ora vigente, revoga na prática a Constituição bicentenária do país.

Afirma Obama que a «ameaça da Al Qaeda à Segurança da Pátria» justificou a iniciativa que elimina liberdades fundamentais. A partir de agora, qualquer cidadão sobre o qual pese a simples suspeita de ligações com «o terrorismo» pode ser preso por tempo ilimitado. E eventualmente submetido à tortura no âmbito de outra lei aprovada pelo Congresso.

Comentando a decisão gravíssima do Presidente, Michel Chossudovsky lembra que ela traz à memória o decreto de Hitler para «a Protecção do Povo e do Estado» assinado pelo marechal Hindemburgo em 1933 após o incêndio do Reichstag.

A escalada de leis reaccionárias nos EUA assinala o fim do regime democrático na grande Republica. O discurso em que Obama justificou há dias o Orçamento de Defesa, veio confirmar o crescente protagonismo do Pentágono – agora dirigido por Panetta, o ex director da CIA – na definição da estratégia de dominação planetária dos EUA. Ao esclarecer que a prioridade é agora a Ásia, o Presidente afirmou enfaticamente que os EUA são e serão a primeira potência militar do mundo.

Relembrou o óbvio. O Orçamento de Defesa norte-americano supera a soma dos dez maiores que se seguem. A degradação do regime tem-se acentuado de ano para ano. A fascizaçao das Forças Armadas nas guerras imperiais é hoje inocultável.

Observadores internacionais respeitados, alguns norte-americanos, comentando essa evolução, definem os EUA neste início do terceiro milénio como «ditadura democrática». Chossudovsky vai mais longe, enuncia uma evidência dolorosa ao escrever que nos EUA se acentua a tendência para «um Estado totalitário militar com traje civil».

Desmontar-lhe a fachada é uma exigência para quantos identificam no imperialismo uma ameaça à própria continuidade da vida. Tarefa difícil, mas indispensável.

Significativamente, as leis fascizantes comentadas neste artigo passaram quase desapercebidas em Portugal. Os analistas de serviço da burguesia e os media ditos de referência ignoraram o tema, numa demonstração da vassalagem neocolonial da escória humana que oprime e humilha Portugal.

Volta a chover forte na Zona da Mata Mineira e moradores ficam ilhados

Em Guidoval, ponte provisória foi desmontada pelo Exército
Voltou a chover pesado na Zona da Mata, região mais surrada pelas águas em toda Minas Gerais. Os rios Pomba e Xopotó, que baixavam com a trégua dos últimos dias, voltaram a fazer crescer o medo entre moradores das regiões mais afetadas com a primeira enchente do ano. Em Guidoval, Dona Euzébia, Visconde do Rio Branco, Muriaé e Cataguases – alguns dos municípios mais afetados - os estragos parecem não ter fim.

Força-tarefa, acompanhada pelo Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Policia Ambiental, ainda trabalha para manter firme e forte o açude da antiga usina de açúcar de Astolfo Dutra, que estava ameaçado. A volta da chuva e as novas cheias dos rios adiam os planos de muita gente que sonhava voltar para casa e recomeçar a vida. À margem dos rios que assombram, ainda são dezenas de restos de casas abandonadas.

Rio Pomba voltou a subir e o estado de alerta continua  

Em Guidoval, os moradores voltaram a ficar ilhados. Desde a noite de sábado, a ponte provisória feita pelo exército, foi desmontada por questões de segurança. Em Cataguases, na manhã de ontem, as praças pareciam reunir os gregos de antes de Cristo a pensar o homem. O assunto de todas as rodas era a política indecifrável da gente de gravata de Brasília a sugerir dar de ombros para o estado de Minas Gerais.

Muitos ainda querem entender os critérios de Fernando Bezerra, do Ministério da Integração Nacional, para a distribuição e prioridade dos recursos para que os estados brasileiros acudam o seu povo. Na Praça Rui Barbosa, Vicente Costa, de 50, Moisés Moura Brito Júnior, de 54, e Milton Mendonça, de 71, não estão nada satisfeitos com o que estão acompanhando pelo noticiário. O protético, o engenheiro civil e o oficial de justiça aposentado, letrados, chegados à boa filosofia, não dão razão ao pensamento do aparente descaso do ministro.


Fonte: Jornal Estado de Minas

domingo, 8 de janeiro de 2012

Queda de barreira no Bairro Bom Pastor assusta moradores

Neste domingo, por volta das 11h da manhã, os moradores do Bairro Bom Pastor, tiveram um grande susto. Segundo relatos, um trecho da rua Assis Vicentine, que apresentava rachadura a pelo menos dois meses desabou. A Defesa Civil já havia isolado o local, dias atrás, porém, desta vez o terreno cedeu de uma só vez. Confira fotos e trecho de vídeo, feito pelo morador Luiz Felipe Justo.












Rio Pomba e Rio Novo voltam a subir


Choveu muito nas últimas horas em Cataguases. De sábado (7) até Domingo (8), aconteceram escorregamentos de terras e elevação dos níveis dos rios Pomba e Rio Novo. Os moradores estão apreensivos e os ônibus já não circulam em diversos bairros, devido a elevação das águas. A barragem em Astolfo Dutra, que apresentava trincas não corre o risco de romper, segundo a defesa civil de Minas Gerais. Nesta segunda-feira, acontece em Ubá, uma reunião com diversas autoridades para orientar os prefeitos e técnicos das prefeituras locais, sobre como acessar os recursos de emergência, via governo Federal.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

O talento do Cataguasense supera tudo!

A Cataguasense Maria Alcina e o DJ Zé Pedro arrasando no SESC Pompéia.

Apesar de sofrer com mais uma enchente, a cidade vai dar a volta por cima! 

 Há quem diga que eu dormi de touca  
Que eu perdi a boca, que eu fugi da briga  
Que eu caí do galho e que não vi saída  
Que eu morri de medo quando o pau quebrou  
Há quem diga que eu não sei de nada  
 Que eu não sou de nada e não peço desculpas  
 Que eu não tenho culpa, mas que eu dei bobeira  
E que Durango Kid quase me pegou 
Eu, por mim, queria isso e aquilo 
Um quilo mais daquilo, um grilo menos disso 
É disso que eu preciso ou não é nada disso 
Eu quero todo mundo nesse carnaval...
Eu quero é botar meu bloco na rua BIS 
Gingar, pra dar e vender