sábado, 14 de janeiro de 2012

Cáritas se reúne em Leopoldina e avalia emergência na Zona da Mata

  Por Lívia Bacelete, 
assessora de comunicação da Cáritas Regional Minas Gerais
As fortes chuvas em Minas Gerais já afetaram 192 municípios, sendo que 137 decretaram situação de emergência, de acordo com o último boletim da Defesa Civil no estado. Até agora são 46.970 pessoas desalojadas, 3.145 desabrigadas, 3 desaparecidas, 119 feridas e 15 mortas, totalizando 2.905.383 pessoas afetadas pelas chuvas que assolam o estado e a região sudeste.
Diante disso, estão reunidos em Leopoldina, desde as 8h da manhã, os agentes da Cáritas Brasileira, uma organização católica que atua em diversas áreas e nesse caso, nas emergências sociais.
 Representando Cataguases estão este ordinário blogueiro (presidente de associação de moradores e voluntário desta instituição), Dayane Fernandes (Voluntária), Edinho da Biblioteca (Fé e Política - Católica) Sr Manoel (Pastorais Sociais) e Lúcia Helena (Movimento Negro).
 O assessor Márcio Camargo, da Cáritas Regional Minas Gerais, e José Magalhães, da Cáritas Brasileira, pretendem reunir forças os parceiros locais em Leopoldina, Governador Valadares e Belo Horizonte, entre eles, pastorais sociais, comunidades, defesa civil, assistência social e outros. A visita tem o objetivo de assessorar as equipes das Cáritas Diocesanas na ação, em vista dos danos causados pelas chuvas, além de montar um plano de ação emergencial. 
 Márcio Camargo, da Cáritas Regional Minas, conta que o objetivo principal é levantar as informações da situação nas dioceses e paróquias das regiões mais afetadas. “Estamos buscando informações de como está o cadastramento das famílias, os abrigos, a atuação do poder público, se existem equipes de trabalho, quais são elas. Queremos saber a demanda real e concreta, ou seja, o que estas pessoas estão precisando agora”, afirma.
Agentes Cáritas em Leopoldina, avaliam situação da Zona da Mata
 No município de João Monlevade, Valdete da Cruz, da Cáritas Diocesana de Itabira, conta que a Cáritas tem abrigado algumas famílias na Associação Regional de Promoção Social (Arpas). Ela diz que até agora existem 4 alojamentos para as famílias desabrigadas na cidade, sendo a Arpas um deles. “No total, são cerca de 24 famílias nestes alojamentos com, aproximadamente, 80 pessoas. A Cáritas, junto à Diocese de Itabira, a prefeitura e a Defesa Civil, está acolhendo e apoiando essas famílias”, explica Valdete.
 No encontro de hoje em Leopoldina, após discussão e levantamento de dados, foram eleitas como mais urgentes, as ações nas cidades de Dona Euzébia, Guidoval e Além Paraíba. O encontro contou com representantes das cidades de Leopoldina, Muriaé, Patrocínio do Muriaé e Leopoldina.


Site da Cáritas Brasileira: 
www.caritas.org.br/