sexta-feira, 23 de março de 2012

Audiência Pública sobre o Pronto Cordis

Na última quarta-feira(21), a Câmara Municipal realizou Audiência Pública para discutir o problema dos Hospitais pronto Cordis, São Lucas, Hemodinâmica e Pancor.

Os proprietários dos Hospitais São Lucas e Pronto Cordis não compareceram. Justificaram ausência dizendo estar no Rio de Janeiro, tentando uma saída para o problema;

Compareceram a representante da Gerência Regional de Saúde de Leopoldina, o Secretário de Saúde de Cataguases e representantes do Sindicato dos Empregados da Saúde do município.

Do corpo clínico do hospital Pronto Cordis, compareceu o Dr. Joseph.

Pode-se concluir, pela fala dos presentes, que a volta ao funcionamento das quatro empresas é impossível. O passivo trabalhista é alto e também, segundo foi depoimentos, há muita dívida com fornecedores e bancos.

USUÁRIOS DO PLANCOR

Como os trabalhadores já estão assistidos pelo sindicato, buscamos informações sobre o procedimento a ser adotado pelos usuários do Plano de Saúde, o Plancor.

A orientação da Agência Nacional de Saúde, que regula os planos, é a seguinte:

  1.  Para os que tem Plano antigo, devem procurar o Plancor e pedir adaptação ao plano nos moldes da lei 9656;
  2. Depois deverão aguardar a decisão da ANS sobre o processo de Direção Fiscal (se vai fechar ou não) para pedir a Portabilidade(Transferência para plano equivalente);
  3. Os que tem planos novos devem buscar outra empresa para registro em seus planos. 

Nosso mandato está acompanhando a questão e assim que houver notícias a respeito do Processo de Direção Fiscal, estará dando novas informações sobre como fazer a Portabiidade.

Informações: Mandato Vanderlei Pequeno 

quinta-feira, 22 de março de 2012

Ubá ganha Praça do Esporte e da Cultura (PEC)

Foi assinado no dia 9 de março, no gabinete do Prefeito Vadinho Baião, o contrato para a liberação de R$ 2,02 milhões para a construção da Praça do Esporte e da Cultura (PEC) com o gerente da Caixa Econômica Federal José Geraldo Pinton. São 3 mil metros quadrados com quadra poliesportiva coberta, playground, equipamentos de ginástica, pista de skate, campo de futebol, pista para caminhada e mesas de jogos.

Lançada em março de 2010 pelo Governo Federal, a Praça do PAC, agora denominada Praça dos Esportes e da Cultura – PEC - compõe a segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento - PAC 2 com a previsão de construção de 800 PECs até 2014 no Brasil inteiro.

O objetivo das Praças dos Esportes e da Cultura é integrar num mesmo espaço físico, programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços sócio-assistenciais, políticas de prevenção violência e inclusão digital, de modo a promover a cidadania em territórios de alta vulnerabilidade social das cidades brasileiras.

Em Ubá a Praça será construída no alto do bairro COHAB nas proximidades da Escola Padre Joãozinho. A licitação da obra deve sair dentro dos próximos dias, sendo o investimento da Prefeitura de R$184.905,65.

O prefeito Vadinho Baião considera que “buscar obras junto ao governo federal como os apartamentos do programa Minha Casa, Minha Vida e agora esta Praça do PEC é muito gratificante, pois moradia digna, capacitação para o trabalho e lazer é fundamental para o desenvolvimento de nossa cidade”.

Paralelamente as obras, será realizada uma mobilização social com os moradores dos arredores da praça para que sejam conscientizados da importância do espaço que será disponibilizado e que sejam agentes ativos na promoção dos eventos que serão realizados. Quatro pessoas receberão capacitação especial com um curso à distância em Gestão de Equipamentos públicos, sendo duas pessoas da comunidade e dois servidores públicos (um da secretaria de Cultura e outro do Desenvolvimento Social).

Sindicato denuncia o (Des) governo de MG e pede intervenção do Ministério Público Federal

O Sind-UTE/MG protocolou, no dia 16 de março, representação no Ministério Público Federal relatando a situação vivida pelos profissionais da educação da rede estadual e solicitando providências.

Dispõe o artigo 127 da Constituição Federal de 1988, que o "Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis", disposição que encontra eco no artigo 1º da Lei Complementar nº 75, de 20 de maio de 1993. Compete ao Procurador-Geral da República, como Chefe do Ministério Público Federal, conforme disposto no artigo 48, inciso I, do mesmo diploma legal, propor perante o Superior Tribunal de Justiça a representação para intervenção federal nos Estados e no Distrito Federal, no caso de recusa à execução de lei federal.

Acompanhe a posição do Sind-UTE/MG apresentada ao Ministério Público Federal:

A edição das Leis Estaduais nº 18.975/10 e 19.837/11, que promoveram a conversão da remuneração dos profissionais da educação da rede pública estadual de Minas Gerais em subsídio, negou aplicabilidade à Lei Federal nº 11.738/08.
Isso porque ao proceder à aglutinação do vencimento básico com as vantagens e gratificações pessoais dos profissionais da educação, o Governo de Minas desrespeitou os artigos 2º, § 1º e 5º, e parágrafo único da Lei Federal nº 11.738/2008, cuja constitucionalidade foi reafirmada em ação direta de inconstitucionalidade, julgada totalmente improcedente pelo Supremo Tribunal Federal. O que o Governo fez foi um artifício para alegar o cumprimento da Lei do Piso, mediante agregação da soma das parcelas remuneratórias, hipótese expressamente vedada pela Lei Federal.

Ignorando a rejeição da esmagadora maioria da categoria pelo novo regime remuneratório (aproximadamente 153 mil trabalhadores em educação), o governo transpôs todos os profissionais ativos e inativos do Estado de Minas Gerais para a sistemática remuneratória do subsídio único, retirando-lhes a opção pela permanência na forma remuneratória anterior.    Também não houve cumprimento da lei federal no caso dos que optaram pela percepção da remuneração sob a forma de subsídio após a edição da Lei nº 18.975/2010, na medida em que o vencimento básico por eles percebido antes da conversão da remuneração em parcela única não foi previamente adequado ao valor atualizado previsto no art. 2º, § 1º, da Lei Federal nº 11.738/2011.

A transformação dos vencimentos em subsídio é uma forma de fraude ao Piso Nacional, na medida em que representa forma de “cumprimento” apenas aparente da Lei nº 11.738/08, pois mesmo que o subsídio alcance valor superior àquele previsto para o vencimento básico no art. 2º, § 1º, como alega a Secretaria de Estado da Educação, a criação do subsídio repousa sobre o desrespeito à lei federal. A Lei Federal 11.738/08 impõe aos entes públicos o dever de vincular o vencimento básico dos integrantes de suas carreiras docentes ao valor do Piso Nacional.

Desta forma o Estado de Minas Gerais deveria, assim que a lei entrou em vigor, proceder a alteração de suas estruturas remuneratórias, visando à adequação progressiva do vencimento básico de seus profissionais do magistério dentro do cronograma estabelecido no art. 3º da lei federal. Isso porque não só a Lei Federal nº 11.738/2008 entrou em vigor assim que publicada, como também o STF, quando do julgamento de mérito da ADIN nº 4.167/DF, que conferiu ao respectivo acórdão, efeitos desde o início da sua vigência.
Minas Gerais encontrava-se, desde a data da publicação da lei, obrigado a conferir plena aplicabilidade à Lei Federal, cujos efeitos passaram a ser imediatos e vinculantes aos seus profissionais da educação. Nesse momento, inseriu-se no patrimônio jurídico da categoria o direito subjetivo à percepção de seus respectivos vencimentos e proventos básicos com base no valor do Piso Nacional e ao reflexo de tal montante nas demais verbas remuneratórias calculadas com base no vencimento básico, o que não ocorreu.

Com o transcurso do lapso temporal previsto no cronograma criado pela Lei Federal em 1º.1.2010, os profissionais da educação passaram a fazer jus à percepção do Piso Nacional, vinculado a seu vencimento básico, devidamente atualizado, na medida em que passaram a reunir a totalidade dos requisitos legais necessários para a fruição da referida garantia. Com isto, a percepção do valor integral do Piso Nacional dos Profissionais do Magistério tornou-se um inequívoco direito adquirido, protegido pelo art. 5º, XXXVI, da Constituição Federal. A conduta do governo mineiro denota desrespeito aos objetivos da Lei nº 11.738/08 que, dentre suas diversas finalidades, fixou um Piso Nacional uniforme para os profissionais do magistério e vinculou-o ao vencimento básico, no intuito de estabelecer uma base remuneratória, independentemente de sua localização no Território Nacional, além de evitar que tal valor pudesse ser diluído nas parcelas remuneratórias complementares ao vencimento básico, ideal que resta frustrado pela aglutinação de diversas rubricas, com o objetivo de, artificialmente, atingir o valor do Piso Nacional.

Se estados e municípios pudessem satisfazer a exigência da Lei nº 11.738/2008 mediante o somatório do vencimento com parcelas remuneratórias variáveis, gratificações e/ou outras espécies de vantagens, teríamos a situação em que as unidades federativas poderiam legalmente fixar diferentes vencimentos básicos para os profissionais do magistério, criando condições diversas para o pagamento integral do montante atualizado estabelecido em lei.
Com isso, seria frustrada a garantia proporcionada pela lei que garantiu segurança e estabilidade ao Piso, ao vinculá-lo ao irredutível instituto do vencimento, além de perpetuar as diferenças existentes entre a remuneração dos profissionais do magistério em todo o Território Nacional, e, por conseguinte, entre o nível de excelência do ensino por eles prestados anteriormente à fixação do Piso Nacional, dificultando a concretização da almejada equalização no que concerne à qualidade da educação oferecida pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios, agravando as desigualdades regionais combatidas pelo art. 3º, III da Constituição Federal.  

A legislação federal é categórica em proibir a consideração de parcelas remuneratórias diversas do vencimento básico no valor do Piso Nacional, consoante que reafirmou-se no julgamento da ADIN-4167. A instituição do subsídio intenta apagar todo o contexto fático que originou a edição da Lei Federal nº 11.738/08.
Denúncia do descumprimento do Acordo
A par das manifestações do Poder Legislativo (art. 2º, § 1º, da Lei Federal nº 11.738/2008) e do Judiciário (julgamento da ADIN 4.167 pelo E. STF), o Governo do Estado de Minas Gerais firmou com o Sindicato, em 29.9.2011, por meio de documento em que se comprometeu a discutir o aprimoramento das formas de remuneração então existentes (subsídio e vencimentos) e a orientar a bancada governista na Assembleia Legislativa a paralisar a tramitação do projeto de lei, que tinha por objeto a implantação automática do regime de subsídio, enquanto perdurassem as negociações. 

No entanto, ao invés de proceder a adequação do vencimento básico ao valor do Piso Nacional dos Profissionais do Magistério, o Estado denunciado impôs aos seus docentes o regime de subsídio.
Houve, dessa forma, não só nítida burla à lei federal, como também ofensa ao princípio da moralidade, cristalizado no art. 37, caput, da Constituição Federal, que impõe aos Poderes do Estado a atuação em observância à boa-fé objetiva, à legislação vigente e aos compromissos por eles assumidos, de modo a não frustrar as legítimas expectativas da sociedade.

Tal aspecto do postulado da moralidade configura o princípio da proteção da confiança, cujo conteúdo impõe aos poderes estatais o dever de agir, no presente, em coerência com o ordenamento vigente e com suas manifestações pretéritas que nortearam as condutas implementadas pelos cidadãos. Evitar-se-á, dessa forma, a mudança abrupta da postura oficial em prejuízo da segurança jurídica e do próprio Estado Democrático de Direito.


O Estado de Minas Gerais, por meio da Lei Estadual nº 19.837/2011, também deixa de cumprir o art. 5º, parágrafo único da Lei Federal nº 11.738/2008 no art. 15, IV, da Lei Federal nº 11.494/2007, na medida em que se limitou a estabelecer um reajuste de 5% para os subsídios ali estabelecidos, a incidir no dia 01.04.2011, sem assegurar aos profissionais da educação a atualização dos respectivos valores na forma prevista naqueles dispositivos federais que determinam o reajuste do Piso Nacional dos Profissionais do Magistério. Isso corresponderá ao percentual relativo à diferença entre os valores mínimos por aluno do FUNDEB, fixados pelo Poder Executivo de um ano para o outro, a partir do exercício de 2009.

Dados demonstram o nível de emprego de Cataguases em 2011


Este ordinário blogueiro desconfia dos discursos e por isso mesmo adora números. Eles são inflexíveis, frios, exatos e não possuem partido. Discursos são inflamados, manipuláveis e cheios de interesses pessoais. Muita reclamação se ouve nas ruas, a respeito do emprego em Cataguases, e o nível de salário muito baixo. Outros reclamam que a Prefeitura de nossa cidade não realizou concurso e promove a proliferação de contratos temporários às vésperas do pleito municipal. Como diria Jack Estripador, vamos por partes:

O mercado formal de trabalho brasileiro fechou 2011 com saldo de 1.944.560 vagas (crescimento de 5,41%), segundo melhor resultado da série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged - MTE). O resultado fica atrás apenas de 2010 (2.543.177). Apenas em dezembro, como ocorre sazonalmente, houve mais demissões do que admissões – foram perdidas 408.172 vagas.

Os números, divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, refletem uma atividade econômica menos intensa, mas ainda com capacidade de criação de empregos até acima do que se poderia esperar. Em 2010, ano do recorde, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 7,5%. O PIB de 2011 foi de quase 3%.

O saldo do ano é resultado de 21.703.048 contratações formais e 19.758.488 demissões, o que evidencia a rotatividade do mercado de trabalho. Entre os setores, o de serviços criou 925.537 vagas, expansão de 6,43%. Em seguida, vêm comércio (452.077 postos de trabalho a mais, alta de 5,61%), construção civil (222.897, com o maior crescimento percentual, 8,78%) e a indústria de transformação (215.472, aumento de 2,69%).

De acordo com o Caged, o salário médio de admissão teve aumento real (descontada a inflação) de 3,12% sobre 2010. O valor passou de R$ 888,89 para R$ 916,63. Os maiores aumentos reais foram registrados no Paraná (6,33%), Pernambuco (5,36%) e Pará (5,19%). Três estados tiveram queda: Sergipe (-1,43%), Roraima (-0,73%) e Rondônia (-0,72%). O maior salário de admissão foi o de São Paulo (R$ 1.129,41) e o menor, da Paraíba (R$ 689,04).

Cataguases

Na Zona da Mata, Cataguases manteve o quadro de oscilação empregatícia, sendo a administração Pública (Prefeitura, órgãos federais, etc) a maior contratante. Repetindo o fenômeno natural de demissões, dezembro foi o mês que apresentou maior resultado negativo: 152. O saldo anual porém, foi positivo: 502 novos contratos, segundo dados do CAGED. Confira o detalhamento dos dados:


FLUTUAÇÃO DO EMPREGO FORMAL
Jan/2011 até Dez/2011

Total das Atividades
IBGE Setor Admitidos Desligados Saldo
1 - EXTR MINERAL 17 23 -6
2 - IND TRANSF 1.556 1.587 -31
3 - SERV IND UP 71 51 20
4 - CONSTR CIVIL 665 641 24
5 - COMERCIO 1.691 1.485 206
6 - SERVICOS 1.533 1.431 102
7 - ADM PUBLICA 336 258 78
8 - AGROPECUARIA 109 100 9
Total 5.978 5.576 402
Ocupações com Maiores Saldos
CBO 2002 Ocupação Admitidos Desligados Saldo
521125 - REPOSITOR DE MERCADORIAS 237 112 125
761005 - OPERADOR POLIVALENTE DA INDUSTRIA TEXTIL 127 88 39
231210 - PROFESSOR DE NIVEL SUPERIOR DO ENSINO FUNDAMENTAL (PRIMEIRA A QUARTA SERIE) 98 68 30
715210 - PEDREIRO 128 103 25
632125 - TRABALHADOR DE EXTRACAO FLORESTAL. EM GERAL 45 20 25
Ocupações com Menores Saldos
CBO 2002 Ocupação Admitidos Desligados Saldo
763210 - COSTUREIRO NA CONFECCAO EM SERIE 42 97 -55
732105 - ELETRICISTA DE MANUTENCAO DE LINHAS ELETRICAS. TELEFONICAS E DE COMUNICACAO DE DADOS 30 69 -39
848310 - CONFEITEIRO 210 246 -36
782410 - MOTORISTA DE ONIBUS URBANO 61 81 -20
911305 - MECANICO DE MANUTENCAO DE MAQUINAS. EM GERAL 57 75 -18
Fonte: CAGED/MTE

SALÁRIO MÉDIO DE ADMISSÃO
Jan/2011 até Dez/2011

Total das Atividades
IBGE Setor Salário Médio de Admissão (R$)
1 - EXTR MINERAL 1.208,00
2 - IND TRANSF 856,57
3 - SERV IND UP 1.029,96
4 - CONSTR CIVIL 714,10
5 - COMERCIO 632,57
6 - SERVICOS 836,41
7 - ADM PUBLICA 653,38
8 - AGROPECUARIA 665,35
Total 824,54
Ocupações com Maiores Saldos
CBO 2002 Ocupação Saldo Salário Médio de Admissão (R$)
521125 - REPOSITOR DE MERCADORIAS 125 590,25
761005 - OPERADOR POLIVALENTE DA INDUSTRIA TEXTIL 39 574,47
231210 - PROFESSOR DE NIVEL SUPERIOR DO ENSINO FUNDAMENTAL (PRIMEIRA A QUARTA SERIE) 30 609,87
715210 - PEDREIRO 25 965,54
717020 - SERVENTE DE OBRAS 25 591,45
Ocupações com Menores Saldos
CBO 2002 Ocupação Saldo Salário Médio de Admissão (R$)
763210 - COSTUREIRO NA CONFECCAO EM SERIE -55 561,83
732105 - ELETRICISTA DE MANUTENCAO DE LINHAS ELETRICAS. TELEFONICAS E DE COMUNICACAO DE DADOS -39 972,63
848310 - CONFEITEIRO -36 578,31
782410 - MOTORISTA DE ONIBUS URBANO -20 881,80
911305 - MECANICO DE MANUTENCAO DE MAQUINAS. EM GERAL -18 693,61
Fonte: CAGED/MTE

Dados: MTE - CAGED
Consolidado anual:

Janeiro
+34
Fevereiro
+108
Março
+96
Abril
-12
Maio
+6
Junho
+93
Julho
+131
Agosto
-31
Setembro
+79
Outubro
+59
Novembro
+91
Dezembro
-152

quarta-feira, 21 de março de 2012

Vereadores aprovam aumento de salários: Prefeito, vice, vereadores e secretários!

 
Elias Júnior é Professor
          É o assunto do momento na internet (Facebook) e nas ruas da cidade: na sessão realizada ontem na câmara de vereadores de Cataguases foi aprovado o aumento de salário do Prefeito, vice-prefeito, vereadores e secretários. Valendo para a próxima legislatura, o Prefeito passará a ter uma remuneração mensal de R$19.400,00 (Dezenove mil e quatrocentos reais); o vice-prefeito R$9.700,00 (Nove mil e setecentos reais); Os vereadores vão receber R$ 8.000,00 (Oito mil Reais). Os Secretários Municipais passarão a receber mensalmente, R$8.000,00 (Oito mil Reais). O Décimo Terceiro salário deverá ser pago até o dia 20 de dezembro e os secretários municipais terão direito a férias anuais de trinta dias. (Os vereadores já gozam férias anuais em mais de 30 dias).
          Algumas sessões atrás, a mesma câmara de vereadores aprovou um “aumento” da cesta alimentação dos funcionários da Prefeitura de R$ 150,00 (Cento e cinqüenta reais) para R$ 200,00 (Duzentos Reais). A proposta do vereador Vanderlei Pequeno (PT) era que fosse aumentada para R$ 300,00 (Trezentos Reais), mas foi rejeitada pelos demais vereadores da base governista, dizendo haver insuficiência de fundos para arcar com as despesas.
          Sabemos que esta mesma Câmara, aprovou a doação de terrenos para parentes de funcionários da Câmara e da Prefeitura, o dia do torcedor do Fluminense, Dia do Karateka e o contrato da COPASA isentando a empresa de impostos, durante 30 anos, entre vários outros benefícios. A população já paga um acréscimo de 45% em sua conta d'água para transportar o esgoto. A coleta e o tratamento ainda não iniciaram. Quando isto ocorrer, o aumento poderá chegar a 100%.
      O projeto aprovado ontem deveria tramitar em dois turnos, mas a pedido do Vereador Guilherme da Faculdade, foi votado em caráter de urgência em apenas uma única sessão. Já o vereador Vanderlei Pequeno apresentou uma proposta de supressão da criação do 13º salário, mas foi rejeitada por todos os demais.
         Os vereadores que aprovaram o aumento são da base do prefeito William e com esta atitude o prefeito ficou numa situação no mínimo, delicada. O projeto seguirá para sua aprovação ou rejeição. Se rejeitar, vai desagradar os vereadores que o ajudaram a aprovar o contrato da COPASA, mas se aprovar, o povo ficará ainda mais insatisfeito. A cobrança da COPASA está revoltando a população, mas um aumento do próprio salário, em ano eleitoral, é um verdadeiro “tiro no pé”.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Prevenção de enchentes em Cataguases ganha nova tecnologia

     Mais tecnologia para a prevenção de enchentes em Cataguases será obtida com a instalação de uma plataforma de coleta de dados informatizada. A informação foi dada esta semana, pelo Jornalista Antônio Trajano, no Jornal Atual desta semana.

      Segundo o ojornalistas, o aparelho foi colocado nas margens do rio Pomba, próximo à ponte metálica e ao lado do clube do Remo, por técnicos do Serviço Geológico Brasileiro, órgão vinculado aoMinistério das Minas e Energia (MME).

     Além de monitorar o nível do rio Pomba, o disposivo, com pluviômetro, sensor radar e um painel solar, também mede a quantidade de chuva em milímetros. A checagem poderá ser feita pela Defesa Civil municipal por meio de um link gerado pelo Ministério das Minas e Energia para esta atividade. 

     A novidade foi elogiada pelo coordenador da Defesa Civil de Cataguases, Carlos Pires. Para ele, o novo sistema de monitoramento vai gerar "dados mais precisos em períodos chuvosos, contribuindo decisivamente para a prevenção e a mobilização de nossas equipes".

Fonte: Jornal Atual - Nº 88

segunda-feira, 12 de março de 2012

Flores de Nanzita: Uma festa para os olhos!

 
 Fotos das flores da residência-ateliê da pintora Nanzita: É isto que o marchand, produtor cultural e fotógrafo, Cairu Teles, vai apresentar no ensaio fotográfico com uma mostra, na “Galeria de Fotografia Zequinha Mauro”, no Centro Cultural Humberto Mauro, neste sábado.
“Flores de Nanzita: Uma festa para os olhos!”, são 88 fotografias registradas ao longo de 2 anos. O evento será apresentado pelo poeta, escritor e jornalista, Antônio Jaime Soares.
A trilha sonora foi cuidadosamente montada por Cairu e será apresentada ao público presente, na abertura da exposição. Há Andrea Bocelli cantando ópera e ”Le quattro Stagioni” de Vivaldi.
As oitenta e oito fotografias da mostra, foram capturadas com a máquina digital da Sony, modelo com 5.1 Mega pixels, 2.5” LCD, monitor Cyber-shot 3X , Optical Zoom.
Período de Exposição:  
17 a 24 de março
Local: 
Centro Cultural Humberto Mauro
Informações: 
9984-3623 -3421-1046-3422-1996
www.eternanzita.com.br

“Senta a Pua!” - Atração da Casa Simão desta semana

Próxima atração da Programação de Eventos da Casa Simão, o violonista (prêmio BDMG – Instrumental/ edição 2010) Rodrigo Torino, traz ao palco do Anfiteatro Ivone Barbosa Silva grupo “Senta a Pua!”. A apresentação acontece às 20h30 do dia 17 de março (sábado), com entrada no valor de R$5,00.
Formado por amantes do samba, “Senta a Pua!” oferece um repertório instrumental de qualidade com arranjos próprios, choros e maxixes. No show, interpretam os ícones K-Ximbinho, Paulo Moura, Raul Barros, Silvério Pontes e Zé da Velha, como também sambas de Chico Buarque, Dorival Caymmi e João Bosco.
Além de Rodrigo Torino que assina as composições do grupo e toca violão de sete cordas, a banda apresenta Aloízio Horta no contrabaixo, Pablo Malta no cavaquinho, Gustavo Grieco na bateria, Juventino Dias no trompete e Tiago Ramos nos saxofones.
A Programação de eventos da Casa de Cultura Simão 2011/2012 tem o patrocínio da Bauminas e Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais. Apoio: Fundação Simão José Silva, Hidroazul e Prefeitura Municipal de Cataguases.
 Informações:
 www.casasimao.org.br ou pelo telefone (32)3421-2622.

domingo, 11 de março de 2012

Atrações Culturais desta semana

TV Globo dançou no Carnaval

Por Altamiro Borges

Apesar de toda a parafernália, a audiência da TV Globo despencou no Carnaval. Segundo o Ibope, a emissora registrou uma das piores quedas dos últimos anos. Na primeira noite do desfile das escolas de samba no Rio de Janeiro, no domingo (19), ela perdeu 20% da audiência, na comparação com 2011. Na média, ela marcou 8,3 pontos no Ibope da Grande São Paulo.


A queda da audiência da emissora na transmissão do Carnaval vem se acentuando a cada ano. Em 2011, ela registrou 10,4 ponto; em 2010, a média foi de 10,9; já em 2009, ela atingiu 12,5 pontos no Ibope. A decadência tem várias causas. A principal parece ser a do aumento da concorrência. O programa Domingo Espetacular, comandado pelo jornalista Paulo Henrique Amorim na TV Record, marcou 15 pontos no Ibope das 21h às 23h32 do dia 19.


Outra explicação é a da perda de criatividade da TV Globo. Todo ano é a mesma batida, numa mesmice que incomoda os telespectadores. Há também o fator internet, com milhões de pessoas fugindo da chatice da televisão. Lógico que nada disse deve incomodar muito o império global. Afinal, ele continua ganhando fortunas com a publicidade aberta e o merchandising enrustido nos desfiles. Mas um dia a casa pode cair!

Fonte: Blog Conversa Fiada

quinta-feira, 8 de março de 2012

Projeto Sexta Básica volta aos palcos nesta sexta, dia 09 de março.



Aliando música e assistência social, o projeto Sexta Básica, com patrocínio da Lei Municipal Ascânio Lopes, propõe a realização de uma série de concertos musicais que arrecadarão doações a serem distribuídas a instituições de Cataguases.

Os concertos do Projeto Sexta Básica privilegiam músicos de nossa cidade, mas trazem também duas atrações de fora, buscando um intercâmbio cultural com músicos experientes do cenário nacional. 

Os músicos de fora, além dos concertos, realizarão oficinas gratuitas. Os músicos de Cataguases, além dos concertos, realizarão como contrapartida apresentações em escolas da rede pública de Cataguases. 

O projeto – que conta com o valioso apoio cultural da Escola de Música Lila Carneiro Gonçalves, Bevile Hotel, Churrascaria Azulão, Hotel Villas e Casa de Cultura Simão – procura valorizar diferentes estilos musicais, apresentando música vocal e instrumental, popular e erudita.

Equipe do Projeto:

Coordenação: 
Vera Lúcia Gonçalves de Sousa
Elaboração e Curadoria: 
Maria Aida Barroso
Produção Executiva: 
Júlia Guglinski


Dia 09 de março:

DESENREDO
com
Fernanda Paratella - Voz
Junio César - Violão

Em benefício da Creche SOS
Ingresso: pacote de fraldas tamanho M (infantil)

Local:
Casa de Cultura Simão
Avenida Astolfo Dutra, 487 – Centro
Horário: 20:00
Informações: 3421-2506

Usina Cultural recebe Kassin.



No dia 9 de março, sexta-feira, o Projeto Usina Cultural vai apresentar ao público o trabalho do multiinstrumentista carioca Kassin. O show deve reunir músicas do seus dois álbuns, embora ele esteja na estrada divulgando “Sonhando devagar”, seu mais recente disco. 


Kassin executa canções revestidas de uma atmosfera de humor, que beira ao non sense, sobre uma camada sonora eletrônica que parece reler os ritmos dos anos oitenta numa perspectiva contemporânea. 


Seu fiel escudeiro, o tecladisda Donatinho, cria arranjos neo-psicodélicos, com citações irônicas do new wave que embalou as mais famosas discotecas há quase duas décadas atrás. Vale a pena conferir.


Os ingressos serão retirados no local.
Telefone para maiores informações: 3429-6424

quarta-feira, 7 de março de 2012

Cesta alimentação e audiência sobre Pronto Cordis: Câmara realiza mais uma sessão.

Cesta alimentação: R$ 200,00
Na reunião da Câmara de vereadores de ontem, foi aprovado o projeto de lei que eleva o valor da Cesta Alimentação dos Servidores da Prefeitura e da Câmara para R$ 200,00. O projeto foi encaminhado pelo prefeito Willian Lobo e pelo presidente da Câmara, Antônio Batista Pereira. Vários vereadores manifestaram-se insatisfeitos com o valor proposto - R$ 200,00. Entre os que mais protestaram, estava o vereador Vanderlei Pequeno (PT) que fazia uma campanha para que a cesta fosse reajustada para R$ 300,00. Como não cabiam emendas, todos votaram favorável à proposição.

Outro assunto polêmico, que mereceu destaque foi o fechamento do Hospital Pronto-Cordis. Ficou acertada uma audiência Pública, para o dia 21/03/2012, às 18h.

Grande expediente

No grande expediente, além das homenagens e considerações sobre o dia Internacional da Mulher, houve o anúncio da coligação entre PT x PMDB x PSL x PPS, para disputar as eleições municipais em Cataguases, neste ano.

Estudantes já podem usar vale transporte aos finais de semana


Um importante direito já pode ser usufruído pelos estudantes de Cataguases: a utilização do vale transporte estudantil, aos sábados, domingos e feriados. A lei reivindicada por várias lideranças juveis em Cataguases, inclusive com o apoio irrestrito deste blogueiro, foi uma proposta de lei apresentada pelo Vereador Vanderlei Pequeno (PT). A proposta foi aprovada pelos demais vereadores e sancionada pelo Prefeito Willian Lobo de Almeida. Apesar de ser um avanço na consolidação de políticas públicas afirmativas para a Juventude de Cataguases, muitos pais e alunos ainda a desconhecem.
Para usufruir do direito, o procedimento é simples: todo aluno que estiver matriculado na rede pública de Ensino, deverá solicitar na secretaria da Escola, o “Carnê-declaração” de Passe Estudantil. Eram 50 unidades, agora são 66 unidades, por mês. Após o carimbo e assinatura do Diretor da Escola, o aluno deve levar à CATRANS, que está localizada sobre o Banco Itaú, na Praça Rui Barbosa. 
Para utilizar o passe aos finais de semana os estudantes deverão portar carteira de identificação Estudantil (Carteirinha), ou estar uniformizado, ou ainda apresentar declaração de matrícula, para o ano vigente.
Para os defensores da proposição, a lei transforma a visão fragmentada de que a formação do aluno se restringe à escola. O caráter do jovem deve ser forjado na totalidade: escola, cultura, lazer, família, igreja, etc.
        As empresas já estão cientes e notificadas pela CATRANS (Coordenadoria de Trânsito de Cataguases) e parecer emitido pelo procurador do município Roosevelt Pires.
            Caso a lei seja descumprida, o estudante deverá entrar em contato com o procurador, pelo telefone 3422-1066 para ser melhor orientado.