terça-feira, 14 de agosto de 2012

Clube da Esquina é homenageado em Cataguases


Residência da pintora Nanzita foi palco
da homenagem ao Clube da Esquina
     Fatores competitivos intrínsecos, como o baixo custo de mão-de-obra ou avanços específicos na tecnologia da informação, somente podem ser superados pela inteligência de novos modelos de negócios, novos processos, novas tecnologias e outros decorrentes da criatividade, imaginação e inovações constantes. Este é o caminho a ser trilhado tanto por países desenvolvidos, quanto por países em desenvolvimento.

        Este é o motivo pelo qual a aplicação desses conceitos – incluídos na definição da Economia Criativa – as empresas e aos negócios em geral, é um requisito fundamental para sair do lugar comum da competição predatória por participação de mercado em produtos e serviços existentes.


       Em Cataguases, o marchand Cairu Teles Nunes vem inovando ao apresentar espetáculos neste modelo, que mesclam a atividade colaborativa de artistas locais e pessoas de bom gosto. Para viabilizar projetos como o multi-espetáculo "Noites Cariocas: Tô dentro", a exposição Fotográfica "Flores de Nanzita: Uma festa para os olhos!" e a recente "Homenagem ao Clube da Esquina: o tempo não envelhece", ele articulou a criação do Memorial Nanzita que é quem assina a autoria dos eventos. O Memorial, criado para homenagear a brilhante pintora Cataguasense e do Brasil, Nanzita Salgado Alvim Gomes, foi inaugurado simbolicamente em 8 de março de 2010 e deverá ser oficialmente aberto ao público ainda este ano.


     Falando ainda da homenagem ao Clube da Esquina, o evento com fins eminentemente culturais, dentro deste conceito de “Economia Criativa”, foi realizado nos salões da residência-ateliê da pintora Nanzita, no dia 7 de julho sendo um sucesso absoluto. O repertório interpretado por Maria Rita, Dengo Pessoa e o grupo Patápio Silva encantaram o público presente ao espetáculo, que também saboreou um delicioso feijão tropeiro, no melhor estilo da cozinha mineira. De "peixe-vivo" a "Caçador de mim" o repertorio do grupo que emergiu das alterosas foi lembrado numa noite memorável.


           Os organizadores, em ordem alfabética, foram os seguintes: Ana Paula Carneiro (assistente de palco), Antônio Jaime Soares (redação de textos), Ca­iru Teles Nunes (direção geral e apresentação), Carlos Sérgio Bittencourt (ro­teirista), Dengo Pessoa (intér­prete), Diane Marquezine de Castro (apresentação), Elias Júnior (desig­ner), Emanuel Messias (editor e operador de vídeo), Fausto Menta (represen­tando o Centro Cultural Humberto Mauro), Hudson Teixeira e Dayane Fernandes (te­soureiros), Ilizeu Rocha (secretário da intérprete Maria Rita), Ivan Rossine (se­cretário da intérprete Maria Rita), Jordana Gonçalves (roteirista), Juliana Jun­queira (fotó­grafa), Marquinhos (sonorização), Pâmela (secretária), Raquel Guedes (assistente de palco), Ronaldo Werneck (contador de história), Stéfane (assistente de palco) e Thaís Andrade (assistente de dire­ção).