quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Vou anular o contrato da COPASA! Diz Cesinha em seu primeiro comício.

A campanha da oposição em Cataguases, finalmente ganhou fôlego nesta quarta-feira (22/08). Militantes de partidos políticos e moradores do Bairro Primavera, em Cataguases, acompanharam o primeiro comício do candidato à prefeito César Samor (PC do B). Apesar de já estar fazendo corpo-a-corpo com os eleitores desde o começo de julho, o primeiro grande evento político foi marcado por exibição de slides em telão, música de Miltom Nascimento ao fundo e discursos inflamados. Quem esperava um comício prudente e amistoso ficou surpreso com o tom crítico que o evento tomou. Começando pelos candidatos a vereador, o comício aumentou a temperatura com Tarcísio Henriques discursando e fazendo duras críticas ao atual prefeito. Tarcisio manifestou seu apoio à coligação "Cataguases do seu jeito - PT, PMDB, PPS e PC do B". Nas palavras dele, a cidade está regredindo e precisa urgentemente mudar o rumo desta política equivocada do PSDB, que está castigando o povo. Ele ressaltou que na época em que era prefeito, a discussão com a COPASA era de cobrar somente 20% sobre a tarifa de água e somente após começar o tratamento de esgoto. Em seguida, a crítica foi para os atuais vereadores: "Dos que aí estão, apenas dois merecem continuar!".

O candidato a vice-prefeito, Sérgio Gouvêia (Filó), mostrou uma fotografia ao lado das irmãs do Colégio João XXIII, afirmando que elas se sentiram abandonadas pela atual gestão, deixando fechar uma escola de 42 anos. Nas palavras de Sérgio, ela poderia ter sido municipalizada pois é um espaço privilegiado para capacitação da juventude de Cataguases que está procurando emprego fora de nossa cidade, por falta de oportunidade. Filó ainda lembrou que a atual administração só construiu o PSF do Paraíso, enquanto a administração anterior conseguiu a Policlínica, a creche municipal e a construção de várias escolas. Sobre o Pronto Cordis, alfinetou o Deputado Estadual Dr Wilson Batista, que compareceu ao comício do candidato da situação: "Ele vem aqui e fala que vai ajudar o povo de Cataguases. Como? Se o pronto-cordis foi fechado e nada foi feito? Como pode o atual prefeito dizer que tem Senador lhe apoiando, tem deputado, vice-governador e nada é feito para salvar nossas instituições? Como pode, um professor deixar uma escola fechar e um doutor deixar um hospital fechar ?". Filó também disse que a oposição tem um plano para resgatar Cataguases e que no decorrer dos comícios ele será apresentado à população de nossa cidade.

Militantes da oposição já haviam feito caminhada pela cidade.
Após a fala de um empresário local, assumiu o microfone o candidato ao pleito municipal, César Samor (PC do B), elevando o tom de crítica ao atual governo. Cesinha lembrou ainda que na farmacinha do SUS, só tem "Dipirona" e falta neurocirurgião, pediatra e até oftalmologista. Cobrou a presença da UEMG (Universidade Estadual de Minas Gerais), uma universidade gratuita que está em Leopoldina e Ubá e até hoje não tem nenhum curso em Cataguases. Criticou ainda a inércia da atual administração em resolver a questão do acesso à Taquara Preta, o esquecimento da rodoviária e também citou as reivindicações dos moradores do bairro, dizendo que está indo de casa em casa, sem a necessidade de seguranças, pois é um cidadão de Cataguases que anda de cabeça erguida. "Vocês devem ter percebido que eu até emagreci, pois estou andando de porta a porta. Já visitei seis bairros, conversando com os moradores".

Sobre o contrato da COPASA

O discurso inflamado dos apoiadores de Cesinha ainda tinha um vácuo que colocava uma interrogação na cabeça dos eleitores: Ele é contra ou a favor do contrato da COPASA? A resposta veio com uma afirmação taxativa: "Se eleito for, eu vou cancelar este contrato da COPASA". A afirmação marcou um divisor de águas na campanha, uma vez que a maior rclamação dos moradores da cidade tem sido o aumento da tarifa antes de haver o tratamento do esgoto.

Cesinha ainda disse que Leopoldina conseguiu mais de 30 milhões do PAC, para fazer o tratamento de esgoto, mesmo o Prefeito Bené Guedes ser do mesmo partido do Prefeito de Cataguases. Na opinião de Cesinha, o contrato pode e deve ser rediscutido com a população. Situação semelhante vive a cidade de Resplendor, no leste de Minas Gerais, que conseguiu, na justiça, o direito de cancelar o contrato e restituir a população em dobro pela cobrança indevida. A cobrança começará somente quando as estações de tratamento começarem a operar.
(Clique aqui e confira esta matéria)

Em Cataguases, o Partido dos Trabalhadores liderado pelo vereador Vanderlei Pequeno - PT foi contra a assinatura do contrato e mobilizou a população através de um abaixo-assinado, com mais de três mil assinaturas. A denúncia está sendo investigada pela promotoria pública de Cataguases.

Vice-Governador vem a Cataguases nesta sexta-feira

Após o efeito negativo do contrato assinado pela Prefeitura de Cataguases, o vice-governador Alberto Pinto Coelho vem a Cataguases nesta sexta-feira (23/08). Especula-se que a tática é tirar a impressão ruim que o contrato vem causando na campanha do atual prefeito, companheiro de partido. Alberto Pinto Coelho deverá assinar o contrato de empréstimo para início das obras das estações de tratamento de esgoto, na Caixa Econômica Federal e em seguida participará da reinauguração do museu da eletricidade em Cataguases.