quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Conheça o mapa de conflitos da Zona da Mata


Por Elias Júnior

No último sábado, dia 01/09, a UFMG apresentou um Mapa de Conflitos Ambientais que o grupo de estudos GESTA criou com a ajuda de comunidades de Minas Gerais. 

É um estudo muito interessante e pode ser usado como ferramenta por nós em vários processos.

O grupo pede ainda a contribuição para atualizar os dados contidos neste mapa, que vem sendo construído há alguns anos.

Para mais detalhes basta clicar no link ao lado http://conflitosambientaismg.lcc.ufmg.br/


 

Clicando nos links abaixo vocês terão informações e fotos sobre o conflito em questão.

Cataguases/Laranjal/Leopoldina/Recreio

Atingidos pela Usina Hidrelétrica Barra do Braúna lutam contra deslocamento compulsório provocado pelo alagamento de suas terras em razão da Licença de Operação concedida ad referendum e sem cumprimento de condicionantes.


Miraí

Os atingidos pela ruptura na barragem de contenção de rejeitos da empresa Rio Pomba Cataguases Ltda, durante os anos de 2006 e 2007, lutam pelo ressarcimento dos prejuízos sofridos.

Muriaé


Em 2007 moradores do entorno de indústrias alimentícias de Muriaé denunciam ao MPE que essas empresas provocavam poluição de córregos, várzeas e nascentes da região e emitiam poluentes atmosféricos. O MPE solicita vistorias aos órgãos competentes e firma TAC.


Moradores denunciam a empresa Pif Paf por poluir córrego e emitir fuligem de carvão na atmosfera. O MPE é acionado e são constatadas irregularidades nas atividades da empresa.


Guiricema

Moradores do entorno de empresas de laticínios denunciam as empresas por poluírem corpos hídricos, o solo e a atmosfera. Acionado pelos moradores, o MPE celebra Termo de Ajustamento de Conduta e solicita laudos de vistoria à PMMA e à SUPRAM - Zona da Mata. Contudo, esses processos permanecem inconclusos.


Muriaé/Fervedouro

Conflitos entre empresas de mineração de bauxita (Companhia Brasileira de Alumínio, Mineração Rio Pomba, Mineração Curimbaba e MMX-Anglo Ferrous), a administração do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro e agricultores da região.