domingo, 23 de fevereiro de 2014

Zona da Mata sedia 2º Fórum de Desenvolvimento Sustentável


2º Fórum de Desenvolvimento Regional Sustentável
da Zona da Mata, realizado em Muriaé (MG)
Foto: Fernando Passalio/arquivo pessoal
O evento, organizado pela Ademata, agência criada a partir do Programa Ecos da Mata, 
destacou possibilidades de captação de recursos para a região.

Com o objetivo de reunir potenciais parceiros para discutir a temática Financiamento para o Desenvolvimento Regional, foi realizada, no final do ano passado, no município de Miraí (MG), mais uma edição do Fórum de Desenvolvimento Regional Sustentável da Zona da Mata, com participação de personalidades políticas e moradores de diversas cidades da região.

Organizado pela Ademata, Agência de Desenvolvimento Regional da Zona da Mata, criada a partir do Programa Ecos da Mata - idealizado pela Votorantim Metais -, o evento reuniu representantes de instituições financeiras, que apresentaram possibilidades de captação de recursos e microcrédito. Na ocasião também foi apresentado o planejamento estratégico da Ademata para 2014. De acordo com o presidente da agência, Milton Fernandes da Silva, a ideia é iniciar uma nova etapa de trabalho, focada principalmente na prospecção de parceiros, na elaboração de ações e na captação de recursos para a região.

Entre os convidados, destacou-se o representante da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Fernando Passalio, que comentou sobre as iniciativas do Governo voltadas para o fomento do empreendedorismo. Caso do Fórum Permanente Mineiro das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, o Fopemimpe, espaço para articulação entre governo e empresários, que tem como objetivo construir políticas públicas voltadas para o desenvolvimento dos pequenos negócios em Minas Gerais.

Na tentativa de trazer esse instrumento à Zona da Mata, como mais um espaço de iniciativas que possam alavancar o crescimento socioeconômico da região, a Ademata tem se articulado juntamente com as prefeituras dos municípios parceiros. Atualmente, o Fopemimpe já existe em outras localidades do estado, como Uberlândia e São João Del Rei.

Plano de ações para 2014

Sediada no Parque Guido Marlière (Horto Florestal), em Muriaé, a Ademata, agora com os seus primeiros associados devidamente registrados, elaborou planos de trabalho para 2014 - que contemplam as macro etapas da gestão -, de fortalecimento institucional, de elaboração de projetos e capacitação de recursos.

Nesse sentido, a agência tem promovido os Fóruns de Desenvolvimento Regional e conduzido os Grupos de Trabalhos (GTs) na criação e revisão de projetos para financiamento, com base no seis eixos do programa: Desenvolvimento Agropecuário, Turismo, Educação, Cultura e Qualificação, Infraestrutura, Serviço, Comércio e Indústria e Preservação ambiental.

“Acredito que a Ademata será um divisor de águas para a Zona da Mata. A partir do diagnóstico do Programa Ecos da Mata, levantamos as principais demandas e estamos elaborando projetos para 2014, baseados nas carências de cada localidade e no que a agência poderá fazer para o desenvolvimento desses municípios”, ressalta Milton Fernandes da Silva.

Para o Gerente Geral das unidades de Mineração do Negócio Alumínio da Votorantim Metais, Marcos Graciano, a formalização da Ademata é um resultado importante, que reflete o empoderamento dos cidadãos em relação ao seu próprio desenvolvimento. “Como parceiros da Agência, queremos que este espaço de articulação entre os diversos setores gere cada vez mais frutos no que diz respeito à atração de investimentos e elaboração de projetos capazes de atender as demandas existentes, potencializando as iniciativas de sucesso já realizadas na região”, ressalta.

A Ademata ainda será parceira do poder público em trabalhos que visam planejar ações de desenvolvimento sustentável de médio e longo prazo. A ideia é amenizar as dificuldades, por meio de planejamentos criados a partir das necessidades de cada comunidade e com a participação de todos os envolvidos. “Nós sabemos as principais demandas, potencialidades e particularidades de cada município e estamos trabalhando em cima disso para os próximos ano. O maior legado deixado pela Votorantim Metais não foi apenas ter patrocinado o Ecos da Mata e, sim, ter despertado a região para uma nova realidade”, salienta o presidente da agência.

Ecos da Mata


Idealizado em parceria com o Instituto Votorantim, o Ecos da Mata é resultado de diagnóstico socioeconômico e ambiental realizado em 2010 em nove cidades da Zona da Mata, próximas à unidade da empresa. Implantado em 2011, o programa tem como objetivo colaborar com a dinamização da região, a partir do engajamento e envolvimento de integrantes do poder público, setor privado e representantes da sociedade civil.