sexta-feira, 23 de maio de 2014

Um ano e meio: o que mudou em Cataguases?



"Existe alguém esperando por você
Que vai comprar a sua juventude

E convencê-lo a vencer..."


Depois de bastante tempo resolvi escrever novamente no meu blog. Causa-me um profundo desânimo observar a forma como a cidade está sendo administrada ou supostamente pensada. A proposta era popular, era participativa, era inovadora, era socialmente justa, politicamente ousada e utopicamente perfeita. Era... Não era isso que imaginávamos. "O Senhor da guerra, não gosta de crianças..." como diria Renato Russo.


Causa-me asco citar nome de velhos que continuam produzindo mais do mesmo. Explico: velho não no sentido biológico e sim na visão de mundo. De tanto levarem porrada e de dar porrada, perderam a capacidade de sonhar e acreditar nas pessoas. Pobre Cataguases!

Pensei seriamente em excluir o blog, recolher ao meu mundinho profissional e calar-me diante de pessoas que sabem de tudo e não precisam da minha (ou nossa) opinião. Donos da verdade e da razão, só precisarão da nossa mão-de-obra eleitoral na próxima eleição, claro!

"E quando longe de casa
Ferido e com frio o inimigo você espera
Ele estará com outros velhos
Inventando novos jogos de guerra..."



Mas exatamente por isso não posso me deixar abater, porque se corre em meu rosto o veio da vergonha da promessa não cumprida, do distrato, da finta eleitoral, é sinal de que não faço parte disso. Não faço parte desta fatia desonesta que manchou a honra de um partido que deveria ser dos trabalhadores e hoje está sob a mordaça de um desgoverno que se acha popular. 

"Que belíssimas cenas de destruição
Não teremos mais problemas

Com a superpopulação

Veja que uniforme lindo fizemos pra você

E lembre-se sempre que Deus está

Do lado de quem vai vencer..."


Não posso deixar de repudiar com veemência, aqueles que estão sorrateiramente dissimulando apoio ao Prefeito e só esperam a hora certa de "dar o bote". E olha, definitivamente não é somente um nome, existem muitos. Não acredito nesta política! Acredito na política do bem comum. Um belo uniforme "Minha casa, minha vida" e um belo carnaval e lá se vai mais uma eleição. É por estas e outras que a Juventude não acredita mais em velhotes Gagás que muito além da idade biológica, repetem o discurso dos coronéis dos loteamentos partidários. Éramos contra a ditadura. Éramos?