terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

PETROBRÁS: O boi de piranha perfeito!

Ações da PETROBRÁS são o grande alvo dos especuladores estrangeiros
Elias Júnior é Professor
Que existe um esquema de propinas na PETROBRÁS ninguém discute. A operação "Lava Jato" entretanto, tem sido usada pela grande mídia para criar uma sensação de corrupção generalizada na Administração Pública. Mentira. Uma instituição Pública é necessária sob diversos aspectos que eu não vou enumerar aqui porque não é momento certo. Falo disso em outro post. 

Voltemos à discussão principal deste tópico: boi de piranha. A expressão vem do meio rural, onde criadores de gado, ao atravessar um rio infestado de piranhas, abatiam um dos touros, já velho e/ou doente, e atiravam seu corpo, sangrando, ao rio, para atrair os peixes carnívoros enquanto eles passavam com o rebanho um pouco acima do rio.

A PETROBRÁS tem sido o boi de piranha para o interesse do capital estrangeiro. Afinal de contas, depois da descoberta do campo de Lula (Antigo campo de Tupi) a produção de petróleo e gás natural irá aumentar significativamente. Suas reservas são estimadas entre 5 e 8 bilhões de barris de petróleo do tipo alta qualidade, ou seja petróleo leve, além de gás natural. Pelos critérios de estimativa norte-americanos, as reservas de petróleo e gás anunciadas são equivalentes a cerca de 12 bilhões de barris de óleo equivalente ("boe" - medida que inclui óleo e gás). As reservas anunciadas representam mais do dobro das reservas de Roncador, que contém aproximadamente 3 bilhões de barris recuperáveis de petróleo pesado, de menor valor comercial e era, até então, a maior descoberta de petróleo brasileira segundo disse o consultor Caio Carvalhão, do Cambridge Energy Research Association, no Rio de Janeiro. A Petrobras é a operadora do campo, no qual tem 65% de participação, sendo que a britânica BG Group detém 25%, e a portuguesa Petrogal/Galp, 10%.

Um esquema de corrupção é portanto algo muito oportuno a especuladores que desejam a queda das ações da PETROBRÁS. O objetivo é adquiri-las em preço muito abaixo do valor comercial e esperar nos flats de Copacabana as ações decolarem no passo seguinte. Entenda-se que a queda nas ações refere-se a uma crise política, porque o valor dos desvios na empresa não oferecem riscos à saúde financeira da estatal. Ao findar do processo, os desvios comprovados deverão retornar aos seus cofres.

O segundo objetivo e mais amplo é pedir o Impeachment da Presidenta Dilma. Após a derrota nas urnas, grupos econômicos, políticos (politiqueiros) e midiáticos se juntaram para aproveitar a “crise” na PETROBRÁS como pano de fundo para um golpe de estado. Tentam a todo custo convencer a população desinformada dos aumentos da gasolina, energia elétrica e outros bens de consumo como motivos para destituir uma presidenta eleita democraticamente pelo processo de voto direto.

Já está anunciada a tentativa de golpe para 15 de março. A marcha que se delineia pode ser o início de um confronto entre as duas forças políticas no Brasil: a esquerda e o PIG (partido da Imprensa Golpista). Mas o eleitor brasileiro tem amadurecido sua visão crítica acerca destes jogos de poder. Prova disso é a perda de governo do PSDB em MG e em vários estados e cidades Brasileiras. Até agora só existem depoimentos de delação premiada e não há provas concretas para afirmar quem são verdadeiramente os culpados. Quando elas aparecerem, que eles sejam punidos. Atribuir a corrupção na PETROBRÁS à Presidenta do Brasil é leviano ou no mínimo tendencioso.

Aecistas que aceitem a derrota. A eleição acabou. Parem de forçar um terceiro turno.E se for preciso, o povo vai à rua, inclusive a massa que colocou o PT por 16 anos na presidência do Brasil. Democracia deveria ser um exercício de todos os partidos políticos no Brasil, inclusive do PIG.