domingo, 30 de agosto de 2015

O vestido florido da Eterna Nanzita


 Escrito por Cairu Teles Nunes
Marchand, Cariocataguasense

Nas minhas tantas idas a trabalho ao Rio de Janeiro, sempre encontrava também um tempinho de folga para espairecer. Numa dessas ocasiões, estava eu em Botafogo, apenas passeando, livre e distraidamente pelos corredores do Shopping Rio Sul, até que me deparei, estonteado e aturdido, diante da vitrine de uma loja. Ali estava um belíssimo vestido, todo ele florido. Emocionado, imediatamente pensei em Nanzita. Ao observar aquela fina e delicada estampa, cada detalhe do vestido florido me fazia lembrar as telas, o estilo expressionista de cores vivas e fortes, a técnica apuradíssima, a inspiração, o talento e a sensibilidade da Nanzita...

Não me contive e entrei na Krishna, uma especializada na moda feminina. Naquele momento, estava lotada de senhoras, com balcões e vendedoras ocupadas, o que me causou um natural constrangimento. Todavia, não demorou muito e fui “socorrido” por uma atendente muito gentil que, ao perceber o meu “sem jeito” foi logo afirmando e perguntando ao mesmo tempo (enquanto lançava sutilmente um olhar para a aliança conjugal que trazia em meu dedo): “Quer o vestido para sua mulher, não é isso? Temos também outros modelos também, quer ver?”. Mais à vontade, pedi a ela o número do manequim da Nanzita e, claro, disse também que seria desnecessário mostrar-me outras peças. Como acontece no amor ao primeiro olhar, já estava decidido por aquele vestido. Saí da loja feliz da vida e levando, como se fosse um troféu, aquele encantador vestido florido para presentear a Nanzita.

Nesta hora de recordação, em que exponho nesta simples narrativa apenas um dos numerosos e significativos momentos de amor, carinho e ternura vividos ao lado da minha mulher, eu choro. Choro sozinho e no silêncio da biblioteca da Residência-Ateliê da Nanzita, movido aqui pela saudade e pela feliz lembrança da mais importante pessoa da minha vida. Lembrança essa eternamente pulsante e vivaz em suas telas, nas bromélias e orquídeas desses jardins e em cada detalhe do mobiliário desta casa. Com Nanzita, entre muitas outras coisas, aprendi a interpretar ópera. Nanzita também me ensinou a amar a natureza como ninguém. A mesma natureza muito bem cuidada por ela mesma em seus jardins e que a inspirava para os traços intuitivos, nas suas fortes ou suaves pinceladas. A mesma natureza que, naquela tarde na loja do Shopping Rio Sul, eu contemplava retratada naquele belo vestido florido que parecia ter sido feito especialmente para a Nanzita.

E aquela peça de roupa tão singular, tomada pelo simbolismo e que hoje guardo em meu quarto, com o tempo, pude perceber ser ele o vestido que Nanzita mais usava. Certa vez, a alertei para o risco de causar uma má impressão: “Nanzita, as pessoas vão pensar que você só tem esse vestido”! E não esqueço de suas palavras dóceis, mas decididas: “Não importa o que vão pensar. É este o vestido que mais gosto na minha vida”. E deu-me um beijo. Ao relatar a história do vestido florido para a nossa cozinheira, ela falou-me: “Seo Cairu, a Dona Nanzita é simplesmente apaixonada pelo senhor”.

Poucos dias depois de perder a Nanzita, uma outra senhora fez-me uma revelação que me tocou profundamente. “Disse-me que a Nanzita tinha para ela comentado que fui eu a pessoa mais importante na sua vida”. Só então entendi claramente o que representou aquele vestido florido para a Nanzita que, artista em plenitude, soube como poucos usar a linguagem metafórica para expressar suas emoções, para falar do que amava, a inspirava e a movia, sejam pessoas, seres ou objetos. Para falar de tudo o que a encantava....Ou será que tudo se encantava com ela? Fada Nanzita!
Outros textos no site: 
www.eternanzita.com.br




Você Sabia? Primeiro goleiro da Seleção Brasileira nasceu em Cataguases.

Marcos Carneiro
Primeiro goleiro da Seleção Brasileira de Futebol
Fonte: Wikipédia

Marcos Carneiro de Mendonça, nascido em Cataguases/MG na data de 25 de dezembro de 1894, foi o primeiro titular da Seleção Brasileira de futebol e, curiosamente, o mais novo da história a marcar presença na meta brasileira – aos 19 anos e 6 meses de vida. Foi contra o Exeter City, da Inglaterra, em julho de 1914, com vitória da equipe sul-americana por 2 a 0, com gols de Oswaldo Gomes e Osman. Outra curiosidade: a partida aconteceu na casa do time do jovem Marcos Carneiro – as Laranjeiras.

Quer saber mais?
Acesse nosso arquivo, pois este post foi publicado em 20/11/2011.

Clique aqui para achar mais rápido

Lula abre 12º Congresso Estadual da CUT/MG

Ex-presidente defende a democracia e a soberania da Petrobras




Escrito por Rogério Hilário
Fotos: Lydiane Ponciano - CUT/MG


A Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG) abriu oficialmente seu 12º Congresso Estadual  (12º Cecut) na noite de  sexta-feira (28) com  Ato em Defesa da Democracia e da Petrobras, que contou com a presença do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, no Chevrolet Hall, em Belo Horizonte. O 12º Cecut tem como tema “Os desafios da classe trabalhadora em Minas e no Brasil” e homenageia Luiz Fernando Carceroni. O ato também abriu o 44º Congresso Estadual da União  Estadual dos Estudantes (UEE). Mais de quatro mil pessoas participaram da atividade. Elas ovacionaram o ex-presidente e cantaram parabéns para a CUT, que comemorou 32 anos na sexta-feira.
A Tribuna de Honra do ato foi formada pelo ex-presidente Lula, o presidente da CUT, Vagner Freitas; a presidenta da CUT/MG, Beatriz Cerqueira; Luiz Dulci; dirigentes das CUTs Regionais,  de confederações, federações e sindicatos CUTistas, da UEE, da UNE, do MST, do MAB, de movimentos sociais e populares e parlamentares.
“É um direito legítimo vocês não concordarem com o nosso governo, mas se vocês quiserem governar vão ter que esperar e disputar em 2018”, avisou à oposição o ex-presidente Lula, durante abertura do 12º Congresso Estadual da CUT MG, realizada nesta sexta-feira (28), no Chevrolet Hall. Durante seu discurso no ato em defesa da democracia e da Petrobras, Lula criticou o protesto elitizado dos que não aceitam o resultado das eleições, destacou que o Brasil tem um potencial extraordinário para vencer a crise e conclamou a CUT a ajudar a presidente Dilma Rousseff a governar o país, de forma que os pobres e trabalhadores não vejam seus direitos serem perdidos.
Representantes de sindicatos e instituições de MG na abertura do CECUT-MG.
A abertura do evento aconteceu por volta das 19h com a apresentação teatral e musical da história e das conquistas da esquerda. Em seguida, representantes de diferentes movimentos sociais e sindicais, além de deputados mineiros compuseram a mesa. Primeiro a falar, o coordenador da Federação Única dos Petroleiros, José Maria Rangel, afirmou que a Petrobras foi sucateada, mas que o povo vai lutar por essa empresa que é de todos os brasileiros. “Eles estão querendo tomar a Petrobras de nós, mas nós vamos brigar nas ruas por ela”, disse.
Sônia Mara, da coordenação nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), lembrou a importância da Constituinte Exclusiva e Soberana do sistema político para impedir o retrocesso nos direitos conquistados. O coordenador do MST em Minas Gerais, Silvio Neto, afirmou que o Brasil precisa de mais direitos dos trabalhadores e menos Levys e Eduardos Cunha. “A oposição pode bater suas panelas de alto custo, mas é a mobilização social que vai mostrar que ninguém vai passar por cima dos nossos direitos”, frisou.
O presidente da CUT Nacional, Vagner Freitas, afirmou que a atual crise política foi causada por uma minoria que não aceita os resultados das urnas, o que abre portas para a crise econômica. “Conclamo a essas pessoas que entendam que não vai ter golpe e que o terceiro turno precisa acabar. Manifestações como essa que vimos aqui na porta não ajudam em nada e mostram apenas intolerância e preconceito contra a classe trabalhadora”, afirmou.
A presidente da CUT MG, Beatriz Cerqueira, afirmou que a abertura do congresso da CUT é momento de fazer compromissos e, por isso, ela reafirmou o compromisso da central de continuar lutando pelos trabalhadores e contra o neoliberalismo. Ela também destacou a luta pela Petrobras, pela democracia e lembrou que a CUT não concorda com a política econômica do governo federal. “O ajuste fiscal precisa ir para aqueles que têm dinheiro para pagar essa conta”, disse.
O ex-presidente Lula iniciou seu discurso por volta da 20h. Ele ironizou o protesto da oposição realizado na porta do Chevrolet Hall e disse que eles aprenderam a manifestar com a esquerda. Mas, para Lula, a diferença é que a oposição protesta porque está incomodada com os direitos conquistados pela classe trabalhadora. “Nós protestávamos para aumentar o salário mínimo e eles protestam porque nós conseguimos. Nós protestávamos para ter mais educação, e eles porque o filho do pedreiro agora pode ser engenheiro. São privilegiados que não se conformam que os pobres tenham tido ascensão social”, disse.
Lula e Beatriz Cerqueira (Presidente da CUT-MG)
Ainda sobre os protestos da oposição, Lula criticou as palavras de ódio proferidas contra Dilma Rousseff. “Eu nunca tive coragem de falar um palavrão contra um presidente da república. Essas pessoas estudaram demais, mas não têm educação porque falaram palavrão para presidente”, afirmou. Ele também destacou que a democracia e soberania das urnas vão prevalecer contra os pedidos de golpe. “É um direito legítimo vocês não concordarem com o nosso governo, vocês protestarem contra o nosso governo, cobrarem aquilo que vocês acham que nós não estamos fazendo correto. Mas se vocês quiserem governar vão ter que disputar e esperar 2018 e não fazer golpe para tirar a presidente”, avisou.
O ex-presidente também defendeu a soberania da Petrobras e destacou que o Brasil tem um potencial extraordinário para vencer a crise. “Em dezembro do ano passado esse país tinha apenas 4,8% de desemprego. A gente está vivendo dificuldades agora, mas quem é que não tem dificuldades? E quando a gente tem dificuldade a gente não fica chorando, a gente levanta a cabeça e vai resolver o problema”, destacou.
Lula também deu seu recado à CUT, dizendo que a central pode não concordar com todas as ações da presidente, mas que não tem dúvida de que os trabalhadores vão apoiar Dilma e ajudá-la a fazer um governo melhor. Como se falasse diretamente para a presidente, Lula afirmou: “A CUT não concorda com tudo do seu governo, mas ela sabe o que você representa para esse país. Ela vai te ajudar a reduzir a inflação, a pensar modelos de desenvolvimento que possa gerar emprego, vai trabalhar para que você cumpra sua promessa de assentar todas as famílias e lutar para que nenhum direito seja perdido”

Série Secretários: Vanderlei Teixeira Cardoso (Pequeno)


Escrito por Luciano de Andrade

Professor e militante político
Este da foto abaixo é o Vanderlei Pequeno Teixeira Cardoso, secretário de assistência social de Cataguases. 


Se o acordo de campanha entre o PT de Cataguases e o Cesinha - que fala sozinho pelo PCdoB -, fosse cumprido, o Pequeno seria o secretário de cultura, e outro membro indicado pelo partido estaria na assistência social, certamente fazendo o mesmo bom trabalho; e na secretaria de cultura teríamos uma pessoa honrada e habituada ao diálogo com artistas e produtores locais, e certamente uma equipe competente pra promover a arte e a cultura.

Perdemos todos, perderá o Cesinha caso queira se reeleger, pelo menos os votos de quem confiava nele e se decepcionou com a trairagem e de quem esperava um nome decente pra assumir a secretaria de cultura. 

Sobre o Vanderlei Pequeno, convém lembrar de passagem sua atuação antes de entrar para o aparelho de estado como vereador, há 7 anos. Sindicalista ativo, músico e produtor musical amador, e ainda escritor - ou pelo menos autor de vários livros de crônicas de memórias e registros bem-humorados de casos cataguasenses - é figura pública na vida social da cidade há muitos anos.

Como vereador, teve a infelicidade de atuar numa câmara só de dez vereadores, o que facilitou para o ex-prefeito, que usou os outros nove para prejudicar a cidade, como no caso do contrato da Copasa, nas vendas lamentáveis de patrimônio público e em tudo que a câmara de vereadores anterior fez; a ponto de só o presidente e seus poderes de uso da máquina conseguir se reeleger, com todos os outros tendo sido tirados no voto, inclusive o único que ficou o mandato inteiro sofrendo e até conseguindo algumas vitórias contra os outros nove e o prefeito, como a aprovação da lei Ascânio Lopes, que agora é negligenciada pela equipe que cuida da cultura na cidade; aliás, que deveria cuidar.

Como secretário de assistência social tratou de ampliar os benefícios que a cidade recebe do governo federal, sem os quais nossa economia frágil sofreria ainda mais, e tratou de estabelecer um ambiente de cordialidade nos ambientes de trabalho, em despeito às pressões por apoio manifesto ao prefeito da gestão anterior; com o Pequeno, quem sabe como é ruim a administração do Cesinha não é obrigado a se calar nem a defender o prefeito.

Pequeno: Secretário de Assistência Social.
A equipe da assistência social é numerosa, e evidentemente há problemas de relacionamentos, e há ainda gente que não gosta de cumprir suas obrigações, e até gente que não respeita os colegas, o que pode gerar momentaneamente a sensação de que o secretário é bonzinho demais e acaba sendo conivente ao não demitir, por exemplo. Talvez aí entre a influência das lutas sindicais em que a preservação do emprego é quase pétrea.

Convém lembrar que, no caso do Vanderlei Pequeno, a retrospectiva política é muito menos importante do que as perspectivas, já que se trata de nome de muito prestígio, crescente, e liderança do maior e mais organizado partido da cidade, que terá poder decisivo na formação das candidaturas para o ano que vem. 

Espera-se dele e do partido alguma postura que permita à cidade ter pelo menos a esperança de que algo novo possa acontecer pra mudar os rumos da política local, há muito tempo decepcionante. Se ele e o partido seguirem calados sob as mazelas do Cesinha, a cidade corre o risco de não ter nem esperança na política, e de piorar ainda mais em todos os aspectos.

A onça está solta?

Escrito por Luis Kardoso
Jornalista - MTB-SP 350876-4
Acostumada às manifestações de vanguarda como o cinema de Humberto Mauro, a Revista Verde, a arquitetura modernista que aqui tão bem se aconchegou, trazendo junto o bom gosto pelas artes plásticas, Cataguases permitiu que seus militantes políticos se atolassem cada vez mais na mesmice ideológica. Se é que há coerência no pensamento de nossos homens públicos quando na militância partidária. Cataguases patina em propostas partidárias que não apresentam nenhuma solução para seus maiores problemas.
As Mídias da nossa cidade claramente protegem os poderosos e puxam a sardinha para sua brasa, não importa quem vai ficar sem o calor, desde que seja meu grupo o privilegiado e isto não afete financeiramente minha rádio, meu jornal ou meu blog, tudo esta bem e estamos noticiando e divulgando.

Ultimamente estamos observando um movimento popular que mesmo estando em estágio inicial já ameaça as forças conservadoras e retrógradas que campeiam pelos quatro cantos do município. Trata-se do grupo de Cerca Onça que surge apresentando idéias e fiscalizando aquilo que não reza na cartilha da honestidade e da coisa certa. Aos poucos os membros do Movimento Cerca Onça vão tomando consciência dos maiores problemas que a cidade enfrenta e recebendo o apoio popular. O apoio de quem não se permite se misturar com a situação que está aí. 

Cerca Onça: de olho em Cataguases!
Estamos assistindo à movimentação dos mais lúcidos que pedem uma medida mais adequada para a mineração que vem solapando as nascentes do Ribeirão Meia Pataca no distrito da Glória. Falta coragem ou sobra comprometimento dos nossos políticos? Ou será que outras razões fazem com que tais ações sejam abortadas ainda no nascedouro? A busca de minério que beneficiará alguns, certamente será perniciosa para muitos outros.

O que a Copasa vem fazendo nas ruas da cidade, deixando de qualquer jeito as vias públicas, não ecoa no meio político. Há um silêncio formidável nessa questão. O trânsito de veículos acena com um caos mais próximo do que verdadeiramente será. 

O Movimento Cerca Onça tem tido olhos para as principais questões e procurado levar ao debate o que não está de acordo com o que a história da cidade merece. Vem da juventude de seus membros a energia para a luta que os Cercadores têm se apresentado. Mesmo ainda fora das lides partidárias o Movimento Cerca Onça, nascido de uma proposta irônica e quase debochada, já incomoda. Atentos aos problemas, e com participantes lúcidos e desatrelados dos compromissos pessoais, partidárias e sem interesses escusos, os membros do Cerca Onça aos poucos vais-se tornando um batalhão de militantes que surgem do anonimato e vão dando as caras em prol de uma causa maior que é a cidade de Cataguases e seus distritos. 

Portanto, senhores leitores (eleitores?) observem com mais atenção a postura dos membros do Cerca Onça. É a vanguarda da política cataguasense. E, acreditem, o futuro pode ser outro com essa turma que quer mais para Cataguases. Isto é só o início, muito mais esta por vir.



domingo, 23 de agosto de 2015

Servidores da SRE - Leopoldina apóiam a greve por tempo indeterminado na Educação

Servidores realizam protesto em Leopoldina.
Segundo o SindUte a adesão é de 98% de servidores nesta SRE.
Servidores das Superintendências Regionais de Ensino de Minas Gerais e Órgão Central continuam de braços cruzados. Os servidores, que inicialmente optaram por uma greve por tempo determinado (27/07 a 18/08), reivindicam correções das distorções das tabelas salariais com a aplicação da tabela do Analista educacional com função de Inspeção Escolar, para os demais  Analistas Educacionais e mudança nas tabelas dos Técnicos da Educação, Assistentes Educacionais e Assistente da Educação Básica tendo como referência 85% do vencimento inicial dos Analistas. Também reivindicam a modificação do corte, para considerar o estágio probatório para promoção por escolaridade de 2008 para 2002.  
O Governo disse, em reunião de negociação, realizada no dia 4 de agosto, que pretende apresentar proposta para atender às reivindicações de correção das tabelas dos ASE, TDE e ATB, mas que só será possível a partir dos depósitos judiciais do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), mas negou atendimento às demais reivindicações. 
No dia 12 último, o secretário de Governo, Odair Cunha, reafirmou para a direção do Sindicato que o Governador quer fazer a negociação, que não está ignorando o movimento.  Mas que depende da liberação dos depósitos judiciais. Informou ainda que a decisão do Governo é respeitar o direito de greve e, portanto, não será adotada a estratégia de corte de salários, medida coercitiva adotada pelo Governo mineiro anterior e por Geraldo Alkmim, este ano, durante a greve da educação em São Paulo.
"Acumulamos, na última década, muitos problemas na educação da rede estadual. No caso destes servidores, as tabelas salariais acumularam perdas e distorções em relação a outras carreiras. Estes profissionais desenvolvem trabalhos importantes relacionados às políticas públicas e de pessoal e o que é reivindicado neste momento nada mais é do que as correções de distorções que ocorreram com os sucessivos congelamentos de carreira e com a implantação do subsídio".

Ainda segundo o SindUte a paralisação é apoiada pela maioria das SRE's, confira:
Índices de adesão
Norte de Minas
Montes Claros: 94%
Januária: 90%
Janaúba: 20%
Pirapora: 60%

Zona da Mata
Leopoldina: 81%
Juiz de Fora: 98%
Carangola: 30%
São João Del-Rei: 85%
Ponte Nova: 80%
Ubá: 75%
Ouro Preto: 35%
Muriaé: 50%
Barbacena: 50%
Conselheiro Lafaiete: 80%

Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste
Uberlândia 90%
Uberaba: 80%
Ituiutaba: 27%
Patrocínio: 10%
Patos de Minas: 12%
Unaí: 75%

Sul de Minas e Noroeste
Divinópolis: 98%
Pará de Minas: 22%
Pouso Alegre: 85%
Caxambu: 15%
Varginha: 30%
Itajubá: 90%
Passos: 40%
Poços de Caldas: 50%
São Sebastião do Paraíso: 70%

Centro-Oeste
Campo Belo: 73%

Belo Horizonte e Região Calcárea
Metropolitana A:85%
Metropolitana B: 75%
Metropolitana C: 80%
Órgão Central:15%
Sete Lagoas: 70%
Curvelo90%

Vale do Aço
Caratinga: 80%
Manhuaçu: 60%
Coronel Fabriciano: 15%
Guanhães: 50%

Rio Doce, Mucuri e Jequitinhonha
Governador Valadares: 90%
Araçuaí: 85%
Teófilo Otoni: 88%
Almenara: 32%
Diamantina: 90%

sábado, 22 de agosto de 2015

Pimentel anuncia liberação de R$ 310 milhões para prefeituras mineiras


Governador Fernando Pimentel, prefeitos e secretários no café 
realizado nesta sexta-feira no Palácio Tiradentes, em Belo Horizonte
Foto: 
Verônica Manevy/Imprensa MG

Durante reunião com prefeitos, governador autorizou o repasse de R$ 60 milhões

ainda este ano para serem aplicados no transporte escolar nos municípios

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, anunciou nesta sexta-feira (21/8) no Palácio Tiradentes, em Belo Horizonte, durante encontro com prefeitos e presidentes de associações microrregionais de municípios de todo o Estado, uma série de ações que visam beneficiar os cidadãos mineiros. Entre elas, a liberação de R$ 310 milhões para as prefeituras, entre linhas de financiamento do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e recursos para o transporte escolar.
Secretária de Educação, Macaé Evaristo, e o governador Fernando Pimentel,
que autorizou aumento de repasse de recursos para transporte escolar
Foto: Verônica Manevy/Imprensa MG
O governador também confirmou que enviará à Assembleia Legislativa de Minas Gerais projeto de lei que altera a Lei Robin Hood, que trata da distribuição da cota-parte dos municípios do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O objetivo do projeto, que será feito em parceria com os prefeitos, é aperfeiçoar a lei e garantir um repasse mais justo de recursos para os municípios, principalmente os de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).
“Minas Gerais não está parada. A situação de dificuldade é geral, no país inteiro, mas aqui o importante é que nós estamos trabalhando. Eu sou extremamente solidário com os prefeitos, que é o agente público mais próximo do cidadão. O governante do Estado que não entender isso não entendeu nada, não vai fazer um bom governo. Tem de se desdobrar para ajudar a resolver os problemas”, afirmou o governador.

BDMG
O BDMG irá liberar, por meio de edital, R$ 250 milhões para viabilizar investimentos em infraestrutura, saneamento, construção de prédios públicos e aquisição de máquinas e equipamentos. “Pegamos todo o dinheiro que estava disponível no BDMG para empréstimos e colocamos para os municípios. Achamos por bem liberar tudo, dada a situação premente de dificuldades que nós sabemos que todos estão enfrentando aqui”, disse Pimentel.
O diretor-presidente do BDMG, Marco Aurélio Crocco, destacou o compromisso da instituição com os municípios. “São cinco linhas de crédito que praticamente cobrem todas as possíveis demandas, desde urbanização a máquinas. A ideia é que vocês, prefeitos, decidam prioritariamente aonde vão investir”, afirmou.
Os municípios poderão inscrever propostas de financiamento no período de 21/8/2015 a 30/9/2015, por meio do preenchimento de formulário eletrônico disponível no site do BDMG. As regras gerais e as etapas estão descritas no edital, que pode ser obtido no sitewww.bdmg.mg.gov.br.

Transporte escolar
Pimentel também anunciou a liberação de R$ 60 milhões a mais para o transporte escolar no Estado em 2015 – recursos que serão utilizados pelos municípios para o transporte de estudantes da rede pública que moram na zona rural. Outra importante ação é o envio, à Assembleia Legislativa, de um projeto de lei que cria o Programa Estadual de Transporte Escolar (PTE-MG), cujo objetivo é transferir recursos financeiros de forma direta e automática, sem a necessidade de assinar convênios, para os municípios que, efetivamente, realizam o transporte escolar.
Segundo o governador, o repasse dos novos recursos irá “permitir aumentar em cerca de 30% o valor que é repassado aos municípios”. “É um esforço muito grande do Estado”, destacou, lembrando que uma das demandas mais antigas dos prefeitos é a desburocratização dos repasses por meio de convênios. “O projeto de lei vai institucionalizar esse repasse, que hoje é feito na base de convênio. Nós vamos fazer fundo a fundo agora, de maneira que vai ser automático. Era um desejo antigo dos prefeitos e das prefeitas, e é justo que seja assim. Institucionalizar isso é uma obrigação do Estado”, garantiu.
O Estado ainda vai promover, em parceria com a Associação Mineira de Municípios (AMM), uma revisão dos critérios de fixação do valor a ser destinado ao transporte escolar, garantindo uma divisão mais justa e adequada entre as prefeituras.
A secretária de Educação, Macaé Evaristo, afirmou que a ação irá garantir o fortalecimento da educação pública. “Nós passamos, este ano, de R$ 221 milhões para R$ 281 milhões. Sabemos da necessidade do transporte escolar em um Estado grande como o nosso. Estamos simplificando o sistema, trabalhando de maneira bem cooperativa. São cerca de 260 mil alunos que dependem do transporte escolar”, destacou.

Lei Robin Hood
Ainda durante o encontro com os prefeitos, Pimentel destacou o empenho da nova gestão no trabalho para tentar corrigir as distorções históricas no atual modelo de distribuições de recursos pela Lei 18.030, a chamada Lei Robin Hood. O grupo de trabalho criado pelo governo estadual deverá apresentar, no início de setembro, um anteprojeto de lei com as novas propostas. Além de representantes de secretarias do Estado, o grupo também conta com a participação de cinco prefeitos, indicados pela AMM. Para Pimentel, Minas poderá dar o exemplo na forma de tratar os municípios de forma mais igualitária.
O governador afirmou que a lei é “erradamente chamada de Robin Hood”. “Nós vamos mandar para a Assembleia um projeto alterando a atual divisão de recursos do ICMS. A hora de mudar é agora. O prazo é exíguo. No início de setembro, nós temos de estar com isso na mão. A distribuição dos recursos do ICMS, na forma como é feita na maioria dos estados brasileiros, não ajuda os municípios e não ajuda o cidadão e a cidadã do Estado. Está errado. Nós vamos mudar agora e esperamos que essa lei que vamos fazer juntos possa servir de modelo na renovação de outros Estados”, finalizou.

Participação
O presidente da AMM e prefeito de Pará de Minas, Antônio Júlio, destacou a proximidade da nova gestão estadual com os prefeitos, ouvindo para governar. “Pode contar com a nossa solidariedade. Estamos, aqui, com os prefeitos, todos juntos. Queremos ser ouvidos mais, para promover mudanças em prol de Minas e do Brasil”, disse.
Além dos prefeitos e presidentes das associações microrregionais, também participaram do encontro o vice-governador Antônio Andrade, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Adalclever Lopes, o ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Mangabeira Unger, e os secretários de Estado de Governo, Odair Cunha; Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste, Paulo Guedes; Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana, Tadeu Martins Leite; o subsecretário de Assuntos Municipais, Marco Antônio Viana Leite, e deputados estaduais.

Tecla SAP ou Closed Caption para o Passeio de Wiliam Lobo?

Adicionar legenda
Os aparelhos de televisão vem com uma tecla que pouca gente sabe para quê serve. Trata-se da tecla "Sap" que significa "Second Audio Program", que resumidamente serve para ouvir o áudio no idioma original ou no dublado.

Ela é de grande valia para deficientes visuais, que podem acompanhar os programas e fazer a leitura a seu modo, ampliando sua capacidade de entendimento.

Já a tecla "Closed Caption" significa "legenda oculta" e funciona com a transmissão de imagens e legendas. Sua principal tarefa é permitir que os deficientes auditivos possam ler e acompanhar o que está sendo falado no programa de TV.

Após a publicação do meu post "O passeio de Wiliam Lobo" algumas pessoas tiveram dificuldades de entendimento (ou não quiseram entender mesmo). Lamento informar mas ainda não é possível instalar as teclas SAP e Closed Caption nas publicações. Mesmo porque o entendimento das informações é subjetivo. Cada um entende da forma que assimila ou que lhe convém.

Observações sobre o post:

1 - Não declarei apoio ao PSDB de Willian Lobo, apenas disse que se a esquerda continuar dormindo em berço esplêndido achando que a população está satisfeita com a administração atual irá acordar num pesadelo na eleição de 2016. A rejeição nas urnas comprovará aquele famoso ditado: "Quem avisa, amigo é".

2 - Não faço postagens para A, B ou C. A análise é de conjuntura e não de pessoas. Não é de secretarias mas sim de governo e sociedade.

3 - Quando avalio o governo Cesinha avalio os partidos que o apoiaram para a sua eleição. O nome Cesinha não significa que ele seja o único responsável pela atual situação da cidade. Mas é o "CEO" desta instituição, portanto ele responde por seus subordinados.

4 - Eu torço por Cataguases e não por partidos. Todos deveriam saber que política não é torcer para um time de futebol.

5 - Reclamaram que eu não publico coisas positivas do atual governo. Mas isso não é verdade. É só conferir nos arquivos. Inclusive releases e sugestões de pauta que forem enviadas ao blog poderão ser analisadas.

6 - Dizem que esse blog ninguém lê, então nem sei o motivo da preocupação e ofensa de alguns.

7 - Sobre o item anterior, discordo e ressalto que o "Google Analytics" é uma ferramenta muito interessante. Vale a pena conhecer.

8 - Não sou candidato a nenhum cargo político em 2016. Fiquem descansados! rs, rs

Construtora inicia preparativos para construção de 4 academias de saúde em Cataguases


Academias da Saúde: Ibrahim, Ana Carrara, Paraíso e Vila Tereza.

Desde 2011, o Ministério da Saúde vem promovendo a implantação e implementação de polos do Academia da Saúde nos municípios brasileiros. Os polos são espaços físicos dotados de equipamentos, estrutura e profissionais qualificados, com o objetivo de contribuir para a promoção da saúde e produção do cuidado e de modos de vida saudáveis da população.

Cataguases receberá 4 unidades, que serão construídas nos bairros Ibrahim, Ana Carrara, Paraíso e Vila Tereza.  A iniciativa foi viabilizada através de convênio entre a Prefeitura e o Ministério da Saúde, com recursos de R$335.757,19, através da PNAB (Política Nacional de Atenção Básica), do governo federal.

O Programa Academia da Saúde tem como um de seus pontos centrais a implantação de polos dotados de infraestrutura, equipamentos e profissionais qualificados, o que potencializa a realização de ações variadas de promoção da saúde, como: práticas corporais e atividades físicas, promoção da alimentação saudável, mobilização da comunidade, práticas artísticas e culturais, gestão participativa, entre outras preconizadas pelo Programa. É, portanto, mais um espaço do SUS de referência e de vivência nos territórios que compõem as redes de atenção à saúde.
A construção desses espaços deve seguir as orientações da Portaria nº 2.684/2013 (Anexo 01 – Programa de Necessidades) e obedecer à Identificação Visual do Programa. 
Para aumentar as possibilidades de vínculo do programa com o território, é indicado que todo o processo, da escolha do local ao projeto arquitetônico, seja feito com a participação da equipe de Atenção Básica local e da comunidade, além de engenheiros/arquitetos.
O Programa Academia da Saúde possui três modalidades de polo:
  • Modalidade Básica – valor do repasse R$80.000,00
  • Modalidade Intermediária – valor do repasse R$100.000,00
  • Modalidade Ampliada – valor do repasse R$180.000,00

Os polos do programa são compostos por três espaços: de Vivência, de Multiuso e com Equipamentos.
espaço de vivência é uma área coberta, que pode ter também uma estrutura de apoio, dependendo da modalidade. Esse espaço, por ser coberto e mais acolhedor, é o ponto de referência do polo e abrigará grande parte de sua programação, já que pode ser utilizado durante todo o dia, independente das condições do tempo.
Já o espaço multiuso do polo é composto de uma área descoberta e livre, que pode ser apropriada das mais variadas formas, com as mais diversas atividades. Por ter uma área bem mais ampla que o espaço de vivência, permite o desenvolvimento de atividades para grupos maiores.
Finalmente, de forma praticamente contígua ao espaço multiuso, temos o espaço com equipamentos destinado ao desenvolvimento de práticas corporais e atividades físicas em uma série de equipamentos. O que não quer dizer que não possam ser feitas outras apropriações deste espaço.
Estes equipamentos são previstos na Portaria 2.684/13 e devem estar presentes nos polos do Programa Academia da Saúde: barra horizontal, barra paralela, bancos, prancha abdominal, barra marinheiro, espaldar e a barra horizontal de apoio.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Programa Regularize incentiva pagamento de débitos tributários

Foto: Omar Freire/Imprensa MG
Maior parte da dívida relativa a ICMS poderá ser quitada com crédito acumulado

Os contribuintes mineiros em débito com o Estado têm uma oportunidade inédita para regularizar a situação para com a Fazenda Pública. Trata-se do Programa Regularize, que estabelece procedimentos para pagamento incentivado de débitos tributários e define um conjunto de medidas que visam à facilitação da liquidação desses débitos. O programa é o resultado de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Fazenda e a Advocacia Geral do Estado que, com ações integradas, pretendem aperfeiçoar ainda mais a recuperação dos débitos tributários.
Um passo importante do programa foi a elaboração do Decreto 46.817. Publicado no Diário Oficial de Minas Gerais na terça-feira (11/8), o Decreto – um dos instrumentos do conjunto de ações a serem implementadas no Regularize – cria novas regras, ampliando as formas de pagamento e concedendo descontos que podem alcançar até 50% do débito em aberto para pagamento à vista.
Uma das novidades é permitir que a maior parte do débito relativo ao ICMS – até 70% do total – seja quitada com crédito acumulado do imposto, desde que o pagamento ocorra até 30 de novembro deste ano. Para esta opção, será exigido o pagamento em moeda corrente de, no mínimo, 30% do valor total atualizado do débito tributário, com possibilidade ainda de parcelamento em até 24 vezes, respeitado o valor mínimo de R$ 5 mil por parcela.
Além da regularização com crédito acumulado de ICMS, o contribuinte poderá utilizar outras formas para quitar seus débitos, dentre elas, o parcelamento e a compensação com precatórios, próprios ou de terceiros. Com os benefícios previstos no Decreto, o Programa Regularize permite também quitar débitos tributários de ITCD, Taxas e IPVA, sendo este último após o dia 1º de janeiro de 2016, limitado a 12 parcelas.
Atualmente, existem mais de 200 mil processos tributários em aberto, seja na fase administrativa ou inscritos em Dívida Ativa. O valor total dos débitos é de R$ 52 bilhões. Desses, 98,6% são de ICMS.
O secretário de Fazenda, José Afonso Bicalho, afirma que a intenção do Governo de Minas Gerais é criar instrumentos e flexibilizar todo o arcabouço legal para facilitar o pagamento dos débitos pelo contribuinte e permitir ao Estado receber boa parte dos R$ 52 bilhões. "Tivemos um olhar um pouco diferente. Normalmente, o que se faz é dar anistia ou criar um decreto dando desconto. O que queremos agora é fazer uma análise um pouco mais detalhada para saber porque temos tantos créditos inadimplentes. E a partir disso apontar a forma mais eficiente para o recebimento e a regularização desses créditos", diz.
Bicalho frisa que, além das medidas adotadas até o momento, outras iniciativas virão. "Esse decreto é mais um passo dentre vários que estamos dando”, observa.
O advogado-geral do Estado, Onofre Alves Batista Júnior, reitera que “a ideia é encurtar a distância do contribuinte com o Estado, deixando na regularidade o maior volume possível de contribuintes". "Mesmo que isso não traga uma receita imediata, no caso de parcelamentos a longo prazo”, destaca.
Para facilitar a adesão ao Regularize, a Secretaria de Estado de Fazenda, por meio da Subsecretaria da Receita Estadual, já instruiu todas as Delegacias Fiscais (DFs) e Administrações Fazendárias (AFs) em Minas Gerais a receber os contribuintes, sanar eventuais dúvidas e efetuar simulações dos débitos inscritos ou não em Dívida Ativa.