domingo, 19 de junho de 2016

Malafaia no site do Marcelo Lopes...

Foto publicada no site do Marcelo Lopes

















Estou evitando postar opiniões no blog antes de fazer a mudança do leiaute mas não posso ficar calado diante do que li no Site do Marcelo Lopes. Nem sei por onde começo...

Primeiro o Malafaia fala: "Você criticar membros de uma instituição é o estado democrático de Direito. Agora entre você fazer crítica ao Procurador Geral e apoiar uma trama de gente que é citada em delações, aí mudou o jogo". 
Até aí, beleza! Estava começando a me simpatizar com a entrevista, mas eis que começa a disparar absurdos que nos assustam:
Absurdo 1:
"O Eduardo Cunha errou - na minha opinião - quando ele conseguiu construir o impeachment. Ele sabia que não tinha moleza pra ele. Então o que ele tinha que fazer? Renunciar a presidência para salvar o seu mandato. Mas ele não escuta ninguém! Taí o resultado. Nem a presidência, nem o mandato. É só aguardar. Ele procurou isso. Você não pode brigar com todo mundo ao mesmo tempo".

É impressão minha ou nas entrelinhas ele demonstra ser conselheiro bem próximo do Cunha?

Absurdo 2:
"O que é preciso é trabalho e parar com essa compra de voto oficial, essa vagabundagem, essa bandidagem de Bolsa Família, que o cara vai buscar de carro. Certo? É cortar o monte de malandro que está comendo nisso aí, que é a maior compra de voto oficial do país. Não conheço nenhuma nação prosperar dando benesses para "nego" não trabalhar. Eu não conheço isso. Claro que tem um cinturão de miséria extrema no Brasil. Ok. Vamos atender esse. Agora, vinte e cinco milhões de pessoas comendo no Bolsa Família? Vai ver se eu estou na esquina! Isso é bandidagem para comprar voto para ganhar eleição. Essa é que é a verdade" (GRIFO NOSSO).

Precisa explicar os grifos? Para o pastor quem recebe Bolsa Família é vagabundo, bandido e "nego" que vende o seu voto em troca de comida. Que o melhor era acabar com isso, ou seja: cortar o Bolsa Família.

Pegou mal

O pré-candidato a prefeito, William Lobo (PSDB) em pleno ano eleitoral tirar foto ao lado de um "Pastor metralhadora". É um tiro no pé. O pastor defende o Cunha, o rejeitado interino Temer e chama quem recebe o Bolsa Família de vagabundo e bandido que vai buscar seu benefício de carro. Ainda diz que quem recebe o Bolsa Família vendeu seu voto. Quem não simpatiza com o Pastor, recebe bolsa família e condena as atitudes do corrupto Cunha fica com os dois pés atrás na hora de votar no William. Que o Bolsa Família tem desvios, ninguém duvida. É preciso melhorar a fiscalização e punição de quem denigre a imagem do programa. Generalizar o programa e condenar a população que recebe um benefício mínimo para garantir sua segurança alimentar é de uma insanidade elevada. E o cara ainda é pastor! E ainda está na mídia televisiva formando opiniões! Eu só não entendo esse discurso de que o Estado é laico. Acho que é só na hora que convêm.