sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Estado retoma o Programa de Educação Permanente para Médicos de Família

Iniciativa prevê a qualificação dos médicos da 
Atenção Primária do Sistema Único de Saúde (SUS) em Minas Gerais

Após ser reformulado, o Programa de Educação Permanente para Médicos de Família (PEP) vai ser retomado em Minas Gerais. Durante meses, a Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG) e a Secretaria de Estado de Saúde (SES) debruçaram sobre o tema e aperfeiçoaram o programa de modo a atender os profissionais médicos inseridos na Atenção Primária à Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

A nova versão do programa traz novidades, como a redefinição das áreas de atuação do PEP, que totalizam 18 (veja quadro abaixo), possibilitando a participação de profissionais de todos os municípios mineiros.

“O PEP visa à qualificação dos médicos da Atenção Primária em Saúde, por meio da educação permanente, com ações de integração ensino-serviço. A ideia é que a retomada do programa aconteça com um acompanhamento mais sistemático e qualitativo da ESP-MG e SES”, esclarece a coordenadora do Núcleo de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da ESP-MG, Danielle Silveira.

Os recursos financeiros destinados ao desenvolvimento do PEP são do tesouro estadual. Para o ano de 2016, o valor estimado para a execução do programa é de R$ 15 milhões. De acordo com o Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG), tem-se como objetivo, até 2019, aumentar o quantitativo anual de médicos participantes do Grupo de Aperfeiçoamento Profissional (GAP) do programa.